Pesquisa mapeará a violência política contra mulheres no Brasil

A pesquisa Política de Saias foi disponibilizada nesta sexta (24) para traçar um diagnóstico sobre a realidade das mulheres no cenário político brasileiro sob o viés da violência política. A iniciativa do Instituto Justiça de Saia com o apoio do canal Justiceiras acontece por meio de formulário online até outubro de 2022, quando acontecerão as eleições presidenciais.

A ação possibilitará conhecer a atual relação das mulheres com a política em todas as suas esferas. Eleitoras, mulheres que têm intenção de se candidatar, que são candidatas ou já eleitas poderão informar se sofreram discriminação ou preconceito pela condição do sexo feminino no exercício dos direitos políticos. Poderão participar mulheres a partir de 16 anos, idade mínima para o direito ao voto no país. 

Com o resultado, as idealizadoras do Política de Saias pretendem colaborar com informações junto a instituições públicas e privadas para a elaboração de políticas públicas e ações integradas para o incentivo da participação feminina na política e a garantia de representatividade, além da prevenção e do combate a esse tipo de violência. Serão gerados relatórios mensais com todos os recortes e perfis traçados, assim como um relatório dos atendimentos.  

“Queremos dar maior visibilidade ao tema, amplificando a voz de muitas mulheres, como um instrumento eficaz de acesso à informação e à conscientização sobre a importância da maior representatividade feminina na política para toda a sociedade e para o exercício da verdadeira democracia”, diz Gabriela Manssur, fundadora do Instituto Justiça de Saia e do projeto Justiceiras. De acordo com o Mapa das Mulheres na Política 2020,  o Brasil ocupa um dos piores lugares no ranking de representação feminina no parlamento:  está em 140º lugar numa lista de 193 países.    

A pesquisa quantitativa é feita a partir dos eixos da violência política contra as mulheres, a representatividade feminina na política e a promoção e defesa dos direitos políticos das mulheres.  

Canal de Denúncias e voluntariado

Além da pesquisa, as mulheres também podem denunciar violências, realizar depoimentos e, se optarem, receberem apoio jurídico e psicológico. Além do canal de denúncia do site Justiceiras (justiceiras.org.br), esses atendimentos estarão disponíveis por meio das redes Whatsapp (011 99639-1212) e Instagram (@justiceirasoficial). A ação convoca também as voluntárias para compor a Liderança Política Nacional e a Liderança Política Local mediante inscrição, por meio do formulário de voluntárias Justiceiras, no mesmo canal. 

O que é a violência política de gênero

A violência política de gênero é caracterizada por atos que excluem a mulher do espaço político, impedem ou restringem seu acesso, ou a induz a tomar decisões contrárias à sua vontade. As mulheres podem sofrer violência como eleitoras, candidatas, ou já exercendo mandatos políticos. Esse tipo de violência pode ser virtual, presencial ou institucional, inclusive dentro dos próprios partidos. 

Políticas de Saia

A ação apartidária Políticas de Saias tem como objetivo denunciar a violência política contra as mulheres e colaborar para a maior representatividade feminina na política.

Acesse em: 

justiceiras.org.br e justicadesaia.com.br

+ sobre o tema

A política urbana que matou Marielle Franco

O assassinato da vereadora carioca Marielle Franco completa um...

para lembrar

Gosto não se discute, violência sim

Por:Beatriz Beraldo Gosto, como dizem, não se discute. Eu, por...

Quando a violência de gênero promoveu mudanças na legislação brasileira

"Não tenho uma filha do teu nível, graças a...

Violência política no Brasil está matando a democracia, diz relator da ONU

A crescente violência política —intensificada após o assassinato ainda não solucionado...

Governo Federal promove campanha de combate à violência contra trans.

O lançamento foi em conjunto com a Secretaria de...
spot_imgspot_img

Foi a mobilização intensa da sociedade que manteve Brazão na prisão

Poucos episódios escancararam tanto a política fluminense quanto a votação na Câmara dos Deputados que selou a permanência na prisão de Chiquinho Brazão por suspeita do...

Comitê irá monitorar políticas contra violências a pessoas LGBTQIA+

O Brasil tem, a partir desta sexta-feira (5), um Comitê de Monitoramento da Estratégia Nacional de Enfrentamento à Violência contra Pessoas LGBTQIA+, sigla para...

Com a conivência do Estado

Enfim, foi da nefasta aliança entre crime, polícia e política no Rio de Janeiro, tão antiga quanto conhecida, que brotaram mandantes e, ao menos,...
-+=