Presidenta Dilma visita área da tragédia e promete ações firmes

Número de mortos passa de 400. Governo libera 780 milhões de reais para recuperação das áreas atingidas e libera saque de FGTS para moradores em cidades em estado de calamidade

A presidenta Dilma Roussef desembarcou na tarde desta quinta-feira 13, na Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, de onde seguiu de helicóptero para região serrana do Estado que já registra mais de 380 mortes em decorrência do forte temporal da madrugada de quarta-feira 11. Acompanhada por ministros, pelo governador Sérgio Cabral e pelo prefeito Demerval Barbosa Moreira Neto, ela caminhou por algumas áreas de Nova Friburgo e conversou com moradores.

Após a visita, Dilma voltou à capital e concedeu uma entrevista coletiva ao lado do governador Sérgio Cabral, no Palácio Guanabara. A presidenta prometeu ações firmes na reconstrução das áreas atingidas. Ela afirmou que “o momento de reconstrução será também de prevenção” e prometeu liberar recursos com menos burocracia possível. Dilma declarou ainda que “a prevenção não é uma questão de Defesa Civil apenas, é uma questão de saneamento, drenagem e política habitacional de governo” e que “a moradia em área de risco no Brasil é a regra, não é a exceção”.

A Força Nacional de Segurança, do ministério da Justiça, deve chegar ainda nesta quinta-feira no Rio e deve ficar em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, por tempo indeterminado, para ajudar nos resgates de vítimas a pedido governador do estado.

No efetivo da Força Nacional, há bombeiros militares treinados para ações de resgate, policiais militares e peritos especializados na identificação de corpos. Junto com os homens, a ministério enviará equipamentos de socorro e helicópteros.

Até agora o governo federal já liberou 780 milhões de reais para o Rio de Janeiro e São Paulo, para sanar problemas das chuvas. Desse total 700 milhões são para a área de defesa civil do Ministério da Integração Nacional e R$ 80 milhões ao Ministério dos Transportes, para recuperação de pontes e estradas.

Medidas urgentes – O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, anunciou em entrevista coletiva que os trabalhadores que moram em cidades reconhecidas pelo Ministério da Integração Nacional como em estado de calamidade pública poderão sacar o valor equivalente a até dez salários mínimos da conta vinculada do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O valor atual é de R$ 4.650, que poderá ser elevado para R$ 5.400.

Lupi afirmou ainda que os trabalhadores dessas cidades poderão receber por mais dois meses o pagamento do seguro-desemprego.

Ajuda – Equipes de voluntários pedem prioritariamente colchonetes, cobertores, fraldas descartáveis, materiais de limpeza e higiene pessoal.

Em Teresópolis, onde o número de desabrigados pode passar de 2,8 mil, as doações podem ser levadas ao Ginásio Esportivo Pedro Jahara, no centro. Doações em dinheiro são recebidas também no Banco do Brasil. A agência é 0741-2 e a conta corrente, 110000-9.

O município também pede a doação de gelo, recipientes como bandejas e tabuleiros, termômetros e luvas descartáveis. No bairro Caleme, um dos mais atingidos, solicitam apoio de voluntários com lanternas. Quem tiver equipamentos como motosserras também pode ajudar.

Em Petrópolis, onde cerca de mil pessoas estão desabrigadas, a prefeitura prefere doações de água, roupa de cama e banho. Os materiais podem ser entregues na Secretaria de Trabalho e Assistência Social, no centro. No distrito de Itaipava, as doações podem ser feitas no Centro de Cidadania.

Na capital e em outros pontos dos estados, os materiais podem ser entregues em 25 postos da Polícia Rodoviária Federal (PRF) nas estradas e nos Batalhões da Polícia Militar. O Grupo Pão de açúcar também receberá donativos em 100 lojas da rede até o dia 26 de janeiro.

A Cruz Vermelha e organização não governamental Viva Rio também iniciaram uma campanha para ajudar a região serrana. As doações podem ser feitas nas sedes das instituições. A Cruz vermelha fica na Praça Cruz Vermelha, no centro do Rio, e a Viva Rio, na Rua do Russel, na Glória.

Fonte: Carta Capital

+ sobre o tema

Em Ceilândia, Anielle Franco anuncia R$ 1,6 milhão para organizações

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, anunciou, nesta...

OABRJ levará absolvição dos policiais no caso João Pedro ao STF

A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de...

O grande bazar de direitos

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, declarou nesta semana estar "muito...

para lembrar

Marina em posse lotada: ‘Boiadas passaram por onde deveria passar proteção’

A ministra do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas prometeu...

Pó pará, Serra!

Por: Marco Aurélio Weissheimer   A via do...

Para se tornar mais conhecida, Marina intensifica agenda em SP

SÃO PAULO - A senadora Marina Silva (AC), pré-candidata...

Saiba o que muda no ensino médio com novo texto aprovado no Congresso

Após sucessivos ajustes, com idas e vindas entre as duas casas do Congresso e nove meses de tramitação, a reforma do novo ensino médio...

É mito pensar que todos os pobres são empreendedores, diz ganhadora do Nobel de Economia

Uma das mais respeitadas economistas do mundo quando o assunto é pobreza, a francesa Esther Duflo tem gastado muito do seu tempo falando sobre os...

Brasileiras reunidas para enfrentar a extrema direita

Muito se diz que organização de base e ocupação das ruas são os caminhos mais efetivos para enfrentar a extrema direita. Difícil é encontrar quem...
-+=