Pró-reitor de graduação da UFJF mostra avaliação da política de ação afirmativa na instituição

 

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) iniciou sua política de ações afirmativas em 2006 como parte de um projeto global de inclusão dos grupos sistematicamente excluídos, revelou o pró-reitor de graduação Eduardo Magrone durante a audiência pública sobre cotas, que acontece no Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo ele, o resultado parcial revela que candidatos cotistas têm resultados mais modestos do que não cotistas, e precisam de apoio pedagógico além do convencional para se manterem no curso.

Magrone disse que além da política de ingresso pelo critério de cotas, prevista inicialmente para durar até 2015, a UFJF implantou um núcleo de estudos afro-brasileiros. Para a UFJF, uma das consequências da política de cotas é fazer com que a instituição seja uma produtora de saber sobre essa população, e outras populações da região, que historicamente se vira alijadas do ensino superior.

A seguir, o reitor fez avaliação resumida das ações em curso na universidade, mostrando dados do vestibular de 2008. Foram organizados três grupos de vagas para cursos de graduação: egressos de escolas públicas autodeclarados negros; egressos de escolas públicas com mais de sete anos nessa situação; e não optantes do sistema de cotas.

O desempenho dos candidatos dos três grupos foi analisado pela instituição. Segundo Magrone, o estudo mostra uma tendência de resultados mais modestos dos candidatos cotistas do que dos não cotistas, principalmente nos primeiros anos de curso. O desempenho dos grupos é desigual, disse o reitor, asseverando que a UFJF sabe que precisa providenciar uma solução tópica para neutralizar, reverter essa tendência.

Segundo Magrone, a UFJF detectou que esses alunos precisam, pontualmente, de apoio pedagógico além do apoio estudantil convencional para prosseguirem em seus cursos com rendimento aceitável.

+ sobre o tema

Infância negra, racismo estrutural e novos cenários na América Latina

  As condições de vida das populações negras na América...

Idris Elba é muito ‘das ruas’ para viver James Bond, diz autor de livro de 007

'É uma questão de ser suave? Sim', declarou escritor...

As cotas sociais nas universidades, e os critérios da UFRGS (por Marliane Ferreira dos Santos)

Quero compartilhar minha experiência com as cotas sociais,...

para lembrar

spot_imgspot_img

Se o Estado perder o controle, o que vai restar?

Cinco pessoas foram mortas durante a 16ª operação policial do ano no Conjunto de Favelas da Maré, nesta terça-feira, 11 de junho. Uma das...

Após ‘discriminação racial’, Lewis Hamilton compartilha postagem em defesa a Bukayo Saka

O heptacampeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton, utilizou suas redes sociais para compartilhar um texto em em defesa do jogador Bukayo Saka, da...

Ministério da Igualdade Racial apresenta aprimoramentos da Lei de Cotas no Serviço Público em seminário na Câmara dos Deputados

Nesta terça-feira (11), a Diretora de Políticas de Ações Afirmativas, Layla Carvalho, representou o Ministério da Igualdade Racial no primeiro painel do Seminário Cotas no Serviço Público, na Câmara dos...
-+=