Professora Nilma Lino é a nova reitora da Unilab

Ministro da Educação empossou a acadêmica hoje, destacando que ela é a primeira mulher negra a assumir a direção de uma universidade federal. A solenidade na Sala de Atos do MEC, em Brasília, contou com a presença da ministra da Igualdade Racial, Luiza Bairros

Nilma Lino Gomes. (Foto: Sara Maia/O POVO)

A professora Doutora Nilma Lino Gomes foi empossada hoje (01/04) no cargo de reitora pro tempore da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – Unilab. A solenidade presidida pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, contou com a presença da ministra Luiza Bairros (Igualdade Racial), acadêmicos e amigos da nova reitora.

A nova reitora da Unilab, que é membro do Conselho Nacional de Educação (CNE) e docente da Universidade Federal de Minas Gerais, fez um discurso emocionado sobre o seu projeto de gestão. Entre os agradecimentos, destacou a sua mãe Maria da Glória Lino Gomes (84 anos), também presente no ato.

“A posse de Nilma Lino representa uma conquista pelo que existe de especial em sua trajetória e é muito importante para nós, brasileiros, e principalmente para nós, negros”, afirmou a ministra Luiza Bairros. Mercadante falou que a Professora Nilma Lino é a primeira mulher negra a assumir a direção de uma universidade federal e destacou avanços da questão étnico-racial no ensino superior. “Em 1997, os negros eram apenas 2% da população universitária. As iniciativas do governo federal como a Lei de Cotas está ajudando a reverter esse quadro de desigualdades”, afirmou o ministro, lembrando que 25% dos alunos do Programa Ciência sem Fronteira são negros.

Também participaram da solenidade a titular da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), Macaé Maria Evaristo dos Santos, do MEC, e o ex-reitor da Unilab, professor Paulo Speller, que informou sobre a expansão da universidade, que funciona no Campus da Liberdade, em Redenção, Ceará, e está sendo instalada no município de São Francisco do Conde, na Bahia. Speller passa a responder a partir de hoje pela Secretaria de Educação Superior do MEC.

Trajetória
Nilma Gomes possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1988), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1994), doutorado em Ciências Sociais (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo (2002) e pós-doutorado em Sociologia pela Universidade de Coimbra – Portugal (2006). Atualmente é professora associada do Departamento de Administração Escolar da Universidade Federal de Minas Gerais, Bolsista de Produtividade/CNPq, coordenadora-geral do Programa Ações Afirmativas na UFMG e do NERA – Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Relações Raciais e Ações Afirmativas. É conselheria do Conselho Nacional do Educação, onde integra a Câmara de Educação Básica. Tem experiência na área de Educação e Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: organização escolar, formação de professores para a diversidade étnico-racial, movimentos sociais e educação, relações raciais, diversidade cultural e gênero.

Coordenação de Comunicação da SEPPIR

 

Fonte: Seppir

+ sobre o tema

Educação e racismo no Brasil

A Relatoria do Direito Humano à Educação terá como...

Especialistas: professores não sabem lidar com sexualidade

Apesar de avanços sensíveis na formação dos profissionais de...

ENEM: Perguntas e respostas explicam notas do exame em cada área

Existe uma nota global do Enem? – Não, o...

para lembrar

O fator mascarado

Combatido nos discursos, o preconceito ainda está muito entranhado...

Resenha do livro: África e Brasil Africano para a sala de aula

Confira a resenha da autoria de José Alexandre da...

Exu não pode?

  Recentemente, um jornal carioca destacou o caso da professora...
spot_imgspot_img

Como a educação antirracista contribui para o entendimento do que é Racismo Ambiental

Nas duas cidades mais populosas do Brasil, Rio de Janeiro e São Paulo, o primeiro mês do ano ficou marcado pelas tragédias causadas pelas...

SISU: selecionados têm até quarta-feira para fazer matrícula

Estudantes selecionados na primeira chamada do processo seletivo de 2024 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) têm até quarta-feira (7) para fazer a matrícula...

Contra o racismo, educação

Algumas notícias relacionadas à temática racial chamaram a nossa atenção nesta semana. Uma delas foi a iniciativa de um grupo de entidades de propor...
-+=