Projeto mapeia profissionais LGBTQIA+ que atuam na área do audiovisual em Salvador

Enviado por / FonteCorreio

O banco de dados dará origem ainda a um documentário

O Projeto Película Colorida vai mapear profissionais LGBTQIA+ que atuam na área do audiovisual em Salvador. Objetivo é lançar um website com currículos e perfis de pessoas que trabalhem na área. O banco de dados dará origem ainda a um documentário.

Gratuitas, as inscrições começam na segunda-feira (24), vão até 25 de fevereiro e podem ser feitas por meio do link (clique aqui).

É do banco de dados que sairão alguns personagens para o documentário. A produção audiovisual vai promover um espaço de troca de conhecimentos, pluralidade de falas e representações, discutindo sobre diversidade de gêneros e sexualidades no campo da cultura, mais especificamente no mercado de produção audiovisual. O filme vai reunir depoimentos, registrar e documentar o protagonismo, atuação e vivências desses profissionais e será veiculado no canal do projeto no Youtube

Todo o processo pode ser acompanhado ainda pelas redes sociais, tanto no Facebook, quanto no Instagram: @peliculacolorida. O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura, Prêmio Cultura na Palma da Mão/PABB, via Lei Aldir Blanc, redirecionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

+ sobre o tema

Por quê criminalizar a Homofobia?

A maioria dos brasileiros assiste passivamente cenas diárias de...

‘Cura gay’ volta para Comissão de Direitos Humanos

O projeto de lei (PL) que prevê o tratamento...

Homofobia – ódio dos homossexuais

Comentando a Pergunta da Semana Por:Regina Navarro Lins A maioria das...

Casal transgênero tem ‘pai grávido’ nos Estados Unidos

Ambos não puderam arcar com as cirurgias de mudança...

para lembrar

Projeto resgata a história e a arte de mulheres negras gaúchas no cinema

“Um Mergulho por Mares Ainda Não Navegados” é o...

Jovens negras e indígenas terão cursos gratuitos de audiovisual

Jovens mulheres cis e trans negras, indígenas e refugiadas,...

Para produtores e diretores negros, fazer cinema no Brasil ainda é ‘uma guerra’

Exemplo do problema é personificado em Viviane Ferreira, segunda...
spot_imgspot_img

Filha mais velha de Obama, Malia está criando um curta-metragem na produtora de Donald Glover

Malia Obama, filha mais velha de Barack e Michelle, ex-presidente e ex-primeira-dama dos Estados Unidos, está avançando na carreira de cineasta. A jovem, de...

Jovens negras e indígenas terão cursos gratuitos de audiovisual

Jovens mulheres cis e trans negras, indígenas e refugiadas, na faixa etária de 18 a 29 anos, podem se inscrever até o próximo dia...

Da Black Rio à prisão na ditadura, Dom Filó quer criar a ‘Netflix negra’

De engenheiro civil, DJ, MC, produtor cultural, jornalista, apresentador e documentarista. "Tudo isso me define", conta Asfilófio de Oliveira Filho, o Dom Filó, aos...
-+=