Racista da Paulista pagará R$ 28.960 para cada uma de suas vítimas

 

Uma auxiliar jurídica aposentada da Aeronáutica foi condenada a quatro anos de prisão, em regime inicial semiaberto, e de 39 dias-multa, pela prática de injúria racial contra três pessoas. As ofensas ocorreram em dezembro de 2012, quando as vítimas faziam compras em galeria da Avenida Paulista. A mulher, conhecida como racista da Paulista,  também deverá pagar indenização de R$ 28.960, por danos morais, a cada uma das vítimas. A decisão é da juíza de Direito Giovana Furtado de Oliveira, da 24ª vara Criminal da Barra Funda/SP.

A primeira vítima disse que a aposentada a chamou de “macaca, negra imunda, favelada”. Outras duas pessoas, ao defendê-la, também foram ofendidas. Quando estava sendo conduzida para a delegacia, a aposentada pediu para ser levada até sua casa para tomar um remédio, trancou-se em casa e não saiu mais. A polícia não fez flagrante e o DP não registrou BO, o que foi feito somente dois dias depois. A mulher negou todas as acusações.

Em sua decisão, a magistrada salientou que “restou claramente demonstrado que a ré injuriou as três vítimas, ofendendo-lhes a dignidade, em razão da raça e da cor da pele delas, conduta que se amolda perfeitamente ao tipo penal previsto no artigo 140, § 3, doCódigo Penal“.

As provas coligidas nos autos demonstram, ainda, de acordo com a juíza, “a presença da causa de aumento de pena do artigo 141, inciso III, do Código Penal, na medida em que os fatos ocorreram na presença de diversas outras pessoas, tendo a ré proferido as ofensas em alto e bom som”.

“Nesse caso, a justiça foi feita. Certamente é uma vitória. Mas esse é apenas um caso entre muitos que acontecem diariamente no país”, destacou Carmen Dora de Freitas, presidente da Comissão de Igualdade Racial da OAB/SP, quem fez a denúncia ao MP.

De acordo com a presidente da comissão, existe um procedimento que foi aberto na seccional – ainda em fase de instrução e aguardando resposta de ofício – expedido para o comando da Aeronáutica, porque segundo as vítimas, a aposentada, ao ofendê-las, dizia que era “oficial” e que “eles não sabiam com quem estavam lidando”.

  • Processo: 0002641-54.2013.8.26.0050

Confira a íntegra da decisão.

 

Leia mais sobre o assunto:

Aposentada é condenada a quatro anos de prisão por racismo

Mulher racista continua solta na Av. Paulista: ‘Eu não gosto de negro. Negro é sujo. Deveria ser proibida a entrada deles aqui. Negro é imundo’

 

 

 

Fonte: JusBrasil e Migalhas

 

 

+ sobre o tema

O olhar do abuso: Vídeo mostra as faces do assédio sexual

  Em dezembro, uma adolescente indiana sofreu dois...

Estatuto do Nascituro prevê reconhecimento do filho pelo estuprador

    Bolsa estupro Dr. Rosinha, especial para o Viomundo Recentemente, participei de...

Ah, sim, dentro da caixa? Uma banana! por Gabi Porfírio

“Desiludida” pelo machismo “As feias que me...

para lembrar

Polícia vai indiciar funcionário de drogaria acusado de racismo no Rio

A Polícia Civil do Rio decidiu indiciar o...

Expulso, francês acusa brasileiro de chamá-lo de ‘macaco’ na Espanha

Expulso e suspenso por quatro jogos após carrinho...

Acusado de racismo, maquiador de Ronaldo Fraga se desculpa

Desfile da coleção do estilista colocou modelos com palha...

E como vai pagar? Pelo Facebook, Ellen Oléria denuncia que teria sofrido discriminação

A brasiliense contou, pelo Facebook, que o caso envolveu...
spot_imgspot_img

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...

‘Moro num país racista’, diz empresário que encerrou contrato de R$ 1 mi por ser chamado de ‘negão’

Nem o ambiente formal de uma reunião de negócios foi capaz de inibir uma fala ofensiva, de acordo com Juliano Pereira dos Santos, diretor...
-+=