Rede conecta profissionais negros ao mercado de trabalho

Fundada por jovens negros que enfrentaram – e ainda enfrentam – desafios em suas vidas profissionais, a Rede de Profissionais Negros-SP (RDPN) surgiu com o objetivo de incentivar a qualificação profissional e a inserção de profissionais negros em grandes empresas.

Do Finanças Femininas

“As nossas dificuldades foram as principais motivações para iniciar esse trabalho. Pois achávamos que os jovens negros que hoje atuam e que estão entrando no mercado de trabalho não deveriam passar pela mesma desigualdade”, explicam Lisiane Lemos e Wagner Cerqueira, membros do comitê de liderança.

Funcionários de grandes empresas, eles frequentemente ouvem de gerentes e recrutadores que a falta de profissionais negros no quadro de funcionários se deve à dificuldade em encontrar profissionais qualificados para preencherem esses cargos. Para eles, entretanto, “isso não é verdade e não serve mais como desculpa”.

“O fato de as multinacionais buscarem candidatos somente em universidades de ponta, ajuda a distanciar os jovens negros das vagas oferecidas. Ainda é fato que eles não têm grande representatividade nessas universidades, mesmo com ações afirmativas. E quando as empresas encontram, acabam alegando a falta de outras características que seriam ‘essenciais’ para as vagas, como fluência em idiomas e experiência comprovada.”

image-2

Para eles, é necessária a flexibilização de algumas exigências para que haja uma mudança efetiva no mercado de trabalho e na sociedade. Mas, apesar do cenário desafiador, enfatizam que a base da Rede conta com profissionais altamente qualificados e aptos a assumirem essas vagas.

Para as mulheres negras que lutam por seu espaço no mercado de trabalho, o desafio é duplo. “Há muitas mulheres que poderiam assumir posições de liderança: elas têm formação acadêmica de primeira linha, larga experiência e muita garra para o trabalho. Mas além de se depararem com um mercado de trabalho racista, ainda enfrentam o machismo desse ambiente”, explicam.

Diante das disparidades do mercado, a Rede busca facilitar a procura de recrutadores, conectar os profissionais negros e promover ações de qualificação, para que possam atender aos requisitos das vagas.

+ sobre o tema

Mais uma pessoa amarrada em poste. Mais um linchamento

Um homem de 29 anos foi linchado por moradores...

IBGE abre seleção para contratar 2.006 recenseadores em GO, PR, RJ, SC e SP

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)...

Esqueço não

Janaína de Almeida Teles, nascida em 1967, tem pedigree...

Defasagem salarial entre negros e brancos confirma acerto das cotas no serviço público

Avaliação é da ministra Luzia Bairros. Estudo do Dieese...

para lembrar

Avon lança Programa de Estágios EmpregueAfro

Processo seletivo está com as inscrições abertas até 16...

Sebrae abre edital Moda Afro

Descubra como seu posicionamento pode ser uma vantagem competitiva...

Google: apenas 30% dos funcionários são mulheres; 2% negros

Nós somos os primeiros a admitir, o Google está...

O inspirador legado de Betinho

O Brasil é realmente muito interessante. Sempre pensei em...
spot_imgspot_img

Registros de ansiedade entre crianças e jovens superam os de adultos pela 1ª vez no Brasil

Pela primeira vez na história, os registros de ansiedade entre crianças e jovens superam os de adultos, mostra análise da Folha a partir da Rede de Atenção Psicossocial...

Levantamento aponta crescimento da população de rua em São Paulo

Levantamento do Observatório Brasileiro de Políticas Públicas com a População em Situação de Rua revela aumento do número de pessoas vivendo nestas condições na...

Proposta de Geledés para empoderamento da mulher negra é retomada na ONU

Geledés - Instituto da Mulher Negra, em fala conjunta com as organizações Coalizão Negra por Direitos, Criola e Coletivo Danêji, conseguiu obter bons resultados...
-+=