Relatório da ONU diz que Brasil tem racismo institucional

‘Hierarquias raciais são culturalmente aceitas’, diz relatório.
Relatoras independentes visitaram o país em dezembro do ano passado.

O Brasil não pode ser chamado de democracia racial, mas é caracterizado por um “racismo institucional, em que hierarquias raciais são culturalmente aceitas”, segundo estudo publicado no dia 4 de setembro e que deverá ser aprovado pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU no dia 23 de setembro.

O documento foi produzido por Mireille Fanon-Mendes France e Maya Sahli, duas relatoras independentes escolhidas pela ONU, que visitaram o país entre 4 e 14 de dezembro do ano passado. Elas se reuniram com autoridades do governo em Brasília, Pernambuco, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro.

Segundo o documento, a participação dos afrodescendentes na economia nacional é de apenas 20% do PIB, apesar de representarem mais da metade da população do Brasil. O desemprego é 50% maior entre os “afro-brasileiros” do que entre os descendentes de europeus, enquanto a média salarial entre os afrodescendentes é de US$ 466, quase metade dos US$ 860 dos descendentes de europeus.

“O racismo permeia todas as áreas da vida, no entanto, tem sido difícil aos afro-brasileiros para levantar e discutir o assunto” já que ainda existe o “mito da decodracia racial” no país, diz o relatório. “Isso é frequentemente usado por políticos conservadores para descreditar ações afirmativas e políticas e leis direcionadas (aos afrodescendentes)”, acrescenta.

As relatoras também afirmam que notaram que o círculo de pobreza, habitação e educação inadequadas, oportunidades de emprego limitadas e desafios da justiça “continuam a afetar as vidas de afro-brasileiros em múltiplos níveis e os deixam marginalizados”. Segundo o documento, “a educação ainda é uma das maiores áreas de discriminação e uma das principais fontes de desigualdade”.

O relatório também conclui que uma lei que incrimine o racismo é um passo bem vindo para a luta contra o racismo a grupos marginalizados. “É importante que essa lei seja implementada completamente”, afirma.

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

Promotoria não denunciará policial que atirou contra homem negro em Wisconsin

A promotoria de Kenosha, no estado americano de Wisconsin,...

Denúncias de racismo na internet crescem 81% em 2014, aponta levantamento de ONG

Aumento foi observado na comparação entre os primeiros semestres...

Preconceituosos são menos inteligentes, diz estudo

O estudo revela que crianças com baixo QI estão...

Corregedoria do TJ-PR arquiva processo contra juíza que citou raça ao condenar réu negro

A Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR)...

para lembrar

‘Racismo é uma doença dos ignorantes’, dispara holandês Gullit

O ex-craque holandês Ruud Gullit compareceu nesta segunda-feira...

Diretoria de time rival pede desculpas a Roberto Carlos por ato racista

  Krylya Sovetov publicou comunicado oficial no site: 'a direção...

Primeira favela brasileira surgiu há 120 anos

Em 1897, aproximadamente 10 mil soldados voltaram da Guerra...
spot_imgspot_img

Prisão de torcedores deveria servir de exemplo para o futebol brasileiro

A condenação de três torcedores racistas na Espanha demonstra que, apesar da demora, estamos avançando em termos de uma sociedade que quer viver livre...

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...
-+=