‘Rock não é um gênero para o negro’ desde quando?

Em uma recente entrevista Seu Jorge fez o seguinte comentário ‘rock não é um gênero para o negro’, o mais engraçado disso é que minha adolescência inteira ouvi a mesma coisa, sou preta, ouvinte do bom e velho rock´n roll desde os 13 anos de idade, nunca morei em bairros “nobres” e o que ouvia dentro da periferia não me acrescentava. Nada contra o rap, hip hop, funk, samba, pagode, forró, simplesmente não gostava desses estilos.  Seu jorge e outros podem achar que o rock não tem voz dentro da periferia ou que para ser preto o suficiente você deve ouvir outros estilos musicais, eu não acredito nisso, e tenho certeza que não sou a unica.

Por Natália Sena para o Portal Geledés

Poderia ficar aqui escrevendo sobre como tudo começou, que o  termo rock ‘ n ‘ roll foi rastreado desde os anos 1920 na música negra , mas tornou-se o rótulo aceito para este gênero em desenvolvimento quando Cleveland, OH disc jockey Alan Freed começou a usá-lo para descrever o caráter do rhythm and blues ele tocou em seu programa de rádio em meados dos anos 50. . Little Richard , Fats Domino , Chuck Berry, Bo Diddley , e vários outros músicos cantor / compositor afro-americanos estavam entre os primeiros a transformar o som do rhythm and blues , introduzindo novos elementos musicais . Que Little Richard ( Richard Penniman ) substituiu o ritmo Shuffle R & B padrão popularizado no de Louis Jordan ” Caldonia” com uma batida mais rápida que veio a caracterizar “rock ‘n ‘ roll . ”

Mas ao invés disso vou falar de algumas outras bandas, músicos e cantores que contribuem com a cena.

Vamos  a lista:

Bad Brains:  Considerados os pioneiros do hardcore, os Bad Brains iniciaram a carreira em 1977, no inicio a banda tocava Funk e Jazz Fusion. Em 78 a banda foi apresentada para o Punk Rock, com vários shows, a banda rapidamente se tornam uma das bandas punk mais populares na costa oeste dos Estado Unidos, principalmente em sua cidade natal Washington DC. Ainda no começo, a banda ficou conhecida em Washington por ser formada apenas por integrantes afro-americanos, o que era uma certa novidade para a época e também pelas apresentações enérgicas e o talento dos músicos, que tocavam um hardcore mais complexo e bem trabalhado. Em 2013, os caras fizeram um show único em São Paulo que infelizmente não pude ir.

Derrick Green:  Em 1997  Derrick entrou para a banda Sepultura, como substituto do ex vocalista Max Cavalera.  Seu primeiro disco com a banda foi o Against, lançado em 1998.O cantor segue como lider da banda há mais de 15, anos.  Quem ouve a sua voz potente nos shows da banda de Metal não imaginaria que o cantor tambem se aventura no meio eletronico, em 2013 Derrick se apresentou com Maximum Hedrum no Rock´n Rio. Atualmente Derrick segue em turnê comemorando os 30 anos do Sepultura.


Jimi Hendrix:  Cobsiderado o melhor guitarista da História do Rock, Jimi enfluenciou e influencia musicos e cantores até hoje. Fãs de Jimi tem o privilégio de ainda ouvir musicas inéditas do cantor . Neste ano foi lançado Station Break, canção do  musico e cantor com parceria com os Curtis Knight and The Squires

Living Colour: No final dos anos 80 começo dos anos 90 a banda estorou com a musica Cult Of Personality, em 1989 a banda ganhou o Grammy de melhor interpretação de Hard Rock. O Living Colour se separou em 1995, mas se reuniu em 2000, aqui no Brasil a banda já tocou em grandes festivais o ultimo foi em 2013 no Rock in Rio ,
Little Richard: Em entrevista a revista  Rolling Stone Little disse: “Acho que meu legado deve ser tal que, quando comecei no show business, não havia o rock”, afirma Richard. “Era ‘balance com Sammy Kaye’. Era John Lee Hooker, Elmore James – e então, depois de um tempo, vem Chuck Berry. Quando comecei com ‘Tutti Frutti’ foi quando o rock realmente começou a sacudir, com ‘wop-bob-a-loo-bop-a-lop-bam-boom’, sabe?” Richard enuncia a frase de forma percussiva e levemente diferente da gravação original. “Quando encontro as pessoas hoje, elas não sabem.”, o cantor, compositor e pianista anunciou a aposentadoria em 2013 com 80 anos.

Kele Okereke: Vocalista da banda inglesa de Indie Rock Bloc Party,  há quem diga que é a melhor banda do gênero, Kele Okereke também tem um projeto solo em 2014 lançou o LP ‘Trick’.

Body Count: A banda de havy metal tem como integrante Ice-T,  seus álbum falam sobre diversos aspectos do racismo e da criminalidade em  Los Angeles (agora do Sul e  policiais corruptos.

Renato Rocha: Foi baixista da bada Legião Urbana e coautor de canções como “A Dança”, “Ainda É Cedo” e “Mais do Mesmo”, entre outras. Renato morreu no inicio de 2015

Clemente Nascimento: Um dos nomes mais importantes para cena punk rock nacional, Clemente atuou nas bandas Restos de Nada,  N.A.I e Condutores de Cadáver, atualmente é lider da banda Inocentes e guitarrista do Plebe Rude.

Planet Hemp: A banda carioca foi formada em 1993 por Marcelo D2 e  Skunk,  Planet Hemp se destacou entra as bandas nacionais por se posicionar pela legalização da maconha . Depois de um período separada a banda se juntou em 2010.

Lenny Kravitz: Kravitz sem duvida é um ótimo cantor , instrumentista, e arrisca nas telonas

Alexis Brown: Achou que não teriamos meninas nessa lista? Temos sim e uma com a voz mas potente que muitos caras por ai. Alexis Brown é vocalista da banda Straight Line Stitch.

Jennifer Arroyo: Baixista e ex-integrante da banda feminina Kittie


E ai? Ainda acha que não é coisa de preto?

+ sobre o tema

Cantora Aretha Franklin cancela mais três shows

A cantora de soul Aretha Franklin adiou mais três...

Destacada importância da literatura no processo de descolonização de África

Huambo – A importância da literatura no processo...

SEPPIR articula agendas de promoção da igualdade racial no Peru, Equador e Colômbia

Ministra Luiza Bairros aprofunda intercâmbio regional em missão até...

Precisamos conhecer o garotinho que literalmente SAMBOU na abertura das Olimpíadas

O garotinho que participou da cerimônia de abertura da...

para lembrar

spot_imgspot_img

Obrigada Shirley

É com muita tristeza que compartilhamos a notícia do falecimento da Shirley Villela, nossa companheira e amiga, tecedora da Redes da Maré, de 2013...

 Interprete da trilha sonora da novela Renascer, Xenia França participa do disco de José James

Vencedora do Grammy Latino de 2023 com seu disco "Em nome da Estrela" e intérprete da canção “Lua Soberana”, trilha sonora da novela Renascer...

NICHO 54 lança publicação inédita que investiga a história do Cinema Negro no Brasil 

Pesquisa que mapeou e consolidou dados sobre filmes produzidos por pessoas negras no Brasil de 1949 a 2022 encontrou 1.104 obras; 83% de toda...
-+=