Guest Post »
‘Rock não é um gênero para o negro’ desde quando?

‘Rock não é um gênero para o negro’ desde quando?

Em uma recente entrevista Seu Jorge fez o seguinte comentário ‘rock não é um gênero para o negro’, o mais engraçado disso é que minha adolescência inteira ouvi a mesma coisa, sou preta, ouvinte do bom e velho rock´n roll desde os 13 anos de idade, nunca morei em bairros “nobres” e o que ouvia dentro da periferia não me acrescentava. Nada contra o rap, hip hop, funk, samba, pagode, forró, simplesmente não gostava desses estilos.  Seu jorge e outros podem achar que o rock não tem voz dentro da periferia ou que para ser preto o suficiente você deve ouvir outros estilos musicais, eu não acredito nisso, e tenho certeza que não sou a unica.

Por Natália Sena para o Portal Geledés

Poderia ficar aqui escrevendo sobre como tudo começou, que o  termo rock ‘ n ‘ roll foi rastreado desde os anos 1920 na música negra , mas tornou-se o rótulo aceito para este gênero em desenvolvimento quando Cleveland, OH disc jockey Alan Freed começou a usá-lo para descrever o caráter do rhythm and blues ele tocou em seu programa de rádio em meados dos anos 50. . Little Richard , Fats Domino , Chuck Berry, Bo Diddley , e vários outros músicos cantor / compositor afro-americanos estavam entre os primeiros a transformar o som do rhythm and blues , introduzindo novos elementos musicais . Que Little Richard ( Richard Penniman ) substituiu o ritmo Shuffle R & B padrão popularizado no de Louis Jordan ” Caldonia” com uma batida mais rápida que veio a caracterizar “rock ‘n ‘ roll . ”

Mas ao invés disso vou falar de algumas outras bandas, músicos e cantores que contribuem com a cena.

Vamos  a lista:

Bad Brains:  Considerados os pioneiros do hardcore, os Bad Brains iniciaram a carreira em 1977, no inicio a banda tocava Funk e Jazz Fusion. Em 78 a banda foi apresentada para o Punk Rock, com vários shows, a banda rapidamente se tornam uma das bandas punk mais populares na costa oeste dos Estado Unidos, principalmente em sua cidade natal Washington DC. Ainda no começo, a banda ficou conhecida em Washington por ser formada apenas por integrantes afro-americanos, o que era uma certa novidade para a época e também pelas apresentações enérgicas e o talento dos músicos, que tocavam um hardcore mais complexo e bem trabalhado. Em 2013, os caras fizeram um show único em São Paulo que infelizmente não pude ir.

Derrick Green:  Em 1997  Derrick entrou para a banda Sepultura, como substituto do ex vocalista Max Cavalera.  Seu primeiro disco com a banda foi o Against, lançado em 1998.O cantor segue como lider da banda há mais de 15, anos.  Quem ouve a sua voz potente nos shows da banda de Metal não imaginaria que o cantor tambem se aventura no meio eletronico, em 2013 Derrick se apresentou com Maximum Hedrum no Rock´n Rio. Atualmente Derrick segue em turnê comemorando os 30 anos do Sepultura.


Jimi Hendrix:  Cobsiderado o melhor guitarista da História do Rock, Jimi enfluenciou e influencia musicos e cantores até hoje. Fãs de Jimi tem o privilégio de ainda ouvir musicas inéditas do cantor . Neste ano foi lançado Station Break, canção do  musico e cantor com parceria com os Curtis Knight and The Squires

Living Colour: No final dos anos 80 começo dos anos 90 a banda estorou com a musica Cult Of Personality, em 1989 a banda ganhou o Grammy de melhor interpretação de Hard Rock. O Living Colour se separou em 1995, mas se reuniu em 2000, aqui no Brasil a banda já tocou em grandes festivais o ultimo foi em 2013 no Rock in Rio ,
Little Richard: Em entrevista a revista  Rolling Stone Little disse: “Acho que meu legado deve ser tal que, quando comecei no show business, não havia o rock”, afirma Richard. “Era ‘balance com Sammy Kaye’. Era John Lee Hooker, Elmore James – e então, depois de um tempo, vem Chuck Berry. Quando comecei com ‘Tutti Frutti’ foi quando o rock realmente começou a sacudir, com ‘wop-bob-a-loo-bop-a-lop-bam-boom’, sabe?” Richard enuncia a frase de forma percussiva e levemente diferente da gravação original. “Quando encontro as pessoas hoje, elas não sabem.”, o cantor, compositor e pianista anunciou a aposentadoria em 2013 com 80 anos.

Kele Okereke: Vocalista da banda inglesa de Indie Rock Bloc Party,  há quem diga que é a melhor banda do gênero, Kele Okereke também tem um projeto solo em 2014 lançou o LP ‘Trick’.

Body Count: A banda de havy metal tem como integrante Ice-T,  seus álbum falam sobre diversos aspectos do racismo e da criminalidade em  Los Angeles (agora do Sul e  policiais corruptos.

Renato Rocha: Foi baixista da bada Legião Urbana e coautor de canções como “A Dança”, “Ainda É Cedo” e “Mais do Mesmo”, entre outras. Renato morreu no inicio de 2015

Clemente Nascimento: Um dos nomes mais importantes para cena punk rock nacional, Clemente atuou nas bandas Restos de Nada,  N.A.I e Condutores de Cadáver, atualmente é lider da banda Inocentes e guitarrista do Plebe Rude.

Planet Hemp: A banda carioca foi formada em 1993 por Marcelo D2 e  Skunk,  Planet Hemp se destacou entra as bandas nacionais por se posicionar pela legalização da maconha . Depois de um período separada a banda se juntou em 2010.

Lenny Kravitz: Kravitz sem duvida é um ótimo cantor , instrumentista, e arrisca nas telonas

Alexis Brown: Achou que não teriamos meninas nessa lista? Temos sim e uma com a voz mas potente que muitos caras por ai. Alexis Brown é vocalista da banda Straight Line Stitch.

Jennifer Arroyo: Baixista e ex-integrante da banda feminina Kittie


E ai? Ainda acha que não é coisa de preto?

Related posts