São Paulo autoriza matrícula sem o certificado do Enem

Medida visa evitar que estudantes que usaram o exame para substituir supletivo percam a matrícula em universidades

Aluno precisa de documento emitido pelo Estado com base no Enem, mas gestões Lula e Serra discordam sobre forma de transmissão dos dados

 

O Ministério da Educação e a rede de ensino de São Paulo anunciaram medidas para evitar que alunos que usaram o Enem para substituir o antigo supletivo percam a matrícula em universidades.
Para garantir a vaga, mesmo que tenha sido aprovado, o aluno precisa apresentar um certificado emitido pelo governo estadual com base em informações do Enem, que é aplicado pelo governo federal. As gestões Serra (PSDB-SP) e Lula (PT) discordam sobre a forma de transmissão dos dados.
Enquanto o impasse não é resolvido, o Conselho Estadual de Educação de São Paulo publicou uma portaria que permite que o estudante possa se matricular sem o certificado -apenas com o boletim impresso pela internet, que mostra o desempenho no Enem. A medida vale apenas no Estado.
Assim, o aluno poderá levar o documento após o prazo de matrícula das universidades.

Impasse
O Ministério da Educação afirmou que enviará automaticamente às secretarias as informações do aluno que manifestar interesse no certificado por meio do site http://sistemasenem2.inep.gov.br/Enem2009/. Em princípio, só ao final do prazo os dados serão enviados. A data fixada foi 31 de março -após o fim das matrículas em boa parte das universidade e da confirmação do ProUni.
A Secretaria da Educação de São Paulo pede o banco de dados com todos os alunos do Estado, para pesquisar os que querem certificado. Mas o MEC afirma que o banco é sigiloso e que só pode enviar os dados específicos dos alunos que manifestarem interesse.
Pela primeira vez, o Enem passou a servir como instrumento para conceder certificado equivalente ao diploma de conclusão do ensino médio. Para isso, o estudante deve ter mais de 18 anos e ter obtido pontuação mínima (400 na prova de conhecimentos gerais e 500 na redação).

Fonte: Folha de S.Paulo


CERCA DE 50 MIL FIZERAM ENEM SEM TER ENSINO MÉDIO

Cerca de 50 mil estudantes fizeram o Enem sem ter o ensino médio. Embora não haja dados oficiais sobre quantos deles pretendem usar o exame para entrar na faculdade, o contingente é formado por potenciais prejudicados pelo impasse. Até a semana passada, cerca de 200 alunos haviam procurado a Secretaria da Educação de SP para obter o certificado de conclusão do ensino médio com base no Enem.
Fonte: Folha de S.Paulo

 

+ sobre o tema

O Plano Nacional de Educação em disputa

Enviado para o Portal Geledés     Nina Madsen Está em disputa, no...

Governo suspende novas vagas do Pronatec, ProUni e Fies

Brasília - Uma das vitrines da área social da...

Lorrayne: ‘Espero que outros jovens tenham grandes oportunidades para se desenvolver’

Nossa campeã está de volta! Depois de arrasar na...

Educação em Portugal “não ultrapassou as desigualdades criadas pelo racismo”

A recém-criada Djass-Associação de Afrodescendentes organiza debate onde serão...

para lembrar

Lançamento – Coleção Educação e Relações Raciais: apostando na participação da comunidade escolar

Lançamento: Coleção Educação e Relações Raciais: apostando na participação...

Um trabalho pioneiro sobre gênero e escolarização no Brasil

Um tema recorrente neste blog é a interface entre...

Em 13 anos, número de professores com doutorado em universidades federais cresce 189%

Há 13 anos, apenas 20.711 docentes efetivos da carreira...

“Eles querem retirar a diversidade da escola”

Para a integrante do movimento que critica o Escola...
spot_imgspot_img

Faculdade de Educação da UFRJ tem primeira mulher negra como diretora

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana...

O que a proibição de livros nos diz sobre o futuro que nos aguarda

Reportagem da Agência Pública mostrou que existe um movimento coordenado para barrar a entrada de determinados livros no sistema prisional de Minas Gerais. Apenas títulos...

Encontro anual do SETA definiu ações e estratégias para uma educação antirracistae emancipatória.

Geledés - Instituto da Mulher Negra participou do planejamento anual Projeto SETA  (Sistema de Educação Por Uma Transformação Antirracista) em Paraty, Rio de Janeiro....
-+=