quarta-feira, dezembro 7, 2022
InícioQuestão RacialCasos de RacismoSecretária acusada de racismo contra médica é afastada no Paraná

Secretária acusada de racismo contra médica é afastada no Paraná

LUIZ CARLOS DA CRUZ CASCAVEL, PR (FOLHAPRESS) – Acusada por uma médica negra de proferir comentários racistas sobre seu cabelo, a secretária da Saúde de Santa Helena (619 km de Curitiba) foi afastada pelo prefeito Jucerlei Satoriva (PP), que determinou a abertura de uma sindicância para apurar a conduta da assessora. O edital do afastamento da secretária Terezinha Madalena Bottega foi publicado no “Diário Oficial” eletrônico do município no final da tarde desta terça-feira (24), após o Ministério da Saúde cobrar explicações da prefeitura sobre o caso. O ministério deu prazo de cinco dias para o município se manifestar. Caso contrário, a pasta informou que a prefeitura estará sujeita a sanções no âmbito administrativo do programa Mais Médicos, do qual a médica faz parte. Em uma reunião sobre o início do trabalho na cidade, Thatiane Santos da Silva, 30, ouviu da secretária municipal que seu cabelo exala um cheiro forte, que os pacientes estão acostumados a outro “padrão” de médicos e que ela poderia sofrer preconceito. A secretária disse à reportagem que “orientou” a médica sobre o risco de ela sofrer preconceito por parte de pacientes, mas negou ato de racismo. Na segunda-feira, o prefeito da cidade, que foi colonizada por alemães e italianos, havia dito que iria “acolher bem” Thatiane e que o comentário da secretária teve o objetivo de “proteger a médica”. Na portaria que instaurou a sindicância especial, o prefeito nomeou três servidores para apurar as denúncias. O prazo de conclusão dos trabalhos é de 15 dias úteis. A servidora Cleusinei Santos da Luz responderá interinamente pela secretaria de Saúde no lugar de Bottega. Procurada, a médica não quis comentar o afastamento da secretária. “A advogada me orientou a não me pronunciar. O que eu tinha de fazer como mulher negra era denunciar, e isso eu já fiz. Agora é aguardar”, afirmou.

Do Bem Paraná 

 

Leia Também:

Médica sofre racismo por usar dreads

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench