Seios achatados: uma tortura para que as meninas não virem mulheres

É uma prática tradicional e pouco investigada, feita em adolescentes da África Ocidental para evitar a atenção masculina

Por Lola Hierro, Do EL País

Foto de uma menina achatando os seios com uma fita
(Foto: Imagem retirada do site EL País)

“Naquela época eu estava no colégio. Uma manhã, minha mãe me acordou e pediu que eu fosse ao quarto dela. Disse-me que, agora que meus peitos tinham começado a crescer, havia uma prática para evitar que fossem enormes. Não sabia o que me esperava.” Este é o testemunho de Bettina Codjie, de 25 anos, natural de Lomé, a capital do Togo. Ela estuda de manhã e trabalha à tarde como encarregada de redes sociais numa empresa de comunicação digital. Também foi uma das meninas que tiveram os seios achatados no início da puberdade.

Múltiplas são as violências que sofrem as mulheres ao longo de sua vida: violações, mutilação genital, matrimônios precoces, exploração sexual e assassinatos talvez sejam as mais midiáticas, as mais denunciadas. Mas não as únicas. Um dos maus tratos invisíveis é o achatamento dos seios. Segundo a definição das Nações Unidas, é “a prática dolorosa de massagear ou golpear o peito das meninas com objetos quentes para suprimir ou reverter o crescimento destes”. Em inglês, é conhecida como breast ironing (passar o seio a ferro). Em alguns lugares se opta por bandagens compressivas.

É praticado principalmente em Camarões, mas também em outros países africanos… e até à Europa chegou. No começo de 2019, o jornal britânico The Guardian descobriu vários casos no Reino Unido e alertou que cerca de mil meninas migrantes e da diáspora se encontravam em risco, o que obrigou o Governo a emitir um comunicado recordando que isso é considerado uma violência contra os menores, punida pela lei.

Leia a matéria completa em EL País

+ sobre o tema

para lembrar

Mulheres gravam vídeo em solidariedade a Eleonora Menicucci

As deputadas Maria do Rosário (PT-RS) e Benedita da...

Sim, você tem direito a aplicabilidade da Lei Maria da Penha!

Alicerçada na fundamentação do princípio da Igualdade, a proteção...

Ecoa estreia blog da jornalista e escritora Bianca Santana

Ecoa estreia nesta terça-feira (5) o blog da jornalista...

Doutora Fátima de Oliveira, presente em nossa história e nossa luta

Fátima Oliveira, 63 anos, médica, feminista emancipacionista, escritora, avó...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=