Seminário Internacional sobre Dados Desagregados por Raça e Etnia da População Afrodescendente das Américas

 

por: Nilza Iraci

 

Aconteceu em Brasília, nos dias 23 e 24 de junho (antecedendo a II CONAPIR), o Seminário Internacional sobre Dados Desagregados por Raça e Etnia da População Afrodescendente das Américas que reuniu certa de 100 representantes de organizações da sociedade civil, universidades, organismos governamentais de estatísticas nacionais de diferentes países da América Latina, América Central e Caribe; representantes da CEPAL-CELADE e de agências das Nações Unidas de toda a região.

Este Seminário faz parte de um ciclo de debates e elaboração de propostas que permitam adotar metodologias de coletas de dados de afrodescendentes e indígenas nos Censos nacionais que acontecerão a partir de 2010. Dos 19 países latinoamericanos, apenas nove possuem base de dados sobre afrodescendentes, estendida também aos povos indígenas.

O Seminário de Brasília foi antecedido por outros  que aconteceram, a em novembro de 2008 no Chile (CEPAL), em dezembro de 2008 (Colômbia, organizado pela Organização Panamericana de Saúde), e em Porto Rico (Águas Calientes).  O objetivo de todos esses Seminários era o de articular ações nos diferentes países, para que se cumpram os Planos de Ação de Santiago e de Durban, de modo a se produzir estatísticas confiáveis acerca das populações afrodescendentes e indígenas.

O Seminário de Brasília, encerrado neste dia 24 de junho, criou um grupo de trabalho com representantes de diferentes páises, sendo três representantes do Brasil (Marcelo Paixão, Wania Sananna e Maria Inês Barbosa, responsável pela organização deste Seminário) que terá a tarefa a ser desenvolvida nos próximos seis meses de apresentar informações, estudos e articular os diferentes organismos envolvidos com os Censos para que se elaborem em cada país metodologias capazes de contar adequadamente as populações afrodescendentes e indígenas. Esta tarefa, que em muitos países encontra fortes resistências governamentais, se apoiará na experiência brasileira de crescente produção de dados desagregados por cor/ raça e etnia.

Em anexo, as apresentações em Power point da/os especialistas nas mesas do Seminário.

{rsfiles path=”raca-e-etnia” template=”default”}

+ sobre o tema

Bolsonarismo ataca democracia de todas as formas

O risco democrático que o bolsonarismo representa não se...

Abolicionismo do século 21

Por: Edson França Completamos no dia 13 de...

O que pensa o ministro Arthur Chioro sobre a saúde da mulher – por: Fátima Oliveira

Preocupada com o silêncio sepulcral do novo ministro da...

Senador republicano adere a Obama

Folha de São Paulo quarta-feira, 29 de abril de...

para lembrar

Predominantes na classe C, negros movimentaram R$ 760 bilhões em 2012

De cada 100 pessoas que entraram na classe C...

Americanos elegem primeiros deputados muçulmanos e indígenas

Primeiro governador abertamente gay foi outro marco; social-democrata Alexandria...

Kanye West é bom apesar das polêmicas que cria

Kanye West entrou para o hall dos encrenqueiros...

Michelle Obama cria conta no Twitter e posta foto com novo visual

Michelle Obama resolveu comemorar seu aniversário de 49 anos, nesta...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=