Seminário regional discute ensino da história e cultura afro-brasileira nas escolas

Os desafios e perspectivas da lei 10.639 – instituída em 2003 na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e que estabelece a obrigatoriedade do ensino sobre história e cultura afro-brasileira no ensino fundamental e médio de escolas públicas e privadas – são os focos de discussão de seminário regional realizado pela gerência de Diversidade da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEE) em homenagem aos dez anos da implantação.

Divulgação

O encontro, direcionado para gestores, pesquisadores e educadores de escolas públicas do Nordeste, teve início nesta quinta (3) e se estende até a próxima sexta (4), no auditório do Centro de Formação Ib Gatto Falcão, no Cepa.

Segundo o historiador e técnico pedagógico da SEE, Zezito de Araújo, as discussões que cercam o tema incluem perspectivas de gestão escolar no âmbito da lei, avaliações do modo como o tema está inserido no ambiente escolar, a importância da participação dos movimento sociais nas conquistas da luta do negro, além de uma troca de experiência por relatos dos participantes de diferentes estados da região. A intenção, de acordo com Zezito, é construir um documento conjunto que possibilite nortear diversas ações propostas no encontro, de forma que a lei seja aplicada com maior eficácia.

Contribuição

Para o historiador, a introdução da história do negro nas escolas “A introdução da história do negro nas escolas contribui para a mudança na percepção acerca da história do Brasil, que está intimamente ligada à história do negro. Coloca a população negra como sujeito ativo na história dos movimentos sociais no País e no mundo, traz para a sala de aula a discussão étnico racial, denunciando o mito da democracia racial presente nos livros e nas relações sociais”, explica o historiador.

Estavam presentes no primeiro dia do evento gestores dos municípios de Penedo, Teotônio Vilela, Arapiraca, Delmiro Gouveia, União dos Palmares, Maragogi e Maceió, além de gestores estaduais de Sergipe, Piauí e Bahia. Também participaram do encontro professores da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) e Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Fonte: Aqui Acontece

+ sobre o tema

para lembrar

Morador de rua e catadora passam em concursos e servem de inspiração

Acreditar, estudar e mudar de vida. A fórmula pode...

Conselho Tutelar e as Modificações proporcionadas pela lei n. 12.696/2012

Luiz Antonio Miguel Ferreira Com a vigência da Lei n....

Comissão Interamericana alerta para piora dos direitos humanos no Brasil

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) fez um...

Semana de Ação Mundial: Diferenças sim, desigualdades não!

  Diferenças sim, desigualdades não! Semana de Ação Mundial 2011 De 2...
spot_imgspot_img

Geledés publica boletins sobre a Primeira Infância nos estados brasileiros

Geledés Instituto da Mulher Negra está realizando as ações da segunda etapa do projeto “Primeira Infância no Centro: garantindo o pleno desenvolvimento infantil, uma...

PL do novo PNE apresenta avanços em equidade e dá primeiro passo em financiamento, mas precisa de melhorias estruturais e traz também retrocessos

O Projeto de Lei (PL) nº 2.614/2024, que prevê um Plano Nacional de Educação (PNE) para o período de 2024-2034, apresenta avanços relacionados à...

Jovens cientistas receberão apoio de mais de R$ 21 milhões para pesquisas   

O Instituto Serrapilheira anunciou, nesta quarta-feira (26), os 33 pesquisadores selecionados em dois editais que vão injetar mais de R$ 21 milhões em ciência no Brasil. Uma...
-+=