SISU: Ainda desconhecida, 2ª edição de seleção via Enem começa amanhã

5 instituições aderiram ao Sisu, das quais 8 novas; serão ofertadas mais de 15 mil vagas

Etapa única de inscrição vai de 10 a 14 de junho; serão três chamadas, nos dias 17 e 26 de junho e a última em 7 de julho

 

Nos corredores dos cursinhos de São Paulo, é raro encontrar quem responda, de bate-pronto, o que é Sisu.
A segunda edição do Sistema de Seleção Unificada do MEC (Ministério da Educação), com o qual instituições federais selecionam seus calouros, abre inscrições amanhã, mas continua desconhecida do grande público.

O vestibulando Guilherme Silva, 18, que quer fazer relações internacionais, sabe pouco a respeito. Ele fez intercâmbio de um ano na Alemanha no ano passado. Descobriu o Sisu vendo notícias na internet “porque gostava de ler jornais brasileiros”.

Ele gostaria de se inscrever no meio do ano, mas não pode porque não fez o Enem 2009. “Não recebi informações nem na escola nem no cursinho”, diz Guilherme.

Até quem é mais familiarizado com o sistema enfrenta problemas por não saber quais instituições vão participar nem quais serão os cursos ofertados.

Desconhecimento justificável: a lista de instituições e cursos poderá ser consultada apenas amanhã, quando o sistema entra no ar.
“Ainda não sei para onde poderei tentar”, diz Jhony Gonçalves, 21, que faz vestibular para medicina e se inscreveu no Sisu no início do ano. “A maioria das instituições já preencheu as vagas.”

Jhony está certo. De acordo com Maria Paula Dallari Bucci, secretária de Educação Superior do MEC, menos da metade das instituições que participaram da primeira edição do Sisu vão abrir processo seletivo agora no meio do ano.

Segundo a secretária, dados preliminares apontam que 35 instituições participam deste Sisu. Dessas, oito são adesões novas. Ao todo, oferecerão mais de 15 mil vagas, o que supera a expectativa do ministério.

No início do ano, 52 instituições participaram do sistema e havia mais de 47 mil vagas disponíveis.

RODADA ÚNICA
A maior diferença entre a edição do início do ano e a que começa amanhã está no número de rodadas. Agora, o candidato terá apenas um período para se inscrever, ao contrário dos três que teve em janeiro e fevereiro.

A justificativa do MEC para a alteração é que a medida acelera o processo de convocação de aprovados e atende às reivindicações das universidades (leia mais na pág. 6).

Como na primeira edição, o aluno poderá mudar de opção de curso enquanto as inscrições estiverem abertas.

Cada candidato pode escolher dois cursos. Diariamente, ele poderá consultar a nota mínima exigida para obter a vaga pretendida.

O MEC fará três convocações: 17 e 26 de junho e 7 de julho. A chamada da lista de espera será em 19 de julho.

Fonte: Folha de São Paulo

+ sobre o tema

Bolsista do ProUni convida Lula para festa de formatura

A estudante de jornalismo Rita Correa Garrido, de 26...

UNEafro abre inscrições para cursinho

UNEafro abre inscrições para cursinho VAGAS ABERTAS 2017 Você quer ser...

Universitários brasileiros são brancos, moram com os pais e estudam pouco

Pesquisa traçou perfil do estudante que cursa os últimos...

Como a Academia se vale da pobreza, da opressão e da dor para sua masturbação intelectual

Texto originalmente publicado em RaceBaitR como “How Academia Uses...

para lembrar

Obra infanto-juvenil em inglês aborda preconceito racial

Lançamento do livro “The Black Butterfly” (A borboleta Preta), de...

Educação física, arte, sociologia e filosofia ficam no Ensino Médio

A Câmara dos Deputados decidiu incluir na reforma do...

Nova Zelândia oferece bolsas de estudo para brasileiros; veja como participar

Quem sempre teve o sonho de estudar no exterior,...

A crítica de Marcien Towa às doutrinas de identidade africana

O presente trabalho propõe tematizar a crítica que o...
spot_imgspot_img

Faculdade de Educação da UFRJ tem primeira mulher negra como diretora

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana...

O que a proibição de livros nos diz sobre o futuro que nos aguarda

Reportagem da Agência Pública mostrou que existe um movimento coordenado para barrar a entrada de determinados livros no sistema prisional de Minas Gerais. Apenas títulos...

Encontro anual do SETA definiu ações e estratégias para uma educação antirracistae emancipatória.

Geledés - Instituto da Mulher Negra participou do planejamento anual Projeto SETA  (Sistema de Educação Por Uma Transformação Antirracista) em Paraty, Rio de Janeiro....
-+=