SOS Racismo satisfeita com condenação de Mário Machado

A associação SOS Racismo congratulou-se hoje com a condenação de Mário Machado por difamação agravada da procuradora Cândida Vilar, considerando o veredicto “um sinal de que os crimes de ódio começam a ser punidos”.

 

 

Mário Machado foi hoje condenado a oito meses de prisão efetiva por difamação agravada da procuradora Cândida Vilar, tendo anunciado que vai recorrer da sentença e assegurado que voltaria a escrever o mesmo texto em que ameaça a magistrada.

Reagindo à agência Lusa, o presidente da SOS Racismo, José Falcão, revelou-se satisfeito com o acórdão, considerando-o “um sinal de que os crimes de ódio começam a ser punidos” em Portugal.

José Falcão lembrou que Mário Machado, dirigente da Frente Nacional e líder do movimento Hammerskins em Portugal, foi condenado por um crime contra a magistrada que coordenou as investigações relacionadas com discriminação racial no qual estava implicado.

A magistrada do Ministério Público Cândida Vilar foi responsável pela condução da investigação do processo de Mário Machado e outros 35 skinheads relacionado com discriminação racial, coação agravada, detenção de arma ilegal, ameaça, dano e ofensa à integridade física qualificada.

Mário Machado, que esteve em prisão preventiva decretada por Cândida Vilar, foi condenado em outubro de 2008 a quatro anos e dez meses de prisão efetiva, pena que ainda não transitou em julgado.

A condenação de hoje, da qual o nacionalista vai recorrer, surge depois de ter escrito um texto, inserido na Internet por Bruno Almeida, o outro arguido, que foi absolvido, em que apelava aos “companheiros nacionalistas” para que “não esquecessem” a procuradora.

O tribunal decidiu absolver, no entanto, Mário Machado dos crimes de ameaça e instigação à prática de crime.

Mário Machado foi condenado por envolvimento no homicídio de Alcino Monteiro, português de origem cabo-verdiana, agredido até à morte por um grupo de skinheads no Bairro Alto, em Lisboa, na noite de 10 de Junho de 1995.

 

Fonte: PÚBLICO

+ sobre o tema

“A música corajosa de um tambor distante”

Há factos em nossas vidas que podem suscitar novas...

Racismo e machismo saem do armário ante o próximo casamento real

O mundo todo ainda está falando do mais recente...

‘Lá nunca mais volto’ – SEU JORGE sofre racismo na Itália – áudio

Entrevista concedida ao produtor Van Damme, da Beat98 Seu...

Vítimas: inversão e banalização

A questão das vítimas é das mais delicadas. Nunca...

para lembrar

Associação de magistrados apoia juiz que não considera candomblé religião

Entidade diz que críticas ao juiz Eugênio de Araújo...

O preço do sucesso para os negros

O episódio lamentável do esdrúxulo caso de racismo cometido...

Por 10 a 1, STF aprova divisão igual de tempo e verba em 2020 para negros

Por 10 votos a um, o STF (Supremo Tribunal...
spot_imgspot_img

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...

Presos por racismo

A dúvida emergiu da condenação, pela Justiça espanhola, de três torcedores do Valencia por insultos racistas contra Vini Jr., craque do Real Madrid e da seleção brasileira. O trio...
-+=