Sudão criminaliza mutilação genital feminina

Enviado por / FontePor France Presse, no G1

O Conselho Soberano, máxima autoridade do governo do Sudão, aprovou nesta sexta-feira (10) uma lei que criminaliza a mutilação genital feminina, prática ancestral muito usada no país, anunciou o Ministério da Justiça.

O Conselho, integrado por autoridades militares e civis, aprovou uma série de leis, entre elas a que tipifica como crime a mutilação feminina, prática que “atenta contra a dignidade da mulher”, segundo o comunicado do ministério.

Em maio passado, o governo havia votado uma emenda ao código penal que condena a até três anos de prisão e multa quem adotar a prática. “A mutilação dos genitais da mulher passa a ser considerada crime e qualquer pessoa que a praticar será condenada a até três anos de prisão”, assinala o texto da lei. A clínica ou local onde a mutilação for realizada poderão ser fechados.

O anúncio é feito mais de um ano após a queda, em abril de 2019, do regime de Omar el Beshir, sob pressão de uma revolta popular. Ele governou o país durante 30 anos, após um golpe de Estado liderado por islamitas, e havia descartado um projeto de lei contra a mutilação em 2015.

As mulheres sudanesas tiveram um papel de destaque na revolta, que levou, após a queda de Beshir (atualmente preso), à formação, em agosto de 2019, de um governo de transição para um poder civil.

+ sobre o tema

Denúncias de violência contra a mulher em São Luís batem recorde em 2018

"Não é necessariamente que a violência está aumentando, mas...

Projeto de hip-hop aborda violência contra mulher indígena

 Com a proposta de estimular discussão sobre temáticas socioculturais...

Arrependido, homem confessa feminicídio espontaneamente

Homem de 64 anos procurou delegacia em Sinop e...

Mulheres organizam ato para discutir meios de combater o feminicídio no DF

Assembleia está marcada para o próximo sábado (26/10), às...

para lembrar

Nos EUA, meninas africanas relembram dor da circuncisão

Motivo de preocupação de direitos humanos no exterior, mutilação...

Docente destaca contributo da mulher africana em prol do seu desenvolvimento

Luanda - A professora do Instituto Superior Politécnico Atlântida,...

ONU aprova resolução condenando mutilação feminina

Brasília – A Assembleia Geral da Organização das Nações...
spot_imgspot_img

Médica luta há 30 anos contra mutilações genitais em meninos na África do Sul

Mesmo sendo criticada e ameaçada, a médica Mamisa Chabula-Nxiweni, de 72 anos, continua relatando os danos causados pelas circuncisões de rituais tradicionais impostas aos...

Menina de dez anos morre na Somália após mutilação genital

Morreu devido a uma hemorragia. A Somália tem uma das taxas mais altas desta prática que não é punida criminalmente no país. Do Público  Na Somália...

Em decisão histórica Nigéria oficializa a proibição da mutilação genital feminina

A mutilação genital feminina na Nigéria é um tema que está em voga há algum tempo. De um lado estão os defensores a manutenção de...
-+=