Tag: abolição da escravatura

Foto: Getty Images/Via BBC

14 de Maio: o dia depois da abolição da escravatura

Ontem foi o aniversário de 133 anos da abolição da escravatura no Brasil. Segundo recente reportagem do Estadão, a população negra (preta e parda) residente no país é de 119 milhões de pessoas, ou 56% da população nacional. Antes de qualquer outra coisa, quero deixar nítido que a história negra não se resume ao escravismo colonial. De Timbuktu, no Mali, até as pirâmides do Egito e Sudão, nossos ancestrais desenvolveram refinada cultura. Os africanos estão na história universal! Negros construíam pirâmides a partir de elevado conhecimento matemático, mas também desenvolveram e desenvolvem pensar filosófico. Inclusive há diversos autores que mostram a relação do pensamento grego com a filosofia egípcia. Assim, a Grécia antiga não é um indício de genialidade europeia. Foi uma expressão cultural do fluxo de informações e diálogo filosófico entre os helênicos e povos afroasiáticos. A Hélade passa a estar culturalmente na Europa a partir da conquista romana. ...

Leia mais
(crédito: Gomez)

Artigo: 13 de maio, Dia da (NÃO) Abolição da Escravatura

O 13 de maio de 1888, apesar de marcar a data oficial do fim da escravatura no Brasil, na verdade, deu início à fantasiosa noção de que os negros seriam inseridos em uma sociedade que os trataria com dignidade e em condições meritocratas iguais às concedidas aos brancos. Conforme sabido, a experiência brasileira demonstra que as ditas circunstâncias igualitárias nunca ocorreram de fato no Brasil, e isso independe da classe social. No cenário nacional, o que se observa hodiernamente é justamente um mascaramento das discrepâncias entre as raças, a partir do mito da democracia social, em vez que os dados oficiais são acometidos pela supressão do quesito “raça”, em prol de uma análise econômico-social turva e das falácias em torno da miscigenação, como rito fundante de uma sociedade socialmente isonômica. Assim, falar em abolição da escravatura no Brasil, envolve falar, necessariamente, de figuras negras que estiveram à frente do movimento ...

Leia mais
Bianca Santana, jornalista, cientista social e pesquisadora - Foto: Bruno Santos/Folhapress

Treze de maio nas ruas

No papel, e só no papel, foi abolida a escravidão negra naquele 13 de maio de 1888. Já havia uma maioria de pretos livres. E direitos mesmo não foram garantidos a pessoas negras até hoje. No futuro, imagino que olhem para os nossos dias como pós-abolição; 132 anos são muito pouco perto dos quase 400 de escravização. Corpos negros ainda não são considerados humanos. Não deu tempo. Tempo, nkisi sobre o qual já escrevi por aqui, ontem foi celebrado na live de lançamento de “Continuo Preta: a vida de Sueli Carneiro”. De forma generosa, no bate-papo entre nós duas, Sueli Carneiro afirmou que eu era uma fazedora de tempos, por ter escrito o livro em meio a outras atividades. Levantou a bola para que eu pudesse contar que, na verdade, eu dançava com Tempo. E fazia oferendas a ele, normalmente com mel, pipoca, fumo. Hoje, com palavras. Para isso, peço ...

Leia mais
Batalha pela abolição já ocorria nas províncias brasileiras anos antes da assinatura da Lei Áurea, e reunia escravos, negros libertos, pessoas da classe média e da alta sociedade Imagem: ANDRÉ VALENTE | BBC BRASIL)

Muito além da princesa Isabel, 6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

A decisão veio após mais de três séculos de escravidão, que resultaram em 4,9 milhões de africanos traficados para o Brasil, sendo que mais de 600 mil morreram no caminho. Mas a abolição no Brasil está longe de ter sido uma benevolência da monarquia. Na verdade, foi resultado de diversos fatores, entre eles, o crescimento do movimento abolicionista na década de 1880, cuja força não podia mais ser contida. Entre as formas de resistência, estavam grandes embates parlamentares, manifestações artísticas, até revoltas e fugas massivas de escravos, que a polícia e o Exército não conseguiam - e, a partir de certo ponto, não queriam - reprimir. Em 1884, quatro anos antes do Brasil, os Estados do Ceará e do Amazonas acabaram com a escravidão, dando ainda mais força para o movimento. A disputa continuou no pós-libertação, para que novas políticas fossem criadas destinando terras e indenizações aos ex-escravos - o ...

Leia mais

Mobilização,Consciência de Raça e Gênero,Rumo aos 130 anos da Abolição

O Brasil, é a segunda maior população negra fora de África, e de acordo com o IBGE 2017, conta com uma população de 207,7 milhões, sendo este de maioria mulheres, em um percentual de 51,8%, dentre elas maioria negra. Ainda assim estamos condicionadas as piores relações, e condições de trabalho, salários, moradia, saúde, mobilidade urbana e acesso à cultura em termo de produção, execução, e ou conhecimento. Por Mônica Custódio*, do Portal Vermelho  Nestes últimos 130 anos houveram mudanças substanciais, na formação sócio cultural, econômica e histórica de nosso país, da Abolição a Constituinte de 1988, essas mudanças se evidenciaram em várias formas de expressão, como simbolismo da resistência, à afirmação da identidade negra. Com tudo isso a população negra, independente do sexo, recebe 50% menos na sua remuneração que a não negra, quando se inclui o recorte gênero a situação fica ainda mais alarmante. A remuneração de duas mulheres ...

Leia mais

Aos 129 anos de abolição, ainda buscamos a eliminação do racismo

Aos 129 anos de abolição, ainda buscamos a eliminação do racismo e de todas as barreiras que impedem o desenvolvimento da população negra e a equiparação de direitos, seja via ações afirmativas, educação das relações étnico-raciais por meio do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana nas escolas, seja pela pesquisa sobre o sofrimento psíquico de pessoas negras expostas ao racismo e propostas e de atendimento psicológico. no Conselho Regional de Psicologia de São Paulo - CRP SP #PraCegoVer: vídeo com imagens que retratam o período da escravidão no Brasil, imagens de moradias em comunidades, publicações do CRP SP e o texto “A abolição da escravatura não significou a extinção das relações escravocratas constituídas ao longo dos mais de 350 anos de escravidão no Brasil. O silenciamento, a indiferença, a violência real e simbólica, as práticas discriminatórias e preconceituosas do racismo explícito, são heranças desse período. A falta de moradia ...

Leia mais

Estudantes da rede pública aprovam debate sobre abolição da escravatura

Em parceria com a Ufal, ação visa despertar um olhar crítico nos estudantes da rede estadual sobre o processo Aluna Samara Maria da Silva, da Escola Maria José Loureiro, afirma ter sido vítima de racismo(Foto: Valdir Rocha) Por Lucas Leite Do Agencia Alagoas Estudantes da rede pública estadual participam e aprovam debate promovido pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) sobre os 129 anos da abolição da escravatura no Brasil, comemorado no dia 13 de maio. O evento, realizado no auditório da 13ª Gerência Regional de Educação (Gere), no Farol, acontece até a quinta-feira (11) e conta com a parceria com a Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Para o estudante da Escola de Ensino Integral Princesa Isabel, que homenageia a monarca que assinou a Lei Áurea, que pôs fim à escravidão, a iniciativa da Seduc e da Ufal é de extrema importância. Foto: ...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

No Content Available

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist