Tag: cantoras líricas

    Imagem: mariadapparecida.eu

    Maria d’Apparecida cantora lírica brasileira ganha biografia

    A história de Maria d’Apparecida tinha tudo para se transformar em livro. Nascida em São Paulo e criada no Rio de Janeiro, dona de uma carreira internacional de dar inveja para os padrões da época, ela superou seus traumas, enfrentou o racismo e conquistou o exigente mundo da música lírica na Europa. por Adriana Brandão no RFI Imagem: mariadapparecida.eu Filha de uma empregada doméstica, fruto de uma relação com o filho da patroa, ela perdeu sua mãe ainda criança e foi criada por uma família que a educou nos melhores colégios do Rio de Janeiro, aprendendo piano e francês. A paixão pela música a levou ao conservatório carioca, mas o Brasil dos anos 1950 não estava pronto para acolher uma cantora lírica negra. “Ela não pode fazer carreira no Brasil e, como tinha ganho um prêmio na Itália, decidiu tentar carreira na Europa em 1959”, conta Mazé ...

    Leia mais
    blank

    A mezzo soprano Josy Santos, é uma das artistas do 4º festival Música em Trancoso

    A mezzo soprano Josy Santos, uma das grandes artistas do 4º festival Música em Trancoso. Criada na cidade litorânea paulista de Caraguatatuba, a baiana Josy Santos, de 26 anos – que em 2012 foi bolsista do Mozarteum Brasileiro em Frankfurt (Alemanha) – é hoje considerada uma das grandes revelações do canto lírico como mezzo soprano.  Em estreia no festival Música em Trancoso em 2014, destacou-se entre as atrações na terceira edição do evento, no qual também ministrou uma masterclass de canto para músicos em formação. do Baobá Comunicações via Guest Post  para o Portal Geledés Para este ano, a mezzo soprano volta a se apresentar no grandioso festival de oito dias organizado pelo Mozarteum Brasileiro, no Teatro L’Occitane - Trancoso. O 4º festival Música em Trancoso ocorrerá de 7 a 14 de março de 2015 e, no segundo dia da programação, a noite Tango Meets Samba brindará o público com um encontro de duas linguagens musicais distintas. O ...

    Leia mais
    blank

    Orquestra Afrosinfonica convida Vozes Negras

    O Espaço Cultural da Barroquinha contempla um extenso histórico em fomentar arte, desde a sua criação em 2009. Diversos artistas e projetos já ecoaram nas históricas paredes barrocas do que já foi a Igreja e um terreiro de candomblé. No último dia 08 de maio, o espaço, que estava fechado para reformas, reabriu as suas portas com muita comemoração e  alegria da classe artística e do público presente. Para ratificar a dinamização desse importante equipamento cultural para Salvador, a Fundação Gregório de Matos e a Orquestra Afrosinfônica apresentam o projeto Vozes Negras, que convida representativas e belas vozes da música negra, para dividir palco com a Orquestra.Para o dia 16.05, a Afrosinfônica integra a musicalidade da cantora Mariella Santiago, que entoará composições sua rearranjadas para orquestra e levará uma surpresa de possibilidade às suas composições com nova roupagem. Dia 22.05 é a vez de Marcia Short, que promete promover um ...

    Leia mais
    Jessye Norman

    Jessye Norman

    Jessye Norman nascida em Augusta, Georgia, em 15 de setembro de 1945, é uma das mais admiradas cantoras de ópera e recitalistas contemporâneas, bem como uma das mais bem pagas artistas que se dedicam à música clássica. Soprano dramático, com majestosa presença de palco, Jessye Norman associa-se em particular aos papéis de Aida, Cassandra, Alceste e Leonora, em Fidelio. Ela é conhecida pelas qualidades diretas e emocionalmente expressivas de seu canto e por sua excepcional compreensão intelectual da música e de seu estilo, bem como por sua formação musical de primeira categoria. Como intérprete, destaca-se por sua personalidade magnética e, com sua imponente presença física, causa profunda impressão nas platéias. De acordo com o crítico Curt Sanburn, na revista Life, Jessye Norman cria, no palco, a percepção de alguém que "avulta verdadeiramente por detrás de seu canto". Seu comportamento, em público, é uma mescla de aparente distância e desconcertantes explosões ...

    Leia mais
    blank

    Kathleen Battle

    Kathleen Battle nasceu em 13 de agosto de 1948 em Portsmouth, Ohio, Estados Unidos. É uma soprano conhecida por sua voz ágil, ligeira, e seus tons puros. Inicialmente abordou o repertório de concertos, por meio de apresentações com importantes orquestras, durante o início e meados da década de 1970. Estreou na ópera em 1975. Expandiu seu repertório, cantando papeis de soprano ligeiro e soprano coloratura durante os anos oitenta e parte dos anos noventa. Embora já não participe mais de óperas, mantém-se ativa em concertos e recitais. Seu repertório abrange um vasto conjunto de músicas, incluindo a música clássica e o jazz. Após formar-se no Colégio-Conservatório de Música, na Universidade de Cincinatti, dedicou-se ao ensino da música numa escola pública. Após participar de um teste, o regente Thomas Schippers a contratou como solista do Ein deutsches Requiem, de Brahms, no Festival dei Due Mondi em Spoleto, Itália, em 1972. Sua ...

    Leia mais
    Barbara Hendricks

    Barbara Hendricks

    Barbara Hendricks nasceu em 20 de novembro de 1948 em Stephens, Arkansas, Estados Unidos. Soprano, apresenta-se também em concertos. É conhecida por sua atuação como ativista dos direitos humanos. Tornou-se cidadã sueca. Sua estréia profissional, na ópera, ocorreu no Festival de Glyndenbourne e, nos Estados Unidos, na Ópera de San Francisco. Durante sua carreira cantou nos principais teatros de ópera do mundo inteiro, incluindo a Ópera de Paris, Metropolitan Opera, Royal Opera House, em Covent Garden, e La Scala, em Milão. Em 1998 cantou o papel de Liu na histórica encenação da ópera Turandot, na Cidade Proibida, em Pequim. Barbara Hendricks interpretou mais de vinte papéis, doze dos quais gravou. Ela também se dedica ao jazz e participou do Festival de Jazz de Montreux, Suíça, em 1994. Desde então vem participando de importantes festivais de jazz, no mundo inteiro. Ela é igualmente conhecida por seu amor à música de câmera ...

    Leia mais
    Grace Bumbry

    Grace Bumbry

    Grace Bumbry nasceu em St. Louis, Missouri, Estados Unidos, em 4 de janeiro de 1937. Foi considerada uma dos mais destacadas meio-sopranos de sua geração, bem como uma grande soprano, durante muitos anos. Integrou uma extraordinária e pioneira geração de cantoras que se seguiram a Marian Anderson, incluindo Leontyne Price, Martina Arroyo, Shirley Verrett e Reri Crist, e pavimentou o caminho para futuras cantoras afro-americanas de ópera e de música clássica. Ela foi notada particularmente por seu arrebatado temperamento e por sua intensidade dramática no palco. Mais recentemente tornou-se conhecida como recitalista e intérprete de lieder, bem como professora. A partir do final de 1980 concentrou sua carreira mais na Europa do que nos Estados Unidos. Morou durante muito tempo na Suíça e agora reside em Salzburg, Áustria. Grace Bumbry obteve reconhecimento internacional quando Wieland Wagner, neto de Richard Wagner, lhe confiou o papel de Vênus, da ópera Tannhäuser, no ...

    Leia mais
    Martina Arroyo

    Martina Arroyo

    Martina Arroyo nasceu em 2 de fevereiro de 1937 em Nova York, é soprano de ascendência portorriquenha e afro-americana. Realizou importante carreira internacional na ópera, durante os anos de 1960 e ao longo dos anos de 1980. Fez parte da primeira geração de cantoras negras de ópera a alcançar amplo sucesso e é encarada como parte de um grupo fundamental de intérpretes que ajudaram a derrubar as barreiras do preconceito racial no mundo da ópera. Destacou-se na Ópera de Zurich, entre 1963-1965, após o que foi um dos principais sopranos da Metropolitan Opera, entre 1965 e 1978. Enquanto ali estava, foi também presença constante nos melhores teatros de ópera do mundo, apresentando-se nos palcos de La Scala, Covent Garden, Opera Nacional de Paris, Teatro Colón, de Buenos Aires, Deustsche Oper Berlin, Ópera Estadual de Viena, Lyric Opera de Chicago e San Francisco Opera, entre outros. É muito conhecida por seu ...

    Leia mais
    blank

    Reri Grist

    Reri Grist nasceu em 29 de fevereiro de 1932 em Nova York e é soprano coloratura, uma das cantoras afro-americanas pioneiras na realização de uma importante carreira internacional na ópera. Ainda muito jovem, apresentou-se na Broadway em pequenos papéis e em musicais, ao lado de Ossie Davis, Ruby Dee, Lawrence Tibbet e Eartha Kitt. Em 1956 cantou em Carmen Jones, de Oscar Hammerstein, no papel de Cindy Lou, e também na primeira encenação do clássico musical West Side Story, em 1957. Logo após Leonard Bernstein contratou-a para cantar a parte de soprano na Sinfonia IV, de Mahler, com a New York Philarmonic. Nos anos seguintes apresentou-se sob a regência de Leonard Bernstein, Nadia Boulanger, Pierre Boulez e Michael Gielen. Sua estréia oficial na ópera ocorreu na Ópera de Santa Fe, em 1959, no papel de Adele, em Die Fledermaus, cantando, em seguida, o papel de Blondchen, da ópera O Rapto ...

    Leia mais
    marian_anderson01

    Marian Anderson

    Foto de Marian Anderson, de autoria de Carl Van Vechten (1940) - A vida de Marian Anderson - Inglês - 20 minutos -   Marian Anderson nasceu em Filadélfia, Pennsylvania, em 27 de fevereiro de 1897 e faleceu em 8 de abril de 1993 em Portland, Oregon. Contralto, foi uma das mais festejadas cantoras do século vinte. Possuía voz extensa, vibrante, com qualidades intrínsicas de beleza. A maior parte de sua carreira como cantora consistiu de apresentações em concertos e recitais, por ocasião de grandes eventos musicais, e com importantes orquestras, nos Estados Unidos e na Europa, entre 1925-1965. Embora lhe oferecessem contratos para cantar em muitas e importantes companhias de ópera européias, declinou de todos eles, preferindo apresentar-se unicamente em concertos e recitais, o que não a impedia de cantar árias de ópera, nessas ocasiões. Gravou muitos discos, que refletiam seu amplo repertório, o qual abrangia música de concerto, ...

    Leia mais
    sissieretta02

    Sissieretta Jones

    Matilda Sissieretta Joyner, a Sissiereta Jones nasceu em Portsmouth, Virginia, Estados Unidos, filha de Jeremiah Malachi Joyner, pastor da Igreja Metodista Episcopal Africana, e de Henrietta Beale. Em 1876 sua família mudou-se para Providence, onde ela começou a cantor muito jovem na Igreja Batista de Pond Street, da qual seu pai era pastor. Em 1883 ela iniciou seus estudos formais de música na Academia de Música de Providence e posteriormente foi aceita no Conservatório de Música da Nova Inglaterra. Em 1887 apresentou-se no Music Hall, de Boston, para uma platéia de 5.000 pessoas. Em fevereiro de, após bem sucedidas excursões às Antilhas, cantou na Casa Branca para o presidente Benjamin Harrison. Apresentou-se para quatro presidentes consecutivos - Harrison, Grover Cleveland, William McKinley e Theodore Roosevelt, além da família real britânica. Participou do Grand Negro Jubilee, no Madison Square Garden, em Nova York, perante 75.000 pessoas. Cantou a canção Swanee River e seleções ...

    Leia mais
    Marie Selika Williams queen of staccato

    Marie Selika Williams

    Em 1878 o soprano Marie Selika Williams, conhecida como a"rainha do staccato", tornou-se a primeira negra a se apresentar na Casa Branca. Marie Selika nasceu c.1849 em Natchez, Mississipi, Estados Unidos. Logo após seu nascimento, a família mudou-se para Cincinatti, Ohio, onde ela, ainda criança, começou a estudar música, graças à proteção de um rico benfeitor local. Quanto tinha vinte e poucos anos, mudou-se para San Francisco, Califórnia, a fim de estudar com a Signora G. Bianchi, sob cuja orientação fez sua estréia como soprano de concertos, em 1876. Pouco antes de 1878 foi apresentada e se casou com um colega, o barítono Sampson Williams, também conhecido como Signor Velosko, o tenor havaiano. Marie Selika Williams Em 18 de novembro de 1878, apenas dois anos após sua estréia, Marie Selika Williams cantou no Salão Verde da Casa Branca para uma platéia que incluía o presidente Rutherford ...

    Leia mais
    Shirley Verrett

    Shirley Verrett

    Nascida em 31 de maio de 1931 em New Orleans, Louisiana, é um meio-soprano e soprano americano. Gozou de grande fama e partir do final da década de 1960 e foi muito admirada por sua voz brilhante, beleza e grande versatilidade. A estréia de Shirley Verrett na ópera deu-se em 1957, em O Rapto de Lucrécia, de Benjamin Britten. Sua estréia na Europa ocorreu em Colônia, Alemanha, em 1959, em Rasputin, de Nabokov.  Foi muito aclamada pela crítica por seu desempenho na ópera Carmen, de Bizet, no Festival de Spoleto, em 1962. Apresentou-se pela primeira vez na Metropolitan Opera em 1968, em Carmen, e no La Scala, de Milão, em 1969, em Sansão e Dalila. Seus papéis, como mezzo soprano, incluíram Cassandra e Didon (Berlioz), Amneris, Eboli, Dalila, Azucena, Leonora em La Favorita, Orfeu, de Gluck e Neocles (L´Assedio di Corinto), de Rossini. A partir do final da década de ...

    Leia mais
    leontyne_price02

    Leontyne Price

    Mary Violet Leontyne Price nasceu em 10 de fevereiro de 1927 em Laurel, Mississipi, Estados Unidos. Soprano, é muito conhecida por cantar o papel de Aida, de Verdi. Nascida no Sul Profundo, onde imperava a segregação, alcançou fama internacional durante um período de mudança racial nas décadas de 1950 e 1960, sendo a primeira afro-americana a tornar-se prima-donna na Metropolitan Opera, em Nova York. Sua voz foi notada pelo brilhante registro superior, pelos aveludados registros médio e baixo, pelo fraseado e pela ampla extensão. Após retirar-se do universo da ópera em 1985, deu recitais por mais doze anos. Entre as muitas honrarias que recebeu destacam-se a Medalha Presidencial da Liberdade (1965), Kennedy Center Honors (1980), a Medalha Nacional das Artes (1985), inúmeras distinções honoríficas em universidades e dezenove Prêmios Grammy, mais do que qualquer outra cantora clássica. Sua primeira e importante apresentação no palco foi no papel de Mistress Ford, ...

    Leia mais
    dobbs01

    Mattiwilda Dobbs

    Mattiwilda Dobbs nasceu em 11 de julho de 1925 em Atlanta, Georgia, Estados Unidos, onde seus pais eram líderes da comunidade afro-americana. É um soprano coloratura e uma das primeiras cantoras negras a seguir importante carreira internacional na ópera. Dona de voz pequena, porém vibrante, foi admirada por sua refinada técnica vocal e por suas expressivas interpretações. Após vencer o Concurso Internacional de Música em Genebra, Suíça, em 1951, estreou profissionalmente na ópera por ocasião do Holland Festival, no papel de Rouxinol, em Le Rossignol, de Stravinsky, em 1952. Em breve ela se apresentava nos principais festivais e teatros de ópera na Europa. Estreou no Festival de Glyndebourne, no papel de Zerbinetta, em Ariadne auf Naxos, em 1953. No mesmo ano apresentou-se no Teatro La Scala, como Elvira, em L´italiana in Algeri. Foi também a primeira vez que um artista negra cantou naquele teatro. Em Londres cantou na Royal Opera ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist