Tag: Naná Vasconcelos

    emicida1

    Assista ao mini-documentário ‘The Rise of Emicida’ e faça o download do disco que custa um twitter

    Mais um fruto da parceria entre o rapper Emicida e o Creators Project. Juntos, eles lançaram o curta-metragem 'The Rise of Emicida', que retrata a rotina do músico no processo de gravação do disco 'Doozicabraba e a Revolução Silenciosa', gravado em Nova Iorque ao lado dos produtores Beatnick e K-Salaam, em abril deste ano. O vídeo, como sugere o nome, ainda mostra a ascensão de Emicida na cena do rap nacional, com cenas de shows no Brasil e depoimentos de companheiros de cena e de trabalho como Criolo e Daniel Ganjaman. O disco 'Doozicabraba e a Revolução Silenciosa' foi disponibilizado para download gratuido na web em troca de um tweet. Abaixo você curte o documentário 'The Rise of Emicida': Fonte: MTV

    Leia mais
    black and white america lenny kravitz

    Lenny Kravitz fala sobre novo álbum, ‘Black and White America’ baseado em um documentário racista da TV americana

    Após 3 anos sem um disco de inéditas, Lenny Kravitz se prepara para lançar nesta segunda-feira, 21, seu novo álbum, "Black An White America". Em entrevista exclusiva, o músico fala sobre o novo trabalho, revela a inspiração para o clipe de "Stand", seu primeiro single, e antecipa como será sua próxima turnê, que vem ao Brasil para o Rock In Rio no dia 30 de setembro. O álbum 'Black and White America' foi gravado em Paris e nas Bahamas. O que esses lugares têm de especial pra você? Lenny Kravitz: O que faz as Bahamas especiais pra mim, em primeiro lugar, é que o lado materno da minha família vem de lá. Fui criado lá. É um lugar onde eu realmente me sinto confortável. Eu fico numa pequena ilha, numa cidade muito pequena, com poucas pessoas, e sou visto como um local. É isso. É realmente saudável ter um lugar ...

    Leia mais
    louis2barmstrong2b01

    Hoje na história, 1901, a 110 anos nascia Louis Armstrong

    Louis Daniel Armstrong (Nova Orleans, 4 de agosto de 1901 — Nova Iorque, 6 de julho de 1971) é considerado "a personificação do jazz". Louis Armstrong é famoso tanto como cantor quanto como solista, com seu trompete. Louis Armstrong é, sem dúvida, o músico de jazz mais conhecido do público em todo o mundo. Foi chamado de "a personificação do jazz". Seu retrato e sua voz são inconfundíveis, até para quem não é aficionado do jazz. Nascido em Storyville, o distrito de New Orleans famoso por seu ambiente, digamos, diversificado, que incluía de bordéis até igrejas, passando por espeluncas diversas, Louis Daniel Armstrong passou a infância mergulhado em grande pobreza. Seu pai abandonou a família asssim que Louis nasceu. Dividindo seu tempo entre a liberdade das ruas e o trabalho para ajudar a família, o pequeno Louis tornou-se uma criança extremamente esperta e adaptada à vida difícil. Conseguiu comprar uma ...

    Leia mais

    Hoje na História, 02 de agosto de 1944, nascia Naná Vasconcelos

    Filho de um violonista de Recife, teve na infância influências musicais que iam de Villa-Lobos a Jimi Hendrix. Especializou-se em instrumentos de percussão brasileiros, particularmente o berimbau. Depois de tocar por algum tempo em cabarés e bandas de Recife, mudou-se em 1966 para o Rio de Janeiro, onde conheceu Luiz Eça, Wilson das Neves, Gilberto Gil, e passou a acompanhar Milton Nascimento e o Som Imaginário. Integrou o Quarteto Livre (com Nelson Ângelo, Franklin da Flauta e Geraldo Azevedo) em 1968, mesmo ano em que acompanhou Geraldo Vandré no show "Caminhando (Pra Não Dizer que Não Falei de Flores)", logo interditado pela censura. Em 1970 foi convidado para integrar a turnê do saxofonista argentino Gato Barbieri pelos Estados Unidos e Europa. Por essa época começou a desenvolver seu trabalho de vanguarda. Naná radicou-se em Paris, onde gravou seu primeiro disco, "Áfricadeus". Em 1973 gravou no Brasil "Amazonas", um disco que ...

    Leia mais
    Divulgação / Fundação Cultural de Curitiba/Arquivo

    Virgínia Rodrigues e Naná Vasconcelos

    Um encontro espiritual, é assim que Virgínia Rodrigues descreve o que acontece em palco ao lado de Naná Vasconcelos.  Com uma carreira que é tudo menos previsível, a baiana lançou já quatro álbuns que tanto se voltam para os afro-sambas de Baden Powell e Vinícius de Moraes, como para clássicos de Tom Jobim ou Chico Buarque ou ainda para a música dos blocos afro do Carnaval da Bahia. O resultado é uma voz expressiva e cristalina que surpreendeu o veterano Naná Vasconcelos. Eu sempre admirei a Virgínia desde o surgimento dela. Ela me mostrou de uma certa forma todo o lirismo africano existente no afrobrasileiro e sempre tive uma grande vontade de fazer um trabalho com ela. Depois de se apresentar na abertura do Carnaval do Recife em 2006, o duo inicia uma colaboração que agora chega à Casa da Música, no âmbito do Festival Mestiço 2009. Um regresso ao ...

    Leia mais
    Página 6 de 6 1 5 6

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist