quarta-feira, agosto 5, 2020

    Tag: tráfico

    Pesquisa conduzida por Marcelo Semer sepulta definitivamente a ideia de leniência por parte dos juízes (Arte Revista CULT)

    O papel dos juízes no grande encarceramento: um estudo sobre sentenças de tráfico

    A política criminal brasileira para as drogas conseguiu a proeza de reunir todos os defeitos: não ajudou a reduzir o consumo e manteve a distribuição em pleno crescimento; não cuidou efetivamente da saúde pública e produziu um desgaste sem precedentes nas forças policiais, além de ter impulsionado de forma contundente o encarceramento. Enquanto o homicídio mal representa 10% dos presos, quase um terço deles estão atrás das grades em razão do tráfico. Por MARCELO SEMER, da Revista Cult Pesquisa conduzida por Marcelo Semer sepulta definitivamente a ideia de leniência por parte dos juízes (Arte Revista CULT) Embora o momento político não enseje qualquer fragmento de esperança, dos idealistas aos pragmáticos, a convicção de que algo não vai bem com a política de drogas, é razoavelmente consensual. Mas sempre há aqueles que se aproveitam, política, econômica ou criminosamente mesmo, daquilo que Jeffrey Reiman chamou de Derrota de ...

    Leia mais
    blank

    Como Bali se tornou um reduto de traficantes brasileiros

    Nevando em Bali, livro que expõe em detalhes o submundo das drogas na mais famosa ilha do arquipélago que forma a Indonésia, chama a atenção não apenas pela descrição da mistura de crime e hedonismo no paraíso turístico que recebe mais de 2 milhões de visitantes por ano. Do DCM Muitos dos traficantes entrevistados pela escritora e jornalista australiana Kathryn Bonella para o livro eram brasileiros. Entre eles, Marco Archer, que no último sábado se tornou o primeiro brasileiro executado no exterior. Para Bonella, no entanto, o mais significativo foi o fato de Archer ter sido também o primeiro ocidental a receber a pena de morte na Indonésia. Para a australiana, a morte estourou o que ela chama de “bolha da fantasia” para os brasileiros envolvidos com o tráfico no país. “A morte de Marco foi decididamente o que se pode chamar do fim de uma fase. Sempre se soube ...

    Leia mais
    blank

    Próprio bandido é quem comanda batalhão’, revela policial militar no RJ

    Investigação descobriu que coronel, escolhido pela PM para ser responsável por outros seis quartéis, comandava um batalhão do crime. Um coronel, comandante da Polícia Militar, é promovido. Mas fica poucas horas no cargo. Já no dia seguinte, ele estava preso. E sabe por quê? Porque ele comandava um batalhão do crime. Recebia propina do tráfico, cobrava resgate para soltar presos e vendia armas para criminosos. Na reportagem especial do Fantástico deste domingo (12), os bastidores dessa investigação que levou para a cadeia 16 bandidos que vestiam a farda da Polícia Militar do Rio de Janeiro. A reportagem é de Paulo Renato Soares e Mahomed Saigg. Quarta-feira, um dia inesquecível para o coronel Dayzer Corpas. Ele foi escolhido pela PM para ser o subchefe do Comando de Policiamento Especializado. Deixava de comandar um único batalhão, o da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, para ser o responsável por outros seis ...

    Leia mais
    MAUROsantay

    O que mata mais: as drogas ou a tentativa de reprimi-las?

    MAURO SANTAYANA   A situação chegou a tal ponto que essa é a pergunta que deveríamos nos fazer. A repressão caminha paralelamente ao aumento da demanda e do preço das substâncias, criando um mercado bilionário Para a juventude, fazer o que não é permitido, afrontar as regras impostas pelos adultos e pelas “autoridades”, não deixa de se confundir, também, com certo tipo de ritual de passagem. Da mesma forma que o menino, na adolescência, questiona a autoridade do pai, e com ele compete, até certo ponto, na formação e afirmação de sua própria personalidade – e essa conquista de um espaço próprio independe de sexo –, tentar quebrar os limites impostos pelas gerações anteriores tem sido parte, há séculos, da própria evolução da humanidade. Isso talvez explique parte da popularidade das drogas nos últimos 100 anos. Até serem proibidas, a maconha e a cocaína, antes restritas aos consultórios psiquiátricos e ...

    Leia mais
    blank

    O usuário de crack da Maré e o usuário de crack de São Paulo

    Por:Walmyr Junior Estamos em meio a uma nova tentativa de erradicação da dependência do consumo de crack no Brasil. Já sabemos que nosso país é considerado o maior consumidor de crack  do mundo, com cerca de um milhão de dependentes. Em meio a tanta tristeza e impotência das forças políticas brasileiras, vemos a prefeitura de São Paulo encampar um belo projeto, denominado ‘Braços abertos’, que tem por finalidade acabar com as conhecidas ‘cracolandias’ na cidade. Em contraponto com a dinâmica da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, o programa da prefeitura de São Paulo vem proporcionando uma verdadeira reinserção social do usuário de crack. Afirmo essa argumentação por que convivo com uma dinâmica sociopolítica de limpeza urbana todos os dias no Complexo da Maré, onde a concepção da nossa prefeitura é totalmente diferente. Em diversas favelas do Rio de Janeiro, infelizmente vemos as marcas do tráfico desta droga. Vemos ...

    Leia mais
    Jovens, ricos e traficantes

    Jovens, ricos e traficantes

    UM EM CADA 10 TRAFICANTES DE SÃO PAULO É DE CLASSE ALTA, APONTA UM LEVANTAMENTO INÉDITO OBTIDO PELA GQ. ACOMPANHAMOS A ROTINA DE TRÊS DESSES JOVENS NASCIDOS EM FAMÍLIAS MILIONÁRIAS PARA ENTENDER COMO ELES ABANDONARAM UMA VIDA DE LUXO EM BUSCA DE ENRIQUECIMENTO RÁPIDO E PRESTÍGIO NO MUNDO DO CRIME Todas as câmeras de vigilância das mansões vizinhas funcionam perfeitamente quando Daniel*, no terceiro andar da casa onde mora com os pais no Jardim América, bairro nobre de São Paulo, apoia a sola do sapato sobre a cama king size, escala um armário e apanha do esconderijo a pistola automática austríaca Glock 17.9 milímetros, comprada por R$ 3 mil no mercado negro. Daniel empunha a arma com a mão direita, volta a sentar e diz, com vaidade: “Sempre deixo carregada”. Segundos depois, ele se levanta e se estica novamente para guardar a ferramenta que costuma servir mais para assustar clientes ...

    Leia mais
    Moreira Salles Institute Archive

    Plano de Aula – A escravidão no Brasil

    Moreira Salles Institute Archive Objetivos -Refletir sobre a utilização da mão de obra escrava no Brasil. - Compreender a inserção da escravidão brasileira no comércio atlântico. Conteúdos - História do Brasil - Trabalho escravo Anos 7º e 8º Tempo estimado 4 aulas Material necessário Mapa do comércio Atlântico, livros e sites sobre a escravidão no Brasil. Flexibilização Para alunos com deficiência auditiva Plano de Aula - A escravidão no Brasil. Durante as discussões em sala procure fazer o registro no quadro das informações mais importantes comentadas por você e pelos alunos para que o estudante surdo acompanhe. Solicite que ele anote as principais informações no caderno, fale sempre de frente para o aluno e peça que os colegas falem um de cada vez para que ele possa fazer a leitura orofacial. Se necessário, reforce algumas das atividades realizadas e amplie o tempo de realização das etapas. Sempre ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist