quarta-feira, setembro 16, 2020

    Tag: violência contra criança

    Imagem: Getty Images

    Agora é lei: condomínios são obrigados a denunciar violência contra mulher, idosos e crianças

    No 12º andar de um prédio no Campo Grande, em Salvador, Júlia Santana** ouvia gritos de sua vizinha de porta com o namorado, em mais uma briga frequente do casal. “Era um prédio com quatro apartamentos por andar e o meu era do lado do dela. Eu ouvia umas brigas, gritaria de vez em quando. Um dia, quando entrei em casa, ouvia muitos gritos, ela reclamando que ele era casado e que ela não sabia, que ela sustentava ele. Ele gritava muito, jogava umas coisas. Ela chorava e gritava para ele parar”, relata. Júlia revela que ligou para a portaria, ameaçou chamar a polícia, mas ficou receosa. “Fiquei com medo de chamar o elevador, ele abrir a porta e fazer alguma coisa comigo também. Desci, liguei pra polícia e falei que estava saindo de casa porque estava com medo do homem. Foi assustador. Fiquei apavorada”, relatou Júlia sobre um episódio ...

    Leia mais
    Flávia Oliveira (Foto: Arquivo/ O Globo)

    Uma nação fracassada

    Fracassaram o Estado que não impede e a sociedade que silencia ao cotidiano de abuso sexual, estupro e gravidez precoce de suas crianças. O Brasil, na última semana, horrorizou-se com as camadas de brutalidade a que foi submetida a Menina de São Matheus, no Espírito Santo. Negra, de família pobre, criada pelos avós, Ela padeceu em silêncio sob o jugo do tio, que a violentava e ameaçava. A barbárie se estendeu por quatro anos, dos 6 aos 10 de idade; só foi descoberta quando Ela engravidou — e, sob mais violência, de agentes públicos, extremistas religiosos e oportunistas políticos, conseguiu interromper a gestação em Recife. Há o ambiente familiar de miopia aos maus-tratos, mas há também a cegueira de um poder público que descuida, quando tem obrigação de cuidar. O país é farto em legislação, direitos, atribuições: do Estatuto da Criança e Adolescente à Constituição. Enquanto Ela era violada, onde ...

    Leia mais
    (Foto: Silva, Luís/Universa)

    Casamento infantil: as meninas não podem ser deixadas para trás

    Ao redor do mundo meninas e mulheres sofrem abusos e discriminação simplesmente por serem meninas e mulheres. Elas têm, sistematicamente, negados o seu acesso a direitos e participação nas decisões que afetam sua vida e de sua família, comunidade, estado, país. A vivência de violações aumenta quando as questões de gênero são aliadas às de raça, classe social orientação sexual, deficiência. Segundo dados do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) meninas e meninos com deficiência têm 3,7 mais possibilidades de sofrer violência do que as crianças sem deficiência, e adolescentes e jovens LGBTQIA+ vivenciam um profundo processo de discriminação relacionado a sua orientação sexual. Essa semana acompanhamos o caso da menina de 10 anos, grávida e abusada pelo tio no Espírito Santo. Um exemplo, infelizmente, da vivência de violações que meninas e mulheres passam todos os dias. Não abrir espaço para o debate e a implementação da educação sexual ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site RBA

    Na lei desde 1940, aborto legal não saiu do papel para mulheres pobres

    O caso da menina de 10 anos que viajou do Espírito Santo a Recife para interromper a gravidez fruto de estupro mostra, entre outras coisas, que uma lei em vigor há 80 anos para garantir esse direito ainda não saiu do papel. Sobretudo quando as vítimas da violência são pobres e negras, conforme Bárbara Pereira, integrante do Fórum de Mulheres de Pernambuco e da Frente Nacional contra a Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto. “Desde 1940 o direito ao aborto em caso de estupro é previsto em lei. Mas na prática não é o que acontece. As mulheres e meninas pobres e negras não exercem esse direito. São as que mais sofrem e morrem devido a abortos inseguros e também as que mais demoram a relatar a violência sofrida”, diz Bárbara. O Código Penal Brasileiro, de 1940, que tipifica o aborto como crime, também estabelece que não há ...

    Leia mais
    CLASSEN RAFAEL / EYEEM VIA GETTY IMAGES

    ‘Acompanhei gestantes de 10 anos em estado grave na UTI’: médica detalha os riscos de uma criança grávida

    A médica, com mais de 30 anos de profissão, conta ter presenciado casos que a deixaram entristecida. Entre eles, o de uma jovem de 13 anos com paralisia cerebral, que engravidou após ser abusada sexualmente. A obstetra também acompanhou meninas que lutaram pela vida após ao desenvolverem problemas de saúde causados por gestações precoces. "Esses casos de gravidez por estupro nessa faixa etária não são raros. Infelizmente, acontecem com certa frequência", pontua Melania, que é professora universitária na Paraíba e em Pernambuco. Segundo dados tabulados pela BBC News Brasil no Sistema de Informações Hospitalares do SUS, do Ministério da Saúde, o Brasil registra, em média, ao menos seis abortos por dia em meninas de 10 a 14 anos. O Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2019 aponta que quatro meninas de até 13 anos são estupradas a cada hora no Brasil. Associado ao trauma causado pelo abuso sexual, aquelas que engravidam ...

    Leia mais
    Manifestação em Pernambuco pelo direito ao aborto legal de uma menina de 10 anos Imagem: Reprodução Twitter

    Grupo vai a hospital para defender aborto legal de menina de 10 anos

    Depois que um grupo de católicos se reuniu hoje à porta de um hospital em Recife para protestar contra o aborto da menina de 10 anos que engravidou por ser estuprada pelo tio, integrantes do Fórum de Mulheres de Pernambuco foram ao local. Cerca de 50 ativistas defenderam a interrupção da gravidez. Movimento de mulheres se mobiliza em Recife 👇👇👇 pic.twitter.com/KwKrm6a6PA — rafaela marques 〰️ (@rafalelamarques) August 16, 2020 Em conjunto, elas disseram o seguinte: "'A vida dessa menina estuprada importa para toda sociedade. O aborto legal é um direito. Não vamos abrir mão disso. Não vamos abrir mão da vida de uma menina de 10 anos. Gravidez forçada é tortura. Gravidez aos 10 anos é morte". O pedido de realização do aborto legal, autorizado pela Justiça, foi negado pelo Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), do Espírito Santo, onde mora a menina. Por isso, a família foi para outro ...

    Leia mais
    Leonardo Sakamoto. (Foto: RFI/Rui Martins)

    Subcelebridades do ódio atacaram aborto de menina para se promoverem

    Insanidade não explica o que leva um grupo de fundamentalistas causarem tumulto, na porta de um hospital, exigindo que uma menina de dez anos, estuprada pelo tio por metade de sua vida, fosse obrigada a continuar uma gravidez indesejada. E, pior, chamando-a de assassina. Estavam ali pelos mais diferentes motivos - da incapacidade de sentir empatia pelo seu semelhante, passando pela necessidade de fazer parte de um grupo e dar algum sentido à sua existência até um intenso processo de desinformação aliado à deformação religiosa imposta por líderes que mentem sobre o sentido do cristianismo. Pois, em nenhum momento, os evangelhos trazem qualquer versículo que diga algo como "Ide e torturai as meninas vítimas de estupro em nome de meu pai, pois serão recompensados". Seria fácil e tentador afirmar que esse tipo de ambiente surgiu com a atual conjuntura política brasileira, mas tudo isso está aí muito antes de Giordano ...

    Leia mais
    Exposição de vítimas de estupro tende a aumentar estigma em relação à criança e à família (Foto: Getty Images)

    Brasil registra 6 abortos por dia em meninas entre 10 e 14 anos estupradas

    Após autorização judicial, a menina foi levada a outro Estado no domingo (16/08) para interrupção da gravidez. Ela relatou que sofria abusos sexuais do tio desde os 6 anos e que não contava para os outros porque ele a ameaçava. O tio da criança está foragido. Embora o caso tenha virado pano de fundo de uma briga ideológica e venha sendo tratado como algo inédito, dados oficiais revelam que ocorrem no Brasil, em média, seis internações diárias por aborto envolvendo meninas de 10 a 14 anos que engravidaram após serem estupradas. Esses casos envolvem procedimentos feitos no hospital e internações após abortos espontâneos ou realizados em casa, por exemplo. Se o número parece alto para quem não acompanha o assunto, ele é pequeno perto da quantidade de estupros de crianças e adolescentes que ocorrem no Brasil: a cada hora, quatro meninas de até 13 anos são estupradas no país, segundo ...

    Leia mais
    Imagem: fiorigianluigi/Getty Images/iStockphoto

    Estar em casa significa proteção. Mas e criança que vive em lar violento?

    O mundo inteiro já sabe: vivemos a pandemia de covid-19. O coronavírus representa um desafio para autoridades, saúde pública e toda a população. Vimos nos últimos dias a adoção de medidas oficiais para interromper a circulação das pessoas — e, assim, do vírus. Por Viviana Santiago, do Universa Imagem: fiorigianluigi/Getty Images/iStockphoto Trabalhadores em home office, cinemas e lojas fechados, crianças e adolescentes em casa com a paralisação de escolas e atividades lúdico-pedagógicas em clubes, organizações e outros espaços. É em casa portanto o lugar em que toda a população deve estar para atravessar a situação com mais segurança. E estar em casa significa, em um primeiro momento, a certeza de tranquilidade no lugar que lhe é mais caro. Significa ausência de deslocamento e de interações com pessoas de fora do círculo familiar. Deveria significar proteção. E poderia de fato significar isso — se essa casa não ...

    Leia mais
    Casos de estupro são recorde no Brasil em 2018, revela Anuário — Foto: TV Globo/Reprodução

    País tem recorde nos registros de estupros; casos de injúria racial aumentam 20%

    Crimes de ódio crescem na contramão das quedas dos demais crimes violentos, como homicídios e latrocínios, segundo o 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Por Cíntia Acayaba e Thiago Reis, do G1 Casos de estupro são recorde no Brasil em 2018, revela Anuário . (Foto: TV Globo/Reprodução) Em 2018, o Brasil atingiu o recorde de registros de estupros. Foram 66.041 vítimas, segundo dados do 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública nesta terça-feira (10). O crime é um dos poucos que tiveram aumento no ano passado, quando as mortes violentas caíram 10,8%. A taxa brasileira de estupros é de 31,7 por 100 mil habitantes, acima da taxa de mortes violentas, que ficou em 27,5 em 2018. Também na contramão das quedas dos roubos, latrocínios, lesão corporal, entre outros crimes, está o aumento de 20,6% no número de registros de injúria ...

    Leia mais
    Recomendações para acabar com violência contra crianças e jovens em escolas do mundo todo serão apresentadas a líderes mundiais que se reúnem esta semana no Fórum Mundial de Educação, em Londres. Foto:

    Manifesto global pede fim da violência contra crianças e jovens nas escolas e arredores

    Jovens de todo o mundo vão pedir aos governos o fim da violência nas escolas e arredores, durante o Fórum Mundial de Educação, que ocorre esta semana no Reino Unido. Da ONU Recomendações para acabar com violência contra crianças e jovens em escolas do mundo todo serão apresentadas a líderes mundiais que se reúnem esta semana no Fórum Mundial de Educação, em Londres. Foto:@ ARTSY SOLOMON/Nappy O Manifesto Jovem #ENDviolence foi redigido no fim de 2018 por mais de 100 crianças e jovens de todo o mundo, incluindo a brasileira Lays dos Santos, que viajou à África do Sul, a convite do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), para representar meninas e meninos brasileiros. O manifesto pede que pais, responsáveis, escolas, formuladores de políticas e comunidades levem os estudantes a sério; estabeleçam regras claras; façam leis restringindo armas; garantam segurança na escola; forneçam instalações ...

    Leia mais
    Getty Images Além de combinar uma palavra-chave, especialistas sugerem que o nome da criança não seja colocado em suas roupas ou nas mochilas

    A palavra-chave que salvou garota americana de 11 anos de ser sequestrada

    Sem intenção de causar pânico, autoridades sugerem precauções de segurança para evitar riscos às crianças (esta imagem não retrata a menina mencionada na reportagem) no BBC O raciocínio rápido de uma menina de 11 anos evitou uma ocorrência que poderia ter sido trágica. A criança caminhava com uma amiga em um parque de San Tan Valley, ao sul da cidade de Phoenix - no Estado americano do Arizona -, quando uma van branca se aproximou. Eram 15h45, hora local, da última quarta-feira. O motorista abordou a menina dizendo que o irmão dela havia sofrido um acidente muito grave e que ela precisava acompanhá-lo. Em vez de entrar no veículo, a menina pediu ao homem uma "palavra-chave" que ela havia combinado com os pais para situações como essas. O homem, que não sabia a resposta, fugiu do local rapidamente.   Reprodução : Twitter Brenda James, mãe da ...

    Leia mais
    blank

    Polícia do Rio prende 7 por estupro coletivo de menina de 16 anos

    A prisão foi feita em flagrante e entre eles está o ex-namorado da vítima, de 16 anos Do Catraca Livre Quatro homens foram presos e três menores apreendidos por suspeita de terem participado do estupro coletivo Quatro homens foram presos e três menores apreendidos por suspeita de terem participado do estupro coletivo em Ricardo de Albuquerque, zona norte do Rio de Janeiro. A prisão foi feita em flagrante por agentes da 31ª DP na terça-feira, 4 e todos possuem idades entre 15 e 20 anos. A perícia foi feita por volta das 10h30 na casa onde o crime ocorreu. A menina é vítima de abusos desde os nove anos, mas segundo a polícia, não há detalhes sobre quem teria cometido o primeiro abuso. As informações são do "G1". Segundo as investigações, o estupro coletivo ocorreu em uma casa em construção que fica a menos de 500 metros da delegacia. O delegado Renato Perez contou que a vítima aceitou ...

    Leia mais
    blank

    Pai vê mensagens que pedófilo mandava para menina de 9 anos e vai a encontro com a polícia

    Homem foi preso nesta terça-feira em local que tinha marcado para se encontrar com a vítima. Ele entrou em contato com a vítima pelo Facebook e pegou o telefone dela para continuar conversa. Por Bruna Barbosa Do G1 Mensagens de assédio encaminhadas por um homem de 47 anos a uma menina de 9 foram descobertas pelo pai dela, que avisou a polícia e compareceu, junto com os policiais, a um encontro que o suspeito havia marcado com a vítima nesta terça-feira (23) em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá (MT). O homem foi preso em flagrante. Segundo o delegado Cláudio Alvarez, da Polícia Civil, o suspeito confessou que sabia que a vítima era uma criança e assumiu a autoria das mensagens enviadas à menina pelo WhatsApp. "O pai procurou a delegacia sem saber o que fazer, afirmando que a filha iria se encontrar com um homem mais velho, que a levaria ...

    Leia mais
    blank

    Homem de 42 anos fazia-se passar por Justin Bieber para violar menores

    Haverá mais de uma centena de vítimas em todo o mundo, da Austrália aos EUA e Reino Unido no DN Um homem australiano de 42 anos foi acusado de 931 crimes sexuais contra crianças e menores, incluindo três violações. Segundo a polícia de Queensland, o suspeito fazia-se passar pelo cantor canadiano Justin Bieber na internet para conseguir imagens sexuais de crianças e menores - haverá mais de uma centena de vítimas em todo o mundo, dos EUA ao Reino Unido. O homem já era suspeito em vários crimes, mas foi novamente acusado esta semana, depois de uma análise ao seu computador. Segundo as autoridades, o homem utilizava plataforma como o Facebook e Skype para contactar e enganar crianças. Em três casos os contactos desenvolveram-se e terão levado a violações. Em comunicado, a polícia pediu aos fãs de Justin Bieber e aos pais das crianças e menores para aumentar em o ...

    Leia mais
    blank

    Mulher acusa Feliciano de assédio sexual; chefe de gabinete é preso

    Ex-militante do PSC diz que deputado a assediou e agrediu dentro do apartamento funcional, no DF Do Epoca negocios O chefe de gabinete do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), Talmo Bauer, foi preso nesta sexta-feira, 5, preventivamente sob a acusação de sequestro qualificado contra uma jovem de 22 anos que acusa o parlamentar de tentativa de estupro, assédio sexual e agressão. A Procuradoria-Geral da República avalia se investiga Feliciano a pedido da Procuradoria Especial de Mulher do Senado.No depoimento que prestou na quinta, 4, à Polícia Civil de São Paulo, a jornalista Patrícia Lelis, ex-militante do PSC jovem, forneceu detalhes de como, segundo ela, Feliciano a atraiu para seu apartamento funcional. Era 15 de junho."Ele falou que tinha uma reunião do PSC jovem, mas quando cheguei la só estava ele", disse. A jornalista disse que em seguida o parlamentar teria tentado abusá-la sexualmente. "Ela tentou levantar meu vestido e tirar ...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro, mestre em filosofia política, ativista feminista e secretária-adjunta de Direitos Humanos de São Paulo. RICARDO MATSUKAWA

    Por que o machismo mata mais as negras

    Enquanto as taxas de homicídios entre as brancas diminuem, as de mulheres e meninas negras tiveram uma alta de 19,5% em dez anos; Djamila Ribeiro explica por que por Andrea Dip, do A Pública  O “Mapa da Violência 2015 – Homicídios de mulheres no Brasil” mostra um assustador incremento nas taxas de homicídios de mulheres negras. Nas periferias, a desconfiança da rede de proteção e da polícia é grande e muitas vezes dificulta o atendimento das mulheres em situação de violência, como mostra a reportagem “A fogueira está armada pra nós”. Para refletir sobre isso, a Pública entrevistou a feminista Djamila Ribeiro, mestre em Filosofia Política. O Mapa da Violência de 2015 mostra que entre 2003 e 2013 as taxas de homicídio de brancas caíram de 3,6 para 3,2 por 100 mil – queda de 11,9% –, enquanto as taxas entre as mulheres e meninas negras cresceram de 4,5 para ...

    Leia mais
    blank

    Lei Maria da Penha: prisão preventiva do agressor com medida protetiva de urgência

    O problema da violência contra a mulher é um problema social, causado pela cultura machista perpetuada pela sociedade que incute na cabeça das pessoas que a mulher deve ser submissa, que culpabiliza quem na verdade é vítima, que ainda vê o homem como ser superior.  Por Laura Astrolabio, do Imprensa Feminisa Muitas mulheres, ao sofrerem violência física ou psicólogica de seus namorados, maridos ou companheiros, vão até a delegacia procurar ajuda e recebem tratamento desumanizado. Ou seja, no lugar onde essas mulheres deveriam ser recebidas, protegidas e orientadas, elas são culpabilizadas, quando não por um homem machista, por uma mulher que reproduz machismo em suas falas e atitudes com relação à vítima. Importante deixar explícito que a violência doméstica não se configura apenas quando a vítima é mulher, mas é deslealdade intelectual não ressaltar que existe uma falsa simetria quando citam exemplos de homens que sofreram agressão, considerando que são casos ...

    Leia mais
    JUSTIÇA DO AMAZONAS MANDA PRENDER PREFEITO DE COARI

    JUSTIÇA DO AMAZONAS MANDA PRENDER PREFEITO DE COARI

    Prefeito de Coari, Adail Pinheiro (PRP) é acusado de abusar sexualmente de meninas e formação de quadrilha; Justiça atendeu a um pedido do Ministério Público do Amazonas; segundo o procurador-geral de Justiça, Francisco Cruz, a prisão preventiva do prefeito e dos outros suspeitos é necessária para "garantir a ordem pública, evitar que novas vítimas sejam molestadas e que testemunhas sejam ameaçadas".   O desembargador Djalma Martins da Costa, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), determinou hoje (7) a prisão do prefeito de Coari (AM), Adail Pinheiro (PRP), e de mais cinco pessoas. Pinheiro é acusado de abusar sexualmente de meninas e formação de quadrilha. O magistrado atendeu a um pedido do Ministério Público do Amazonas (MP-AM). Segundo o procurador-geral de Justiça, Francisco Cruz, a prisão preventiva do prefeito e dos outros suspeitos é necessária para "garantir a ordem pública, evitar que novas vítimas sejam molestadas e que testemunhas sejam ...

    Leia mais
    infancia

    Caso Coari: infância assassinada pela lógica do consumo de sexo de meninas

    Em artigo, assessora política do Inesc, Márcia Acioli, trata da exploração sexual de crianças e adolescentes. Ela utiliza como exemplo o caso Coari, revelado no mês de janeiro pela mídia. Márcia afirma que "crianças são usadas, descartadas, machucadas e, sem perspectivas, a infância é assassinada pela lógica do consumo do sexo de meninas e de meninos". Márcia Acioli* Em janeiro de 2014 é revelado ao Brasil um sofisticado e brutal esquema de exploração e violência sexual consolidado há anos no interior do estado do Amazonas. Apesar das inúmeras denúncias, o fato permaneceu por muito tempo restrito à remota comunidade de Coari e desconhecido pelo resto do país. Convenientemente a situação ficou oculta protegendo unicamente os violadores de direitos: os agressores. Não é novidade a relação direta entre poder, dinheiro, violência sexual e exploração de crianças. Por mais escandalosa que seja a notícia, ela soa como "já ouvi essa história"; e ...

    Leia mais
    Página 1 de 2 1 2

    Últimas Postagens

    blank
    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist