Tenista brasileiro Guilherme Clezar é multado em US$ 1,5 mil após gesto considerado racista

O tenista Guilherme Clezar recebeu neste sábado uma multa de US$ 1,5 mil (cerca de R$ 5 mil) após um gesto considerado racista durante um jogo contra o japonês Yuchi Sugita. O brasileiro negou a conotação xenófoba de seu ato e pediu desculpas.

no RFI

Clezar, 244º no ranking, pediu desculpas por seu gesto visto como uma alusão aos olhos puxados dos asiáticos, na sexta-feira (15). O episódio ocorreu durante a partida da Copa Davis entre Brasil e Japão, quando foi derrotado por Yuchi Sugita, 42º mundial.

O brasileiro negou qualquer intenção racista em seu gesto, feito logo após uma decisão do juiz de linha. As imagens foram transmitidas ao vivo pela televisão japonesa.

Em mensagem postada no Facebook da Federação Brasileira de Tênis, Clezar garantiu que “nunca” teve “a menor intenção de ser agressivo, ou racista, com o povo asiático”. O tenista disse ainda que o gesto “não corresponde à atitude de respeito, emoção e solidariedade que o esporte deve representar” e, por isso, “lamenta” o ocorrido, expressando suas “mais sinceras desculpas”.

Mesmo assim, a Federação Internacional de Tênis (ITF na sigla em inglês) decidiu sancionar o jogador. Em um comunicado, a entidade diz “condenar todas as formas de comportamento abusivo”.

+ sobre o tema

Cinco anos do Estatuto da Igualdade Racial

O Estatuto da Igualdade Racial completa cinco anos nesta...

Jornal se solidariza com jogador alvo de racismo: ‘Não está sozinho’

O jornal espanhol Marca se solidarizou com o jogador...

Para especialistas, Judiciário reflete e mantém perpetuação do racismo na sociedade

Discriminação racial foi tema de painel durante 24º Seminário...

“‘Torto Arado’ reflete passado escravagista mal resolvido”

Em 2018, o geógrafo Itamar Vieira Junior decidiu inscrever...

para lembrar

Instituto Ibirapitanga lançará caderno “Branquitude: racismo e antirracismo”

O Instituto Ibirapitanga lançará o caderno "Branquitude: racismo e...

‘Trabalho de domésticas é resquício da escravidão’, diz Bianca Santana

Bianca Santana é uma das principais pensadoras do racismo...

A bomba é ‘caseira’ e o tiro é de ‘chumbinho’

O ódio inoculado há anos na população é um...
spot_imgspot_img

Caça aos livros

Está aberta a temporada de caça aos livros no Brasil! Mas atenção. A perseguição restringe-se à indicação pedagógica de certas obras capazes de promover o debate e a...

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...
-+=