Torcida do corinthiana é multada por homofobia contra Emerson Sheik

Naquela ocasião, os torcedores apareceram no local portando faixas com os dizeres: “Viado Não”, “Vai beijar a P.Q.P.” e “Aqui é lugar de homem”.

Do Esporte ao Minuto 

A Secretaria Estadual de Justiça e Defesa da Cidadania de São Paulo condenou administrativamente a torcida organizada Camisa 12, do Corinthians, e o seu presidente, Marco Antônio de Paula Rodrigues, a pagar, cada um, R$ 23,5 mil de multa. O motivo foi o protesto homofóbico realizado, em agosto de 2013, por cinco integrantes da agremiação no centro de treinamento do Corinthians, após publicação, no Instagram, de uma foto do atacante Emerson Sheik, jogador do Corinthians à época, dando um selinho em Isaac Azar, dono do restaurante Paris 6.

Naquela ocasião, os torcedores apareceram no local portando faixas com os dizeres: “Viado Não”, “Vai beijar a P.Q.P.” e “Aqui é lugar de homem”. Posteriormente, o presidente da Camisa 12 disse, em redes sociais e à imprensa, que “aqui não vai ficar beijando homem (…) Vamos fazer a vida dele um inferno”.

A condenação foi obtida após pedido do Núcleo Especializado de Defesa da Diversidade e da Igualdade Racial da Defensoria Pública paulista, com base em uma lei estadual que prevê punição administrativa por atos homofóbicos em São Paulo.

“Embora a homofobia não seja crime federal, e isso está em discussão no Congresso, em São Paulo há uma lei estadual que prevê infração administrativa para atos homofóbicos”, salienta o defensor público Bruno Baghim, acrescentando que a Defensoria foi procurada por diversos grupos LGBTs após o ocorrido.

No processo, Baghim argumentou que a “revolta” dos torcedores teve claro cunho homofóbico. Ao longo do processo, as partes condenadas apontaram que a atitude de Sheik gerava “constrangimentos e vexações” aos “corinthianos em geral”.

Na decisão, a Secretaria de Estado da Justiça considerou que a exposição na mídia das ofensas contra Emerson Sheik instiga a violência contra homossexuais.

+ sobre o tema

Mulheres negras são mais afetadas pela falta de saneamento básico no Brasil, diz estudo

A empresa brasileira de saneamento básico BRK Ambiental lançou...

Mulher Maravilha: Feminismo S/A

Para fazermos valer a história das guerreiras que nos...

Não as obriguem a sofrer

É uma violência obrigar uma mulher a manter por...

para lembrar

Congresso lançará campanha pelo fim da violência contra as mulheres

O Congresso Nacional vai realizar sessão solene no próximo...

PNE e a “ideologia de gênero”

Mais um motivo apareceu para atrasar a votação do Plano...

Enfrentamento ao Racismo Institucional: “Vamos fazer”, afirma Jorge Chediek

  Foto: Funcionários do Sistema Nações Unidas participantes da oficina...
spot_imgspot_img

Mãe Hilda de Jitolú, a matriarca do Ilê Aiyê

Em 1988, quando uma educação afrocentrada ou antirracista ainda não estava no imaginário brasileiro, uma mulher preta que nunca frequentou a escola abriu sua casa, em Salvador (BA)...

Aos 80 anos, Zezé Motta celebra uma carreira de grandes feitos e garante: “Eu não paro!”

É com um sorriso solto e uma presença indescritível que Zezé Motta conversa comigo no camarim do estúdio onde fotografamos as imagens e a capa que...

Justiça nega aborto legal de adolescente de 13 anos após seu pai pedir manutenção da gravidez

Uma adolescente de 13 anos que vive em Goiás teve o aborto legal negado pelo TJ-GO (Tribunal de Justiça de Goiás), após o pai da jovem...
-+=