“Torço todos os dias pra vc ser humilhado e eliminado volta pra senzala embuste lixo”: Leonardo do Masterchef recebe texto racista

O integrante do Masterchef Leonardo Santos disse em seu perfil do Facebook que recebeu uma imagem de diversos participantes negros do reality show com uma mensagem racista. Isso o levou a ponderar não apenas sobre o racismo direto, mas o racismo oculto na sociedade.

no Catraca Livre

“Vocês são um lixo, eu tenho nojo de todos vocês, tenho pena de quem já comeu ou come qqr me@&a que vcs fazem, eu torço todos os dias pra vc ser humilhado e eliminado volta pra senzala embuste lixo”, disse a mensagem acompanhada de oito participantes negros do Masterchef de diversas temporadas.

Em um desabafo em sua página da rede social, o publicitário disse que está acostumado com esse tipo de manifestação racista, assim como outras na sociedade. “Durante toda a minha vida eu fui perseguido nos corredores dos supermercados, tive minhas notas de dinheiro reviradas e conferidas pelo caixa do supermercado 40 mil vezes, fui desprezado pelo vendedor por achar que eu não poderia comprar algo, e várias outras situações que qualquer outro cidadão negro já passou.”

Leonardo, no entanto, apontou que talvez mais insidioso que o racismo direto é o racismo oculto de como a cor da pele dos participantes do reality show influencia na percepção do público dos seus atos. Ele então levantou diversos exemplos de comentários na internet que mostram essa diferença de percepção.

“O participante negro que reclama não conhecer ingrediente ‘é pobre, chorão, se fazendo de vítima, insuportável’ uma outra participante qualquer com a mesma atitude ‘não é obrigada a conhecer tudo’. A participante negra que quer dominar sua praça na prova em grupo ‘tá se achando, a macaca’ o outro participante branco que além de cuidar da praça dele ainda quer se meter na praça do outro ‘tá preocupado com o resultado da equipe’. O participante negro que foi eliminado e ficou puto ‘não sabe perder, ridículo, chorão, volta pra Bahia’, a participante branca ‘não deveria ter saído’.”

Reprodução Facebook

Com licença, precisamos falar sobre preconceito.

por Leornardo Santos no Facebook

Durante essa madrugada recebi uma imagem que continha essas mesmas pessoas com a seguinte mensagem: “vocês são um lixo, eu tenho nojo de todos vocês, tenho pena de quem já comeu ou come qqr me@&a que vcs fazem, eu torço todos os dias pra vc ser humilhado e eliminado volta pra senzala embuste lixo”,se doeu? Não, nenhum pouco. Durante toda a minha vida eu fui perseguido nos corredores dos supermercados, tive minhas notas de dinheiro reviradas e conferidas pelo caixa do supermercado 40 mil vezes, fui desprezado pelo vendedor por achar que eu não poderia comprar algo, e várias outras situações que qualquer outro cidadão negro já passou. Isso tudo contribuiu pra postura que eu adoto hoje, tudo isso que vocês chamam de arrogância, prepotência ou qualquer outro rótulo que não cabe num participante branco, se chama auto-confiança, auto-afirmação, foco, são coisas que pessoas como nós precisam ter muito, pra poder sobreviver porque não recebem isso de outras pessoas.

Mas essa imagem me permitiu refletir um pouco sobre esse cenário asqueroso de racismo oculto que vivemos todos os dias, foram alguns minutos olhando os participantes da foto e fazendo uma rápida busca na internet, e pronto: o participante negro que reclama não conhecer ingrediente “é pobre, chorão, se fazendo de vítima, insuportável” uma outra participante qualquer com a mesma atitude “não é obrigada a conhecer tudo”, a participante negra que quer dominar sua praça na prova em grupo ” tá se achando, a macaca” o outro participante branco que além de cuidar da praça dele ainda quer se meter na praça do outro “tá preocupado com o resultado da equipe”, o participante negro que foi eliminado e ficou puto “não sabe perder, ridículo, chorão, volta pra Bahia” a participante branca “não deveria ter saído”, a participante negra que apresentou dificuldades em algumas provas, não se saiu tão bem e voltou na repescagem é “imunda, corta essa cabelo nojento, deveria voltar pro buraco de onde não deveria ter saído”, o participante branco na mesma situação é “tão fofo, meu crush”, a participante negra que chorou em uma prova ou outra por resultados bons ou não é “chorona, insuportável, horrorosa, deveria ter saído” a participante branca chorando ” é sensível tadinha”, os participantes negros auto-confiantes e determinados são arrogantes, prepotentes e um milhão de outros xingamentos, os participantes brancos confiantes e determinados sim, esses realmente são confiantes e determinados.

Não usar xingamentos explícitos, ou falar sobre cor da pele não te faz uma pessoa livre de preconceito, suas atitudes sim são capazes de falar sobre você.

E quando eu faço alguma coisa no programa que não agrada gente como vocês, tenho cada vez mais certeza que estou no caminho certo. Muito obrigado por me acordar de madrugada com uma porcaria dessas, mas que foi capaz de mostrar o quanto somos diferentes, graças a deus.

+ sobre o tema

para lembrar

Polícia vai indiciar funcionário de drogaria acusado de racismo no Rio

A Polícia Civil do Rio decidiu indiciar o...

Expulso, francês acusa brasileiro de chamá-lo de ‘macaco’ na Espanha

Expulso e suspenso por quatro jogos após carrinho...

Acusado de racismo, maquiador de Ronaldo Fraga se desculpa

Desfile da coleção do estilista colocou modelos com palha...

E como vai pagar? Pelo Facebook, Ellen Oléria denuncia que teria sofrido discriminação

A brasiliense contou, pelo Facebook, que o caso envolveu...
spot_imgspot_img

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...

‘Moro num país racista’, diz empresário que encerrou contrato de R$ 1 mi por ser chamado de ‘negão’

Nem o ambiente formal de uma reunião de negócios foi capaz de inibir uma fala ofensiva, de acordo com Juliano Pereira dos Santos, diretor...
-+=