Universidades de Moçambique e Brasil com acervo digital sobre cultura e história suaíli

Universidades de Moçambique e do Brasil laçaram o “Acervo Digital Suaíli”, um projeto que visa disponibilizar conteúdos na internet sobre a história e a cultura suaíli do norte de Moçambique, informa um comunicado enviado à Lusa.

no Mundo Lusiada

Imagem: mundolusiada.com.br

“A intenção é que o Acervo Digital Suaíli possa fomentar mais pesquisas acadêmicas e propiciar o aperfeiçoamento do ensino nas universidades e nas escolas e contribuir para a formação de docentes”, refere a nota de imprensa.

O projeto, lançado na segunda-feira no Brasil, é da autoria de 12 pesquisadores das universidades moçambicanas Eduardo Mondlane, Lúrio, e a brasileira PUC- Pontifícia Católica do Rio de Janeiro.

Os conteúdos disponibilizados em formato digital incluem manuscritos em “ajami”, escrita das línguas africanas usando o alfabeto árabe, mapas, vídeos com entrevistas e manifestações culturais em áudios e imagens, segundo a nota.

“Dessa forma, está a ser privilegiada a popularização e a difusão de tecnologias como meio de inclusão social, proporcionando conteúdos digitais como instrumento de apoio a professores e estudantes”, refere a nota.

“O norte de Moçambique tornou-se historicamente uma das regiões mais importantes da África Oriental. Até o final do século XIX era um dos principais pontos de encontro das caravanas comerciais que vinham do interior do continente africano e de mercadores originários de toda a costa suaíli e de regiões mais distantes do Golfo Pérsico e da China. Como parte integrante de redes internacionais de comércio e de intercâmbios religiosos islâmicos, que englobavam o espaço do Oceano Índico, o norte de Moçambique foi marcado pela intensa circulação de pessoas, produtos, ideias e saberes” defende o projeto.

O acervo refere-se a região da costa oriental africana que inclui o norte de Moçambique, a Tanzânia, o Quênia e o sul da Somália. Confira mais no site www.acervodigitalsuaili.com.br.

+ sobre o tema

Lançamento do livro/CD/DVD ‘O Jongo do Tamandaré’

    Saiba Mais:  Jongo Cacuriá AS DANÇAS...

Gal Martins: O movimento que faz a diferença

Como Gal Martins levou a linguagem da dança contemporânea...

Sessão solene pelo centenário do “Sambista Pé Rachado”

O sambista Pé Rachado se vivo completaria 100...

para lembrar

Documentário aborda preconceito contra cantoras negras no Heavy Metal

  Um novo vídeo jornalístico da Global Television foca...

A música política do Rapper Azagaia – por Joseh Silva

Em letras de enorme sucesso, e num estilo que...

Cinema de cabelo duro

"Pelo Malo" traça vasto panorama da sociedade venezuelana...
spot_imgspot_img

Casa onde viveu Lélia Gonzalez recebe placa em sua homenagem

Neste sábado (30), a prefeitura do Rio de Janeiro e o Projeto Negro Muro lançam projeto relacionado à cultura da população negra. Imóveis de...

No Maranhão, o Bumba meu boi é brincadeira afro-indígena

O Bumba Meu Boi é uma das expressões culturais populares brasileiras mais conhecidas no território nacional. No Maranhão, esta manifestação cultural ganha grandes proporções...

“O batuque da caixa estremeceu”: Congado e a relação patrimonial

“Tum, tum-tum”, ouçam, na medida em que leem, o som percussivo que acompanha a seguinte canção congadeira: “Ô embala rei, rainha, eu também quero...
-+=