2° Mostra da Mulher Afro discute violência contra a mulher negra

O Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes (CFCCT) realiza entre 16 e 31 de julho a 2° Mostra da Mulher Afro, Latinoamericana, Caribenha e Indígena – Violências In’vibilizadas”. A edição deste ano será dedicada em memória de Luana Barbosa dos Reis, morta em abril deste ano, após ser espancada por policiais.

no Catraca Livre

Nesta edição, além do CFCCT, o evento acontecerá também em parceria com outros espaços culturais da cidade de São Paulo: Centro Cultural da Juventude, Centro Cultural da Penha, Centro Cultural Vila Formosa, Casa de Cultura de Cidade Tiradentes, Casa de Cultura de São Mateus, Casa de Cultura Brasilândia e Teatro Flávio Império. Com isso, a discussão sobre a violência contra a mulher negra será ampliada para outras regiões da cidade, numa articulação e organização conjunta com os referidos espaços culturais.

A mostra vai discutir as diferentes formas de violência sofridas e enfrentadas pelas mulheres negras e latinas, na maioria das vezes silenciadas, como a cultura do estupro, violência doméstica, sexual, emocional, racial, institucional e de gênero.

Na programação da 2° Mostra da Mulher Afro, Latinoamericana e Caribenha haverá shows, seminários, espetáculos teatrais, exposições temáticas, rodas de conversas e outras atividades com objetivo de refletir sobre a violência contra a mulher negra.

Celebrado em 25 de julho, o Dia da Mulher Afro, Latinoamericana e Caribenha a data lembra a luta da mulher negra que em sua jornada de vida tem uma luta dupla contra o racismo e machismo. A data foi definida em 1992, em Santo Domingo, na República Dominicana, durante a realização do 1º Encontro de Mulheres Afro, Latinoamericanas e Afrocaribenhas.

+ sobre o tema

O poder do amor próprio

Minha história se inicia no dia 30/01/1993, em uma...

Rita Bosaho é a primeira mulher negra eleita deputada em Espanha

O resultado das recentes eleições é histórico também porque...

Mulheres pretas acadêmicas

Seguindo os últimos textos, onde destaquei algumas mulheres que...

A Mulata Globeleza: Um Manifesto

A Mulata Globeleza não é um evento cultural natural,...

para lembrar

Eleições 2018: e nós com isso?

Quem somos nós? Somos lésbicas e o povo LGBT...

Onde estavam as mulheres negras na ditadura militar?

Vou começar falando da dificuldade em escrever sobre mulheres...

Thais Ferreira: A mente brilhante das oportunidades a quem não tem

Jovem carioca planta sementes para que população mais vulnerável...

Grupo usa mitologia dos orixás para criar coreografias e oficinas de dança

Balé das Yabás debate o feminismo e o transforma...
spot_imgspot_img

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Comida mofada e banana de presente: diretora de escola denuncia caso de racismo após colegas pedirem saída dela sem justificativa em MG

Gladys Roberta Silva Evangelista alega ter sido vítima de racismo na escola municipal onde atua como diretora, em Uberaba. Segundo a servidora, ela está...

Uma mulher negra pode desistir?

Quando recebi o convite para escrever esta coluna em alusão ao Dia Internacional da Mulher, me veio à mente a série de reportagens "Eu Desisto",...
-+=