A formação de pastores evangélicos no combate ao racismo e à intolerância religiosa é destaque em reunião na Sepromi

A formação de pastores evangélicos no combate ao racismo e à intolerância religiosa foi destaque em encontro de representantes do Coletivo Martin Luther King com a secretária estadual de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi), Vera Lúcia Barbosa, nesta terça-feira (03), na sede da pasta, em Salvador.
Os participantes discutiram ainda sobre editais, possibilidades de parcerias para curso direcionado a líderes afrodescendentes e realização de evento pela passagem do Dia Estadual Reverendo Martin Luther King Jr. (4 de abril), que foi instituído pela Lei nº 12.951 em fevereiro do ano passado.
Segundo o coordenador-geral do Coletivo, Ademir Santos, o objetivo da atividade é informar as pessoas sobre a influência do ativista na luta pela igualdade racial e debater assuntos relacionados aos direitos humanos, etnia e raça.
“Este espaço não pode ser intitulado de crença A ou B. Nós, negros e negras, estamos em todos os lugares e nossas ações precisam refletir essa diversidade”, afirmou a gestora ao colocar a Sepromi à disposição não apenas para o segmento, mas a qualquer organização da sociedade civil que precisar.

+ sobre o tema

Os loucos, os normais e o Estado por ELIANE BRUM

Os “loucos” são aqueles que dizem mais dos “normais”...

Estudante que ofendeu nordestinos no Twitter é condenada

Pena de Mayara Petruso foi convertida em serviço comunitário...

Artilheiro da França não canta o hino do país em protesto contra xenofobia

Na primeira vez que a Marselhesa foi entoada na...

“Irmãos Williams” Dirigente russo pede desculpas e Serena chama ofensas de inaceitáveis

Presidente da federação de tênis do país, Shamil Tarpischev...

para lembrar

Parlamento branco comprova que ‘mentira cívica’ não foi desfeita

Em 2013, somente 55 (10,7%) dos 513 deputados federais...

Terreiro pede, em carta, apuração sobre finalidade dos Gladiadores do Altar

Casa de Oxumaré destaca que não seria possível afirmar...
spot_imgspot_img

Na mira do ódio

A explosão dos casos de racismo religioso é mais um exemplo do quanto nossos mecanismos legais carecem de efetividade e de como é difícil nutrir valores...

Intolerância religiosa representa um terço dos processos de racismo

A intolerância religiosa representa um terço (33%) dos processos por racismo em tramitação nos tribunais brasileiros, segundo levantamento da startup JusRacial. A organização identificou...

Intolerância religiosa: Bahia tem casos emblemáticos, ausência de dados específicos e subnotificação

Domingo, 21 de janeiro, é o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Nesta data, no ano 2000, morria a Iyalorixá baiana Gildásia dos...
-+=