Guest Post »

Negros de proveta, ou quando o racismo germina dentro de casa

” o racismo e a opressão familiar e cordial de nosso cotidiano brasileiro.”

por marcos romão do mamapress
“Temos observado um fenômeno preocupante que são agressões que jovens mulheres negras estão sofrendo nas redes sociais.
negras-atacadas

Para nosso espanto as agressões que estas jovens recebem não são de carecas neonazistas, mas sim de homens machistas e negros.

São xingadas quase sempre de mal-amadas no mínimo, quando não sofrem bullyng por parte de grupos que parecem agir orquestradamente, ao se dizerem ofendidos em suas “masculinidades”.

Restrito à pequenas redes sociais, as agressões contra a jovens negras, que escrevem sobre tudo, mas principalmente sobre o machismo e a discriminação racial sobretudo contra a mulher negra, ganhou uma certa notoriedade quando o ator e cantor negro da rede Globo, Marcello Melo Jr, postou imagens depreciativas às mulheres negras, e partiu para ofensas contra seu fã clube que protestou.

Machismo e racismo não é privilégio nem de classe nem de cor. No Brasil em especial, qualquer um pode se comportar como racista “branco” mesmo que seja negro e até pobre pobríssimo quando numa briga se acha no direito de chamar o outro pobre de negro fedido.

No fenômeno em questão, parece que o racismo estilo brasileiro não foge à regra, o negro Marcelo Mello Jr, ao se ver criticado por uma mulher negra soltou o verbo na rede social:

“vai caçar marido! Mau comida não…Pq ninguém de comer vcs!
“Vai se fuder feia pra caralho! Horrível vc Feia e Ridícula.”

Nós do Sos Racismo Brasil consideramos este fenômeno de agressividade discriminatória extremamente grave, e independentemente das ações legais e desculpas individuais, consideramos que toda a nossa sociedade precisa puxar o freio de mão dessas agressões e discutir em público e sem medo o racismo, o sexismo, e a homofobia que está se disseminando no seio de nossa juventude.

Empregadores e empregados de empresas, professores e alunos de escolas, pais e filhos, precisam sem preconceitos e pre-julgamentos pegar o Touro da Intolerância e do Obscurantismo à unha.
Ainda temos tempo, precisamos agir, pois este caso é muito mais que uma polêmica de artistas imberbes e irresponsáveis. É um dilema que se explicado, ajudará em muito a entendermos o racismo e a opressão familiar e cordial de nosso cotidiano brasileiro.

mello

leia o caso:

Depois de briga com seguidores, Marcello Melo Jr apaga imagem polêmica

Related posts