A madame é racista? Não… Desculpe, foi erro do digitador

Agência de empregos que contrata domésticas pergunta se cliente tem preferência por cor em formulário

Uma agência de recrutamento de empregadas domésticas de Sorocaba oferece no site uma opção para que o contratante decida a cor da pele da funcionária. O questionamento está na página da internet da empresa, no espaço reservado para a pré-seleção de funcionários. Em um dos campos está escrito: “preconceito de cor”, o que deve ser preenchido com a resposta sim ou não.

Até às 12h, o site exibia a página, mas foi retirado do ar uma hora depois, quando houve contato da equipe de reportagem com os responsáveis pela agência.

O vice-presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Sorocaba, Fábio Cenci esclarece que o assunto merece atenção e que se trata de um caso de preconceito. “A empresa pode ser fiscalizada pelo Ministério do Trabalho e até mesmo passar por um processo de investigação do Ministério Público”, afirma.

Uma das sócias da empresa, que não quis se identificar informou que a página passou por uma reformulação e que o campo foi acrescentado sem que os responsáveis tivessem visto. Ela deixou claro que é contra o racismo e que já tomou as medidas necessárias para que o campo fosse retirado do formulário.

O representante do Ministério Público em Sorocaba, José Alberto de Oliveira Marum, entrou em contato com a empresa para que o conteúdo fosse retirado do ar. Outras implicações para a empresa ainda estão sendo analisadas pelo ministério.

O caso chamou a atenção de grupos que defendem os interesses de negros em Sorocaba. A coordenadora do Projeto Quilombinho, Rosângema Alves, acredita que o fato de a página ter sido retirada do ar é uma prova de que os donos da empresa se deram conta da falha. “Agora é a hora de revermos o assunto. Muitos dizem que não existe mais racismo, só que esse fato mostra que ele está mais vivo do que nunca.”

 

Leia Também: 

  1. madame é racista? ( sim ou não)

 

 

Fonte: Dia a dia 

 

 

+ sobre o tema

TV Globo nega racismo em foto sobre ‘diversidade’ só com mulheres louras

Dezessete mulheres louras, brancas, de cabelos lisos se enfileiram...

Racismo na Globo revolta alunos e professoras

Um comentário do jornalista Alexandre Garcia, ex-porta-voz da ditadura...

Campanha por uma infância sem racismo é premiada em Cannes

A campanha sobre os impactos do racismo na infância,...

para lembrar

Luana Tolentino: Caso de Domingas ilustra bem a oposição às cotas

Domingas Mendes teve seu ingresso negada pela UFRGS, mas...

Pastor Marco Feliciano será investigado por suposto racismo

A Frente Parlamentar pela Igualdade Racial vai analisar...

‘Racismo é recorrente’, diz delegado de combate a crimes virtuais no Rio

Semana teve ataques racistas a atriz Taís Araújo por...

Geert Wildres, líder ultradireitista holandês, é absolvido de acusação de incitar ao ódio

  O líder da extrema direita holandesa Geert Wilders, acusado...
spot_imgspot_img

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...

Homens, o tema do aborto também é nossa responsabilidade: precisamos agir

Nesta semana, a escritora Juliana Monteiro postou em suas redes sociais um trecho de uma conversa com um homem sobre o aborto. Reproduzo aqui: - Se liberar o...
-+=