quarta-feira, setembro 22, 2021
InícioQuestão RacialCasos de RacismoAcusado de racismo, correio da Espanha suspende venda de selos com tons...

Acusado de racismo, correio da Espanha suspende venda de selos com tons de pele

Correos, o serviço postal da Espanha, encerrou uma campanha amplamente criticada de selos inspirados em diferentes tons de pele, apenas três dias após seu lançamento, após críticas de que a ação perpetuava o racismo.

O serviço postal administrado pelo governo estreou na semana passada os “Selos da Igualdade”, uma coleção de quatro selos que representavam diferentes cores de pele.

O mais claro dos selos custava € 0,90 a mais do que o selo mais escuro – uma diferença de preço com objetivo de refletir o valor que os espanhóis dão às pessoas com base na cor da pele, de acordo com o material da campanha publicitária.

A reação online, no entanto, foi extremamente negativa. Milhares de usuários no Twitter criticaram a campanha em seu lançamento, chamando-a de deslocada ou “acidentalmente racista”. Muitos usuários expressaram surpresa pelo fato de um serviço administrado pelo governo aprovar tal produto.

As vendas dos selos foram completamente encerradas na manhã de sexta-feira (28), disse um porta-voz dos Correos à CNN. Ele disse que os correios “não farão comentários” sobre as críticas que a campanha recebeu.

Questionado se o fim da campanha foi uma reação a essas críticas, ele disse à CNN: “Não é bem assim”. “Correos é uma empresa anti-racista”, disse o porta-voz, que observou que a empresa não costuma especificar quando uma campanha vai terminar.

Selos pretendiam refletir ‘realidade injusta e dolorosa’
A campanha foi lançada durante o esforço da União Europeia em promover o Mês Europeu da Diversidade, especificamente na marca de um ano do assassinato de George Floyd.

O Correos fizeram parceria com a Federação Espanhola SOS Racismo, uma organização sem fins lucrativos, na campanha, informou o serviço postal em um comunicado à imprensa.

Para promover os “Selos da Igualdade”, os Correos contaram com a ajuda do rapper afro-espanhol Domingo Edjang Moreno, mais conhecido como El Chojin. Em um anúncio em inglês da coleção, Moreno diz que os selos “refletem uma realidade injusta e dolorosa que nunca deveria existir”.

 

Dos quatro tons dos “Selos da Igualdade”, o mais claro custava € 1,60 euro (cerca de R$ 10,20), enquanto o selo do tom mais escuro custava € 0,70 euro (cerca de R$ 4,45).

“Quanto mais escuro o selo, menor seu valor”, disse Moreno no anúncio. “Isso significa que você precisará de mais selos pretos do que brancos para sua entrega. Dessa forma, cada carta e cada pacote serão um reflexo da desigualdade gerada pelo racismo – um protesto.”

Os críticos da Correos viam os selos como uma propagação do racismo, em vez de uma forma de combatê-lo.

Embora o anúncio tenha descrito a coleção como um ato de protesto, “exigindo que a cor não determine o valor que atribuímos à vida de uma pessoa”, a campanha acabou ofendendo as pessoas negras na Espanha, a quem o anúncio visa, disse Antumi Toasijé, presidente do Conselho para a Eliminação da Discriminação Racial ou Étnica.

“Uma campanha que indigna aqueles que afirma defender é sempre um erro”, tuitou Toasijé na semana passada, quando pediu que a empresa suspendesse a campanha.

CNN entrou em contato com Moreno para comentar a campanha. Um porta-voz da SOS Racism disse que a organização está “ciente da polêmica” em torno dos selos e está decidindo seus próximos passos.

(Texto traduzido; leia o original em espanhol)

RELATED ARTICLES