África e sua diáspora

    housedetail

    Viviendas garífunas

     Origem: Stanford.edu Tradicionalmente, las casas se construyían de materials naturales. Los varones remarían a pantones en sus cayucos y cortarían palmas de tique como soportes para las paredes. Otros irían a las montañas y recoger paja para el techo. Se cortaban caña brava para entretejer los palos tiques. Se amarraban entonces la caña brava y los troncos tiques con una viña, conocida como mimbre en español y mibi en garífuna. ¡No hacía falta ningún clavo para construir la casa!   En el pasado, la comunidad garífuna ayudarían a que los recién casados hicieran su nueva casa. Los varones pondrían el techo de paja o armar las paredes de caña brava y tique. Los niños llevarían cubetas de agua para mezclar con el barro y llenar las paredes. Y las mujeres preparían la comida para los trabajadores hambrientos. Cuando se terminó la casa, el buyei o curador purificaría la casa con...

    Leia mais
    lucydetail

    Máxima Lucy

    Origem: Stanford.edu   Máxima "Lucy" Thomas: Directora del Museo Garífuna   El trabajo de toda mi vida Mi nombre es Máxima Thomas. Soy egresada de la Escuela Superior en la carrera de Ciencias Sociales y egresada de la Escuela Nacional de Bellas Artes como profesora de Artes Plásticas. Mi trabajo consiste en impulsar el arte a través de exposiciones permanentes de pintura y escultura, y desarrollar proyectos para difundir, preservar y conservar lo que es la cultura garífuna. Hemos encaminado nuestro trabajo a rescatar y preservar nuestra cultura en su forma auténtica, sin que caiga en el folklorismo y pierda su uso con fines lucrativos.   La misión del museo En 1996, fundamos lo que es el Museo Garífuna. El objetivo primordial es difundir la cultura garífuna y ofrecer un servicio educativo cultural y turístico a los que vengan a nuestras comunidades, interesados en saber más de la cultura garífuna. Nosotros...

    Leia mais
    movi

    Historia garífuna cultural

     Origem: Stanford.edu La cultura garífuna es una híbrida de tradiciones arawak, africanas, y europeas. Se ven rastros de su herencia africana en sus danzas de punta y Wanaragua, sus tambores sagrados, fábulas Anancy, culto al antepasado, comidas de banano y otras prácticas. Mucha gente garífuna orgullosamente sostiene sus raíces africanas y prefieren ser llamados "garinagu," el nombre africanizado para garífuna. Y la bandera de tres colores, que representa la Nación Garífuna, incluye negro como un símbolo de África. El modo de vida garífuna también proviene de sus antepasados amerindios. Este legado es evidente en su cultivo de casava, su preparación de casabe, su pasión por la pesca y el mar, su división de labores, sus velorios, su uso de maracas en danzas festivas, y su fé en el buyei como curadero o consejero. La lengua garífuna pertenece a la familia arawak, aunque se han prestado palabras de Bantu Africano Occidental,...

    Leia mais
    n17_01a_in

    Cem Anos e Mais de Bibliografia sobre Negro no Brasil

    Obs.: Esta é uma lista de Títulos e não os textos Para conhecer todos os títulos abra o anexo após o sumário (Obra revisada, corrigida e ampliada - classificação por assunto) Organizador: Kabengele MunangaPesquisadores: Antonia de Lourdes dos SantosKabengele MunangaEquipe Técnica (Digitação e Preparação):Antonia de Lourdes dos SantosJosselito Batista de JesusRevisão: Antonia de Lourdes dos SantosCapa:Apoio:UNIVERSIDADE DE SÃO PAULOCENTRO DE ESTUDOS AFRICANOSFUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES SUMÁRIO 1.ÁFRICA........................................................................................... 11.1. CULTURAS....................................................................................11.2. HISTÓRIA.....................................................................................141.3. LITERATURA ................................................................................251.4. RELAÇÕES SUL-SUL / BRASIL-ÁFRICA ............................................301.5. OUTROS......................................................................................442. BIBLIOGRAFIAS............................................................................. 523. CONGRESSOS/SEMINÁRIOS ............................................................ 584. CULTURAS NEGRAS NO BRASIL......................................................... 614.1. RELIGIÕES...................................................................................614.1.1. Candomblé ................................................................................614.1.2. Macumba...................................................................................1054.1.3. Umbanda ..................................................................................1074.1.4. Irmandades ..............................................................................1214.1.5. Sincretismo ..............................................................................1274.1.6. Catolicismo ...............................................................................1344.1.7. Vodum......................................................................................1394.1.8. Outros.......................................................................................1424.2. DANÇA/MÚSICA/ESPORTE.............................................................. 1784.2.1. Carnaval ...................................................................................1944.2.2. Samba........................................................................................2014.2.3. Bumba-meu-boi ..........................................................................2064.2.4. Capoeira .....................................................................................2094.2.5. Outros .........................................................................................2134.3. ARTE/LITERATURA/MEDICINA ........................................................... 2214.4. LÍNGUA .......................................................................................... 2554.5. CULINÁRIA...................................................................................... 2604.6. OUTROS.......................................................................................... 2635. DEMOGRAFIA ...................................................................................... 2896. DICIONÁRIOS...................................................................................... 3038. RELAÇÕES RACIAIS/INTERÉTNICAS.........................................................3068.1. RAÇA, CLASSE, PRECONCEITO, DISCRIMINAÇÃO, RACISMO, SEGREGAÇÃO E APARTHEID 3068.2. MERCADO DE TRABALHO, POLÍTICA, LAZER, SAÚDE..............................4218.3. EDUCAÇÃO........................................................................................4488.4. MULHER NEGRA, RELAÇÕES DE GÊNERO..............................................4828.5....

    Leia mais
    Foto: Juliana Knobel/ FFW

    Estilista Negro

    POR MUITO pouco -quatro meses de atraso na mensalidade- que Wilson Ranieri não abandonou os estudos de moda na Faculdade Santa Marcelina. Isso significa que ele não seria, nesta semana, o único estilista negro a apresentar suas criações na SPFW (São Paulo Fashion Week). Professores e colegas se comoveram e fizeram uma "vaquinha" para ajudá-lo a saldar a dívida. "Estava disposto a desistir, não tinha a quem pedir ajuda." Diante dos apelos, a direção da escola concordou que ele assinasse uma promissória facilitando o pagamento. "Naquela época, eu nem mesmo tinha clareza se queria fazer carreira na moda." Neste ano, pela primeira vez, a questão de raça entrou nos desfiles, após o Ministério Público pedir que uma cota de modelos fosse negra -fato que ganhou ainda mais repercussão com a informação, publicada ontem por Mônica Bergamo, de que Paulo Borges, diretor do SPFW, quis proibir as agências de modelos de...

    Leia mais
    Comparando abolicoes - EDUCADOR

    121 anos de abolição: continuamos amordaçados

    Fonte: Amazônia-Brasil - Escrito por José Reis Dualibi   Eu não entendo mas procuro compreender do porque o Estado do Amapá procurou ou escolheu o "estrangeiro" Senador PRECONCEITUOSO e RACISTA José Sarney para representar o Estado no Senado da República Federativa do Brasil. Apesar do Senador José Sarney ter criado a Fundação Palmares, hoje rebatizada como FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES, este Órgão Federal até o presente momento, apesar de ter mais de 20 anos, ainda não disse para que veio, não vejo cumprir nenhuma função em relação a população NEGRA, a que foi criada. Vejo apenas como um CURRAL ELEITORAL para a família Sarney assim como é a Secretaria Especial a Igualdade Racial - SEPPIR, criada pelo Presidente Lula para atender a todos os políticos do PT. O nobre Senador José Sarney não tem nada a haver, com cara e o Estado do Amapá e sim do Maranhão. O Exmo. Senhor...

    Leia mais
    LOGO ELETROBRAS

    Projeto da Eletrobrás entra na pauta do Peru com indígenas

    Fonte: Folha de São Paulo - Parte de plano de investimento de US$ 16 bi em seis usinas, projeto de hidrelétrica é rejeitado por comunidades locais Governo promete derrubar decretos que causaram crise no país, e manifestantes determinam fim parcial dos bloqueios de estradas O governo do Peru incluiu na pauta de negociação com os indígenas amazônicos, fechada em acordo anteontem, o debate sobre a "pertinência" do projeto da hidrelétrica Paquizapango, no rio Ene, na selva central do país, cujo estudo de pré-viabilidade está sendo feito pela Eletrobrás. A hidrelétrica, que faz parte de um pacote de seis usinas que a estatal brasileira estuda construir em território peruano, com investimento estimado em US$ 16 bilhões, é rejeitada pelas comunidades do povo asháninka das regiões (Estados) de Madre de Dios e Junín. A inclusão do tema mostra a crescente articulação do movimento indígena nacional em defesa de demandas antes tratadas localmente...

    Leia mais
    los_garifunas04

    Los Garífunas: mitad afro, mitad amerindios

     Origem: Stanfod.edu Los garífunas son reconocidos por su forma sensual de bailar la punta, por su típico "rice and beans" y el son de sus tambores que ha inundado las playas y costas del atlántico centroamericano, en Honduras, Guatemala y Belize. Un grupo étnico que ha conservado sus costumbres a pesar de la fuerte trans-culturización por el paso de los años. Sus danzas, cánticos y arte culinario permanecen intactos. Muchos garífunas prefieren ser llamados "garinagu," el nombre africano para garífuna.   La cultura garífuna es un híbrido de tradiciones arawak, africanas, y europeas. Su historia comienza antes del año 1635 en la isla de San Vicente en el Caribe oriental. San Vicente estaba habitada por una tribu de Indios Arawaks. La tribu Kalipuna, procedente del territorio continental sudamericano, invadió San Vicente y los conquistó. Los hombres Arawaks fueron asesinados y los guerreros Kalipuna tomaron como esposas a las mujeres Arawaks....

    Leia mais

    Cumbia chega ao país com mistura eletrônica

    Tradicional ritmo latino-americano sai da periferia para ir a bairros nobres Integrante de um dos principais grupos argentinos fala sobre as comparações com o "primo" funk carioca Por THIAGO NEY, da Folha de S. Paulo  A cumbia está para Buenos Aires como o funk carioca está para o Rio de Janeiro. A comparação é um bom ponto de partida para tentar entender esse tradicional ritmo dançante latino-americano que começa a ser difundido pelo Brasil. Um dos primeiros embaixadores da cumbia no Brasil foi o atacante argentino Tevez, que em 2005 comemorava seus gols no Corinthians com os característicos passos da dança. Como muitos jovens saídos das regiões pobres da capital argentina, Tevez tornou-se fã do gênero -é, inclusive, integrante de um grupo musical que interpreta canções típicas. Se o funk carioca saiu das favelas do Rio para ganhar clubes da zona sul, a cumbia partiu da periferia da capital argentina...

    Leia mais
    Pete Souza/The White House

    Obama derrota Brad Pitt como homem mais estiloso em pesquisa

    SYDNEY (Reuters) - Brad Pitt foi deixado de lado. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, derrotou todos os ícones masculinos de costume em uma pesquisa que o elegeu o homem mais estiloso do mundo. O presidente de 47 anos venceu uma pesquisa com 3.000 homens após impressionar as pessoas ao redor do mundo com seus ternos e vestuário. O ator Brad Pitt veio em 2o lugar, elogiado por sua capacidade de estar elegante de terno ou de jeans. O terceiro na lista da pesquisa, feita pela OnePoll.com, foi o jogador de futebol britânico David Beckham, cujo estilo fez dele um dos homens mais fotografados do mundo e o rosto -- e corpo -- da campanha de roupas íntimas da Giorgio Armani. "Barack Obama possui um enorme senso de estilo, o que sem dúvida aumenta sua popularidade", disse Jonathan Heilbron, presidente da marca de camisas de luxo britânica Thomas Pink,...

    Leia mais
    cidade-de-deus-destaque

    Cidade de Deus está em lista de melhores filmes estrangeiros

    Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, foi eleito o quarto melhor filme estrangeiro da década pela revista norte-americana Paste. A publicação listou os "25 títulos essenciais" produzidos fora dos Estados Unidos a partir do ano 2000. O Labirinto do Fauno, do mexicano Guillermo del Toro, encabeça o ranking. Na segunda posição vem O Tigre e o Dragão, do taiwanês Ang Lee, seguido por O Escafandro e a Borboleta, produção francesa dirigida pelo norte-americano Julian Schnabel. Na frente de hits cinematográficos como Fale Com Ela e Volver, de Pedro Almodóvar, e O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, do francês Jean-Pierre Jeunet, a história de Zé Pequeno e cia. é exaltada pela revista. O filme teria sido "a surpresa do Oscar 2004", por ter recebido quatro indicações em "um dos raros momentos de clareza da Academia". A publicação ainda aponta que Cidade de Deus "não precisa de prêmios para ganhar espaço na...

    Leia mais
    kathleen_battle01b

    Kathleen Battle

    &g Swing Low Sweet Chariot - Boys Choir of Harlem Kathleen Battle nasceu em 13 de agosto de 1948 em Portsmouth, Ohio, Estados Unidos. É uma soprano conhecida por sua voz ágil, ligeira, e seus tons puros. Inicialmente abordou o repertório de concertos, por meio de apresentações com importantes orquestras, durante o início e meados da década de 1970. Estreou na ópera em 1975. Expandiu seu repertório, cantando papeis de soprano ligeiro e soprano coloratura durante os anos oitenta e parte dos anos noventa. Embora já não participe mais de óperas, mantém-se ativa em concertos e recitais. Seu repertório abrange um vasto conjunto de músicas, incluindo a música clássica e o jazz.   Após formar-se no Colégio-Conservatório de Música, na Universidade de Cincinatti, dedicou-se ao ensino da música numa escola pública. Após participar de um teste, o regente Thomas Schippers a contratou como solista do Ein deutsches Requiem, de Brahms,...

    Leia mais
    barbara_hendricks01b

    Barbara Hendricks

    Vien diletto - I Puritani - 1979 Barbara Hendricks nasceu em 20 de novembro de 1948 em Stephens, Arkansas, Estados Unidos. Soprano, apresenta-se também em concertos. É conhecida por sua atuação como ativista dos direitos humanos. Tornou-se cidadã sueca. Sua estréia profissional, na ópera, ocorreu no Festival de Glyndenbourne e, nos Estados Unidos, na Ópera de San Francisco. Durante sua carreira cantou nos principais teatros de ópera do mundo inteiro, incluindo a Ópera de Paris, Metropolitan Opera, Royal Opera House, em Covent Garden, e La Scala, em Milão. Em 1998 cantou o papel de Liu na histórica encenação da ópera Turandot, na Cidade Proibida, em Pequim. Barbara Hendricks interpretou mais de vinte papéis, doze dos quais gravou. Ela também se dedica ao jazz e participou do Festival de Jazz de Montreux, Suíça, em 1994. Desde então vem participando de importantes festivais de jazz, no mundo inteiro. Ela é igualmente conhecida...

    Leia mais
    jessye_norman01b

    Jessye Norman

    "The Bohemian girl" - M.W.Balfe -   Jessye Norman nascida em Augusta, Georgia, em 15 de setembro de 1945, é uma das mais admiradas cantoras de ópera e recitalistas contemporâneas, bem como uma das mais bem pagas artistas que se dedicam à música clássica. Soprano dramático, com majestosa presença de palco, Jessye Norman associa-se em particular aos papéis de Aida, Cassandra, Alceste e Leonora, em Fidelio. Ela é conhecida pelas qualidades diretas e emocionalmente expressivas de seu canto e por sua excepcional compreensão intelectual da música e de seu estilo, bem como por sua formação musical de primeira categoria. Como intérprete, destaca-se por sua personalidade magnética e, com sua imponente presença física, causa profunda impressão nas platéias. De acordo com o crítico Curt Sanburn, na revista Life, Jessye Norman cria, no palco, a percepção de alguém que "avulta verdadeiramente por detrás de seu canto". Seu comportamento, em público, é uma...

    Leia mais
    grace_bumbry01

    Grace Bumbry

    Carmen - Habanera Grace Bumbry nasceu em St. Louis, Missouri, Estados Unidos, em 4 de janeiro de 1937. Foi considerada uma dos mais destacadas meio-sopranos de sua geração, bem como uma grande soprano, durante muitos anos. Integrou uma extraordinária e pioneira geração de cantoras que se seguiram a Marian Anderson, incluindo Leontyne Price, Martina Arroyo, Shirley Verrett e Reri Crist, e pavimentou o caminho para futuras cantoras afro-americanas de ópera e de música clássica.   Ela foi notada particularmente por seu arrebatado temperamento e por sua intensidade dramática no palco. Mais recentemente tornou-se conhecida como recitalista e intérprete de lieder, bem como professora. A partir do final de 1980 concentrou sua carreira mais na Europa do que nos Estados Unidos. Morou durante muito tempo na Suíça e agora reside em Salzburg, Áustria. Grace Bumbry obteve reconhecimento internacional quando Wieland Wagner, neto de Richard Wagner, lhe confiou o papel de Vênus,...

    Leia mais
    blank

    Kathleen Battle

    Kathleen Battle nasceu em 13 de agosto de 1948 em Portsmouth, Ohio, Estados Unidos. É uma soprano conhecida por sua voz ágil, ligeira, e seus tons puros. Inicialmente abordou o repertório de concertos, por meio de apresentações com importantes orquestras, durante o início e meados da década de 1970. Estreou na ópera em 1975. Expandiu seu repertório, cantando papeis de soprano ligeiro e soprano coloratura durante os anos oitenta e parte dos anos noventa. Embora já não participe mais de óperas, mantém-se ativa em concertos e recitais. Seu repertório abrange um vasto conjunto de músicas, incluindo a música clássica e o jazz. Após formar-se no Colégio-Conservatório de Música, na Universidade de Cincinatti, dedicou-se ao ensino da música numa escola pública. Após participar de um teste, o regente Thomas Schippers a contratou como solista do Ein deutsches Requiem, de Brahms, no Festival dei Due Mondi em Spoleto, Itália, em 1972. Sua...

    Leia mais
    reri_grist01

    Reri Grist

    "Durch Zärtlichkeit und Schmeicheln" - Mozart Reri Grist nasceu em 29 de fevereiro de 1932 em Nova York e é soprano coloratura, uma das cantoras afro-americanas pioneiras na realização de uma importante carreira internacional na ópera. Ainda muito jovem, apresentou-se na Broadway em pequenos papéis e em musicais, ao lado de Ossie Davis, Ruby Dee, Lawrence Tibbet e Eartha Kitt. Em 1956 cantou em Carmen Jones, de Oscar Hammerstein, no papel de Cindy Lou, e também na primeira encenação do clássico musical West Side Story, em 1957. Logo após Leonard Bernstein contratou-a para cantar a parte de soprano na Sinfonia IV, de Mahler, com a New York Philarmonic. Nos anos seguintes apresentou-se sob a regência de Leonard Bernstein, Nadia Boulanger, Pierre Boulez e Michael Gielen.   Sua estréia oficial na ópera ocorreu na Ópera de Santa Fe, em 1959, no papel de Adele, em Die Fledermaus, cantando, em seguida, o...

    Leia mais
    convite_cineclube18-06-2009

    Cineclube Pólis exibe “VIDEOLÊNCIA”

    A sessão no Cineclube Pólis do documentário longa-metragem Videolência realizado pelo coletivo NCA - Núcleo de Comunicação Alternativa integra o Circuito de Exibição de Vídeo Popular que busca somar os esforços de diversos coletivos atuantes em São Paulo. São 24 pontos de Exibição espalhados por São Paulo e cidades vizinhas como Jundiaí / São Carlos. Este Circuito é uma das ações do Projeto do Vídeo Popular aprovado na edição 2009 do programa VAI da prefeitura municipal de cultura. Também fazem parte deste projeto a Revista do Vídeo Popular e a III Semana do Vídeo Popular. Confira aqui a relação dos pontos de exibição. Endereço Cineclube Pólis RUA ARAÚJO, 124, CENTRO ESQUINA COM A GAL. JARDIM, PRÓXIMO AO METRÔ REPÚBLICA VER NO MAPA VIDEOLÊNCIA (São Paulo, 2009, 60 min, miniDV) O documentário faz uma reflexão sobre a recente manifestação audiovisual que a periferia propõe, discutindo os velhos padrões televisivos, política e...

    Leia mais
    kalungas-comida-fundacao palmares

    INCRA divulga dados atualizados sobre a regularização de territórios quilombolas no Brasil.

    O INCRA tornou público três planilhas referentes aos "Títulos Expedidos às Comunidades Quilombolas", "RTID´s Publicados Geral" e "Quadro atual da política de regularização de territórios quilombolas no Incra". Tais arquivos atualizam e corrigem dados divulgados pelo órgão e entidades e agregam informações referentes à titulação promovida por órgãos estaduais. A planilha "Acumulado Títulos" aponta a Comunidade de "Boa Vista", município de Oriximiná/PA, com pouco mais de hum mil hectares, como a mais antiga terra titulada no país em 20 de novembro de 1995. Do total de 102 Terras Quilombolas (TQ´s), 15 foram tituladas pelo INCRA. Ao todo 171 comunidades foram tituladas contabilizando 955.333,2321 hectares reconhecidos como Terras Quilombolas (TQ´s). Destacamos, através das informações divulgadas, que órgãos estaduais de regularização fundiária têm sido responsáveis pela maior parte das titulações emitidas. A titulação dos territórios quilombolas pode ser conduzida por órgãos estaduais sendo que Rio Grande do Sul, Pará e São Paulo,...

    Leia mais
    silvany

    CARTA ABERTA por Profa. Silvany Euclênio

    Aos / às profissionais da Rede Municipal de Educação de Ribeirão Preto,À Sociedade Ribeirãopretana, Enquanto os leões não tiverem os seus contadores de história, as histórias das caçadas glorificarão os feitos dos caçadores . (Provérbio iorubano) Muitas pessoas vêm acompanhando atentamente o "Projeto Baobá - Ribeirão Preto Educando para a Igualdade Étnico-Racial", concebido em conjunto com o Centro Cultural Orunmilá, coordenado e executado por nós junto à rede municipal de educação de Ribeirão Preto. Pois bem, nesse momento em que solicitamos a nossa exoneração do cargo que vínhamos ocupando na administração municipal de Ribeirão Preto, desde dezembro de 2005, gostaríamos de compartilhar ou talvez rememorar, com todos/as um pouco da história desse projeto e explicitar as motivações que nos conduziram a essa decisão. Para aqueles e aquelas que questionam nosso pedido de exoneração, chamando a nossa responsabilidade para a grandeza do Projeto Baobá, saibam que não estamos saindo da luta,...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist