Agência de notícias distribui foto com ativistas climáticas, mas corta a única negra do grupo

É um caso de racismo evidente. A Associated Press, uma agência de notícias dos Estados Unidos, distribuiu uma foto das jovens ativistas do clima presentes em Davos em que a representante do continente africano, a única negra do grupo, foi cortada.

Por Joaquim de Carvalho, do DCM 

Acima, a foto original. No alto, a foto publicada: racismo explícito (Foto: Associated Press)

Num vídeo em que parece muito triste, Vanessa Nakate, da Uganda, disse que agora entende “definição da palavra racismo”. “Por que vocês me removeram da foto? Eu fazia parte do grupo”, tuitou, em resposta à AP.

David Ake, diretor de fotografia da AP, disse ao Buzzfeed do Reino Unido que, sob um prazo apertado, o fotógrafo “a recortou puramente por motivos de composição”.

“Ele achava que o prédio ao fundo era perturbador”, disse, conforme registra o jornal The Gardian.

Outras agências, incluindo a Reuters, publicaram a foto de Vanessa, mas trocaram ou omitiram seu nome. Em um caso, aparece como a ativista zambiana Natasha Mwansa.

No vídeo, Nakate considerou que não foi erro técnico, mas a supressão de vozes negras das conversas sobre as mudanças climáticas.

“Nós não merecemos isso. A África é o menos emissor de carbono, mas somos os mais afetados pela crise climática”, afirmou. “Apagar nossas vozes não vai mudar nada. Apagar nossas histórias não vai mudar nada.”

Depois, no Twitter, ele publicou as duas fotos, uma com corte e outra sem, e deu uma cacetada no fotógrafo e editores racistas:

“Vocês não apagaram apenas uma foto. Vocês apagaram um continente. Mas eu estou mais forte do que nunca”.

Ela avisou seguirá lutando, juntamente com Greta Thunberg, Loukina Tille, Luisa Neubauer e Isabelle Axelsson, as loirinhas que estavam na foto e não foram cortadas.

É preciso salvar o planeta e também as pessoas que moram no planeta, muitas perdidas em seus preconceitos e ódios.

.x.x.x.

Veja o vídeo:

 

 

 

Leia Também:

Racismo ambiental: o que é importante saber sobre o assunto

Racismo ambiental: África na rota dos lixos do ocidente

+ sobre o tema

“Orelha’ do Munanga e o racismo à brasileira

Por: MARTINIANO J. SILVA   Não sei se...

‘Diversidade é ter na empresa a representatividade da demografia’

Nos corredores de uma empresa de investimento, em São...

A quem serve a oposição entre judeus e negros?

Não são poucas as vezes que no debate racial...

Starbucks customers are changing their names to ‘Black Lives Matter’

The name changes prompt the baristas to yell “Black...

para lembrar

Programa da TV assembleia discutirá o racismo no Brasil

  Conforme a Constituição de 1988, a prática do racismo...

Liga francesa vai investigar caso de racismo contra Balotelli

A Liga de Futebol Profissional da França (LFP) confirmou...

Homen chama policial de “urubu” e é preso por racismo

Um homem de 25 anos, natural de Salinas, a...
spot_imgspot_img

Como é a vida para as mulheres no último país da África sob colonização

Ainda hoje há um país africano colonizado. O Saara Ocidental está ocupado pelo Marrocos desde 1976, depois de quase 90 anos de invasão espanhola, e esteve em guerra...

Revolucionário, mas não é para todos

Passei os últimos dias pensando no significado e na profundidade de uma postagem que li numa rede social contendo a afirmação: "Descansar é revolucionário!"....

‘Nossa missão é racializar as políticas públicas em todo país’

Nomeado recentemente  como novo secretário de gestão do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir), o jornalista baiano Yuri Silva tem uma tarefa...
-+=