Início África e sua diáspora ALBA decide consolidar soberania e avançar para o socialismo

ALBA decide consolidar soberania e avançar para o socialismo

0
467
alba-buena

Caracas, 20 abr (Prensa Latina) Os países da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (ALBA) decidiram hoje na Venezuela consolidar sua integração e soberania com o objetivo da construção do caminho para o socialismo.

 

Como epílogo da IX Cúpula do bloco fundado em 2004, celebrada nesta capital, os chefes de Estado e Governo de Antigua e Barbuda, Bolívia, Cuba, Dominica, Equador, Nicarágua, San Vicente e as Granadinas e Venezuela ratificaram esses objetivos mediante o documento intitulado “Manifesto de Caracas Consolidando a Nova Independência”.

 

Segundo a declaração do fórum, os esforços da ALBA estão motivados pelas lutas independentistas iniciadas há 200 anos, e pela vontade e legado de seus próceres.

 

Através do texto, os dirigentes consideraram que o benefício das metas traçadas passa por atingir a justiça plena e se libertar do intervencionismo estrangeiro e da submissão a mandatos imperialistas.

Também plasmaram a decisão de continuar promovendo a defesa dos direitos humanos, do meio ambiente e da construção de uma base econômica independente, desenvolvida e socialista com o Sucre (instrumento de pagamentos), as empresas grannacionais e o Banco da ALBA, entre outras iniciativas.

 

O documento reflete também a vontade dos países da ALBA de constituírem-se como um espaço de igualdade, bem-estar social e superação da pobreza.

 

Para capitalizar tão ambicioso projeto social, as oito nações decidiram potencializar os programas de saúde, educação e atenção aos portadores de deficiência física.

 

No Manifesto de Caracas ficou clara a necessidade de impulsionar desde os governos a articulação dos movimentos sociais e a instalação do Conselho de Movimentos Sociais, antes do estabelecimento dos capítulos nacionais em cada país.

 

A declaração conjunta exorta marcar ações políticas encaminhadas a denunciar a hipocrisia e o duplo caráter mostrado nas relações internacionais pelos Estados Unidos e algumas nações europeias.

 

ALBA decide consolidar soberania e avançar para o socialismo Caracas, 20 abr (Prensa Latina) Os países da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (ALBA) decidiram hoje na Venezuela consolidar sua integração e soberania com o objetivo da construção do caminho para o socialismo.

 

Como epílogo da IX Cúpula do bloco fundado em 2004, celebrada nesta capital, os chefes de Estado e Governo de Antigua e Barbuda, Bolívia, Cuba, Dominica, Equador, Nicarágua, San Vicente e as Granadinas e Venezuela ratificaram esses objetivos mediante o documento intitulado “Manifesto de Caracas Consolidando a Nova Independência”.

 

Segundo a declaração do fórum, os esforços da ALBA estão motivados pelas lutas independentistas iniciadas há 200 anos, e pela vontade e legado de seus próceres.

 

Através do texto, os dirigentes consideraram que o benefício das metas traçadas passa por atingir a justiça plena e se libertar do intervencionismo estrangeiro e da submissão a mandatos imperialistas.

 

Também plasmaram a decisão de continuar promovendo a defesa dos direitos humanos, do meio ambiente e da construção de uma base econômica independente, desenvolvida e socialista com o Sucre (instrumento de pagamentos), as empresas grannacionais e o Banco da ALBA, entre outras iniciativas.

 

O documento reflete também a vontade dos países da ALBA de constituírem-se como um espaço de igualdade, bem-estar social e superação da pobreza.

 

Para capitalizar tão ambicioso projeto social, as oito nações decidiram potencializar os programas de saúde, educação e atenção aos portadores de deficiência física.

 

No Manifesto de Caracas ficou clara a necessidade de impulsionar desde os governos a articulação dos movimentos sociais e a instalação do Conselho de Movimentos Sociais, antes do estabelecimento dos capítulos nacionais em cada país.

A declaração conjunta exorta marcar ações políticas encaminhadas a denunciar a hipocrisia e o duplo caráter mostrado nas relações internacionais pelos Estados Unidos e algumas nações europeias.

 

ALBA decide consolidar soberania e avançar para o socialismo Caracas, 20 abr (Prensa Latina) Os países da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (ALBA) decidiram hoje na Venezuela consolidar sua integração e soberania com o objetivo da construção do caminho para o socialismo.

 

Como epílogo da IX Cúpula do bloco fundado em 2004, celebrada nesta capital, os chefes de Estado e Governo de Antigua e Barbuda, Bolívia, Cuba, Dominica, Equador, Nicarágua, San Vicente e as Granadinas e Venezuela ratificaram esses objetivos mediante o documento intitulado “Manifesto de Caracas Consolidando a Nova Independência”.

 

Segundo a declaração do fórum, os esforços da ALBA estão motivados pelas lutas independentistas iniciadas há 200 anos, e pela vontade e legado de seus próceres.

 

Através do texto, os dirigentes consideraram que o benefício das metas traçadas passa por atingir a justiça plena e se libertar do intervencionismo estrangeiro e da submissão a mandatos imperialistas.

 

Também plasmaram a decisão de continuar promovendo a defesa dos direitos humanos, do meio ambiente e da construção de uma base econômica independente, desenvolvida e socialista com o Sucre (instrumento de pagamentos), as empresas grannacionais e o Banco da ALBA, entre outras iniciativas.

 

O documento reflete também a vontade dos países da ALBA de constituírem-se como um espaço de igualdade, bem-estar social e superação da pobreza.

 

Para capitalizar tão ambicioso projeto social, as oito nações decidiram potencializar os programas de saúde, educação e atenção aos portadores de deficiência física.

 

No Manifesto de Caracas ficou clara a necessidade de impulsionar desde os governos a articulação dos movimentos sociais e a instalação do Conselho de Movimentos Sociais, antes do estabelecimento dos capítulos nacionais em cada país.

 

A declaração conjunta exorta marcar ações políticas encaminhadas a denunciar a hipocrisia e o duplo caráter mostrado nas relações internacionais pelos Estados Unidos e algumas nações europeias.

 

Mediante o Manifesto, fixou-se a convocação à Cúpula ALBA-TCP com autoridades indígenas e afrodescendentes, prevista para ocorrer em Imbabura, Equador, nos dias 3 e 4 de junho deste ano.

 

Também destacaram a decisão de criar a Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos, e ofereceram seu apoio à Venezuela como sede em 2011 de uma cúpula para materializá-la.

 

Mediante o Manifesto, fixou-se a convocação à Cúpula ALBA-TCP com autoridades indígenas e afrodescendentes, prevista para ocorrer em Imbabura, Equador, nos dias 3 e 4 de junho deste ano.

 

 

 

 

 

Fonte: Prensa Latina

SEM COMENTÁRIOS

PortugueseEnglishSpanishGermanFrench