Alunos pedem saída de professor citado pela Comissão Nacional da Verdade

Alunos pedem saída de professor citado pela CNV

Do O Dia 

Divulgação/Universidade Candido Mendes

Rio – Uma mobilização envolvendo ex-alunos da Universidade Candido Mendes pede o afastamento do professor Roberto Blanco dos Santos, de 74 anos, apontado como um dos 377 autores de graves violações de direitos humanos no relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV). A informação é do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Santos era médico-legista e atuou no Instituto Médico Legal (IML) do Rio durante a ditadura militar. Segundo o relatório da CNV, Santos “teve participação em casos de emissão de laudo necroscópico fraudulento”.

A Comissão relacionou oito vítimas ao nome de Santos. Entre elas, o ex-embaixador José Jobim, encontrado morto em 1979, com o corpo pendurado pelo pescoço em uma árvore, no Rio. O laudo de exame cadavérico que apontava suicídio por enforcamento foi assinado por Santos.

“Ele não descreveu os ferimentos causados sob tortura. Ele fez parte da equipe que matou meu pai”, afirmou a advogada Lygia Jobim, que se formou na Candido Mendes em 1988. Ao ‘Estadão’, ela contou que evitava cruzar com o professor nos corredores da Faculdade de Direito. “Não poderia assistir a uma aula desse monstro. Por sorte, foi oferecido um curso de férias com outro legista”, disse Lygia.

A reportagem do jornal procurou, em dezembro, a direção da Candido Mendes, a qual informou que “o Dr. Santos é professor, apenas, da disciplina eletiva de Medicina Legal” e que não tem como “precisar o que vai acontecer no próximo período”. Santos não foi localizado pelo jornal O Estado de S. Paulo.

 

+ sobre o tema

Professores e intelectuais promovem boicote à revista Veja

Em petição online, os profissionais pedem à comunidade acadêmica...

Desenrola para MEI e micro e pequenas empresas começa nesta segunda

Os bancos começam a oferecer, a partir desta segunda-feira...

A batalha pela fronteira Munduruku

Indígenas proclamam a autodemarcação de terra que pode parar...

para lembrar

Brazilians protest against anti-gay racist pastor turned human rights boss

Protests spread across Brazil against the newly elected...

População Negra

Por Junia Pulia, Vice-diretora do Unifem Brasil O texto foi apresentado...

Em capa histórica, jornal estampa o atraso do Brasil

Ao noticiar o linchamento de um jovem no Maranhão,...
spot_imgspot_img

Evento do G20 debate intolerância às religiões de matriz africana

Apesar de o livre exercício de cultos religiosos e a liberdade de crença estarem garantidos pela Constituição brasileira, há um aumento relevante de ameaças...

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...
-+=