Anemia falciforme atinge o sangue dificulta a oxigenação

Luiza Cadidé

A prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim (PT), sofria de anemia falciforme, uma doença de transmissão hereditária. A anemia falciforme atinge, predominantemente, afrodescendentes, mas também pode se manifestar em brancos.

A doença altera os glóbulos vermelhos, que perdem a forma arredondada e elástica, adquirindo o aspecto de uma foice, o que dificulta a passagem do sangue pelos vasos de pequeno calibre e, consequentemente, a oxigenação dos tecidos.

Segundo Altair Lira, coordenador de formação e pesquisa da Associação Baiana das Pessoas com Doenças Falciformes, a cada 650 nascimentos, um possui a anemia. “A Bahia tem o maior índice de traço falciforme. A maior mortalidade está entre crianças de até 5 anos”, disse Lira, segundo o qual uma situação de estresse pode fragilizar a saúde do doente.

 

Fonte: Portal A Tarde

+ sobre o tema

Baixa cobertura vacinal contra HPV favorece casos de câncer

Sete em cada dez casos de câncer de colo...

Alcance e capacitação profissional são desafios do SUS para tratamento de autismo

Na sala de estimulação sensorial, equipada com piscina de...

Saúde e iniqüidades raciais no Brasil: o caso da população negra

Por: Isabel C.F. da Cruz* O Núcleo de Estudos sobre Saúde...

Mortalidade materna cai 43% no Brasil entre 1990 e 2013, diz OMS

O Brasil registrou uma queda de 43% na proporção...

para lembrar

Capoeira é fio condutor de livro sobre a cultura afrodescendente no Brasil

Sincretismo e quebra de preconceitos em nova obra DEBORAH COUTO Os...

Dia Nacional de Luta Pelos Direitos das Pessoas com Doença Falciforme, terá ato de Mobilização no Vão do Masp

Devido à grande miscigenação no Brasil, todos podem ter, independente...

Programa de bolsas de estudo da ONU para afrodescendentes recebe inscrições até 31 de maio

Parte da Década Internacional de Afrodescendentes, programa oferece oportunidade...

Mais um viva à ciência: a tesoura de DNA que poderá curar anemia falciforme

Se há um bom hábito que as pessoas criaram...
spot_imgspot_img

“Reparação é reconhecer o que a História nos negou. E não é algo que a humanidade desconheça”, diz Epsy Campbell

Epsy Campbell Barr, presidenta do Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU, deu uma parada em sua tribulada agenda durante o 3º Fórum Global contra o Racismo...

Em paralelo às guerras, ONU discute medidas sociais econômicas para afrodescendentes

Enquanto o mundo pega fogo em meio às guerras, há um avanço quase que silencioso na ONU no campo dos direitos das populações negras...

Em feito histórico, Geledés demanda na ONU reparação aos afrodescendentes   

“Nesta quinta-feira, Geledés realizou um feito histórico ao ser a primeira organização de mulheres negras do Brasil a participar de forma protagonista de uma...
-+=