Ao sugerir que presos sejam cobaias, Xuxa se mostra racista e desumana 

Como se não bastasse a desvalorização da vida pela mortal gestão da crise sanitária liderada pelo governo Bolsonaro, agora temos uma das maiores celebridades brasileiras sugerindo que pessoas presas sirvam como cobaias — no lugar de animais — para a indústria farmacêutica desenvolver medicamentos e vacinas. Em uma live em defesa dos animais, nesta sexta (26), no canal da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (na Alerj, isso mesmo!), Xuxa achou apropriado lançar a ideia de trocar os animais usados nos testes por seres humanos privados de liberdade, sob custódia do Estado.

“Na minha opinião, existem muitas pessoas que fizeram muitas, muitas coisas erradas e estão aí pagando pelos seus erros num ad eternum, para sempre em prisões. Poderiam ajudar nesses casos”, disse Xuxa, que é vegana. Em seguida, completou: “pelo menos serviriam para alguma coisa antes de morrer, para ajudar a salvar vidas.”

Xuxa deve se crer no mesmo patamar de uma entidade divina, com poderes para determinar quem merece ou quem não merece dignidade. Quem merece viver e quem merece ser torturado. Não sabe que a democracia é assim, devemos respeito às normais e aos direitos fundamentais, que são para todos? “Aí vai vir um pessoal dos direitos humanos e dizer que ‘não, eles não podem ser usados”, disse Xuxa. Ainda bem que tem esse pessoal dos direitos humanos.

O Brasil possui a 3ª maior população carcerária do mundo, atrás apenas de Estados Unidos e China. São cerca de 800 mil pessoas privadas de liberdade neste país. Aqui, se prende muito e se prende mal. Suspeita-se de qualquer um que seja sobretudo negro, sobretudo jovem, sobretudo pobre.

Mais de 60% das pessoas encarceradas são negras. Um terço do total da população carcerária é formada por presos provisórios, ou seja, não foram julgados, apesar de todos nós termos direito à ampla defesa e a um julgamento justo.

A maioria das pessoas que hoje vive no sistema prisional foi enquadrada por tráfico de drogas. Em inúmeros desses casos, as pessoas não têm nenhuma ligação com as altas hierarquias das organizações criminosas. Mas mesmo que tivessem: o sistema prisional já é uma tortura permanente, reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal como incompatível com a vida, com superlotação, falta de acesso a todos os cuidados, atendimento precário à saúde, entre outros muitos problemas. Não há possibilidade razoável para esse pensamento de Xuxa.

Todo mundo que está ali tem mãe e tem pai. São todos seres humanos. O que a Xuxa quer com essa ideia? São pessoas e estão sob os cuidados do Estado. Quando a pandemia começou, há pouco mais de um ano, o acesso das visitas aos presídios ficou restrito. Vendo o número de doentes aumentar sem cuidados médicos, sem tratamento adequado e sem possibilidade de isolamento, os presos passaram a escrever cartas de amor e despedida para as namoradas, os namorados, esposas, mães, filhos. Falavam de amor e de medo.

É complicado, desolador, e ao mesmo tempo, revelador ver esse tipo de postura de um ídolo como Xuxa, justamente neste momento do Brasil, em que somos uma funerária sem direito ao luto, o epicentro mundial da desgraça, da peste. A apresentadora pediu desculpas mais tarde. Reconheceu que errou, mas reconheceu que é esse seu pensamento mesmo. “Eu tenho um pensamento que pode parecer muito ruim para as pessoas, desumano…”. É desumano e preconceituoso, entre outras questões.

Que fique explicitado que um comentário como esse não se trata de um descuido. Para a “ex-rainha dos baixinhos”, tem gente que não vale a existência de um rato. Essa gente tem cor e tem classe social.

O direito à vida é soberano. Para todos nós.

+ sobre o tema

Biden desiste de reeleição após pressão e anuncia apoio a Kamala Harris

Após pressão de democratas, o presidente dos Estados Unidos, Joe...

Para cumprir os ODS, o Estado brasileiro precisa parar de matar pessoas negras

Em um período de dez anos (2012-2022), o Brasil...

Coalizão de entidades lança campanha por mais negros nos parlamentos

A Coalizão Negra por Direitos, que reúne mais de...

Kenarik Boujikian é nomeada para a Secretaria Nacional de Diálogos Sociais da Presidência

A desembargadora aposentada do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) Kenarik...

para lembrar

A sociedade civil numa democracia em transformação

Por Vera Masagão, diretora executiva da Abong O mundo tem experimentado,...

Dilma Vana Rousseff II

Dia 29 de agosto, da tribuna do Senado, ao...

Obituário de uma lembrança – Por: Cidinha da Silva

A notícia de tua morte chegou pela gentileza de...

O fim do poder, na visão de Moisés Naim

Em seu novo livro, Moisés Naím, um dos pensadores...

Precarização do trabalho rural impacta mais pessoas negras e mulheres

Um relatório da Oxfam Brasil indica que mulheres e pessoas negras são as maiores vítimas das consequências da informalidade no trabalho rural. De acordo com o...

Em Ceilândia, Anielle Franco anuncia R$ 1,6 milhão para organizações

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, anunciou, nesta sexta-feira, o lançamento do edital que vai destinar R$ 1,6 milhão para o fortalecimento de...

OABRJ levará absolvição dos policiais no caso João Pedro ao STF

A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OABRJ) levará o caso da absolvição dos policiais na morte do jovem João Pedro...
-+=