Após encontro com rainha, Lula recebe prêmio

Fonte: Último Segundo-

Depois de participar de encontro com a rainha Elizabeth II, no Palácio de Buckingham, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu o Prêmio Chatham House 2009 por sua atuação na América Latina. Na avaliação da instituição de relações internacionais britânica, Lula é condutor da estabilidade e integração da região, com contribuição na solução de crises, como no Haiti, e incentivo à constituição da União de Nações Sul-Americanas (Unasul).

 

O líder brasileiro estava concorrendo com o ministro de Relações Exteriores da Arábia Saudita, o príncipe Saud Al-Faisal Bin Abdulaziz, e a presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaf. No ano passado, o vencedor foi o presidente de Gana, John Kufuor. A Chatham House elege anualmente o político que deu maior contribuição às relações exteriores.

 

A entrega do prêmio foi feita durante jantar de gala na Banqueting House, edifício do governo britânico na região de Westminster, pelo duque de Kent. Também esteve presente o secretário de Negócios do Reino Unido, Peter Mandelson. O ex-comissário europeu lembrou dos tempos que negociava com o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, que costumava mover a cabeça com sinal de negação durante as tratativas. “Eu ficava imaginando o que ele estaria pensando e acho que era algo como ‘você não conhece meu chefe, o presidente Lula’.”

 

Durante seu discurso, Lula disse que a política externa é um elemento fundamental do desenvolvimento brasileiro. “Decidimos associar nosso desenvolvimento ao da América do Sul, nosso entorno imediato”, afirmou. “Estamos realizando um processo de integração solidária do continente, sem pretensões hegemônicas, sem busca de liderança.”

 

Ele também mencionou o movimento do Brasil em direção à África, na condição de segunda maior nação de população afrodescendente.

 

O presidente falou ainda da busca pelo diálogo e negociação nas relações internacionais. “Não esperem armas do Brasil”, disse. “Não hesitem, no entanto, em demandar nosso apoio político, nosso esforço negociador.”

 

Ele voltou a defender a reforma do Conselho de Segurança da ONU, de forma a refletir a nova correlação de forças no mundo. “(O Brasil) reivindica, junto com outros países, uma presença permanente neste organismo”, disse no discurso.

Lula encerra hoje sua visita oficial de dois dias a Londres.

 

Matéria original

+ sobre o tema

Menos de 1% dos municípios do Brasil tem só mulheres na disputa pela prefeitura

Em 39 cidades brasileiras, os eleitores já sabem que...

Prostituição e direito à saúde

Alexandre Padilha errou. Realizar campanhas de saúde pública é...

Popularidade de Lula atinge nivel recorde, diz Datafolha

Da Folha de S. Paulo: A nove meses de deixar...

A poesia total de Elisa Lucinda – Por: Fernanda Pompeu

Todo poeta tem um rosto. O dela é radioso....

para lembrar

O escancarar da violência de gênero tem relação com o quadro de desmanche social

Ontem, assisti a um filme que aqui no Brasil...

Dilma fala em “herança bendita” de Lula e chora ao agradecer militância

Por: Gabriel Mestieri Presidente eleita disse a companheiros do...

Salário mínimo de R$ 880 vale a partir de hoje

O salário mínimo passa a valer R$ 880 a...

O beija mão de Karnal em Moro abre novos negócios. Por Kiko Nogueira

A esquerda que tinha Leandro Karnal em alta conta...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=