Após evangélicos, adeptos das religiões afro mostram cânticos em shopping

Enviado por / FonteUOL, por Chico Alves

Nos últimos meses, frequentadores de vários shopping centers do Brasil se depararam com mobilizações de evangélicos expressando sua fé com cânticos e louvores. Os chamados flashmobs acontecem repentinamente e têm participação de centenas de fiéis, que gravam as cenas para divulgar nas redes sociais. Ontem, uma nova modalidade dessa expressão religiosa foi feita em um shopping do Rio — mas dessa vez com adeptos das religiões afro.

Mais de 300 pessoas da umbanda, candomblé e ifá se reuniram de surpresa no pátio do Norte Shopping, no Cachambi, zona norte carioca, para cantar músicas de terreiro na tarde de domingo.

A organização foi do cantor, compositor e escritor André Gabeh. “Vi os evangélicos ocupando os espaços, cantando os hinos deles, então falei: ‘Legal, se alguns podem, todo mundo pode’. E resolvi fazer também”, diz ele.

Como aconteceu nas mobilizações das igrejas evangélicas, o convite aos participantes foi feito por Facebook e por aplicativo de mensagem, o Telegram. “Três dias antes, por determinação da Justiça, o aplicativo saiu do ar e ficamos desesperados. Mas deu tudo certo”, afirma Gabeh. O comediante Yuri Marçal ajudou a chamar as pessoas e esteve presente no evento.

A manifestação transcorreu em tranquilidade, não houve nenhum contratempo. Segundo o organizador, os seguranças ficaram ao redor dos manifestantes, mas foram “gentilíssimos”, sem qualquer conotação de repressão.

André Gabeh pensa fazer outros eventos do tipo, desde que haja interesse de outras pessoas. Ele incentiva que adeptos das religiões afro repitam a experiência por todo o Brasil.

“As pessoas têm que ser vistas, não podemos ficar escondidos. As outras religiões estão por todos os lugares, porque nós vamos ficar confinados ao lugar do mistério, do sinistro?”, questiona o artista. “A gente tem que se dar essa visibilidade, porque além de religião, essas são expressões de cultura”.

+ sobre o tema

Luíz Gama

Luís Gonzaga Pinto da Gama (Salvador, 21 de junho...

Pesquisas apontam Machado de Assis como o autor brasileiro mais estudado

A doutoranda da Universidade de Brasília (UnB) Laeticia Jensen...

O Negro da senzala ao soul: Um documentário da TV Cultura 1977

Gabriel Priolli resgata um vídeo que conta a história...

Lélia Gonzalez: Mulher Negra na História do Brasil

Neste ano de 2009, já contamos 15 anos que...

para lembrar

Príncipe natureza e as artes da liberdade no Rio de Janeiro do século XIX

Esse não é mais um texto sobre africanos escravizados...

Na rota das remoções: gente negra e conjuntos habitacionais em Brás de Pina

O bairro de Brás de Pina está localizado na...

Rio cria dia estadual para reflexão sobre morte de jovens negros

O governo do Rio de Janeiro sancionou a lei...
spot_imgspot_img

Rio cria dia estadual para reflexão sobre morte de jovens negros

O governo do Rio de Janeiro sancionou a lei que cria o Dia de Luta Jovem Preto Vivo – João Pedro Matos Pinto, aprovada...

‘Minha tia perdeu uma vida inteira’, diz sobrinho de idosa resgatada após 72 anos de trabalho análogo à escravidão

Veja o vídeo da matéria A família de Maria de Moura, de 87 anos, resgatada em condição análoga à escravidão em março de 2022, denunciou ao Fantástico deste...

Geledés discute racismo religioso na ONU

Geledés – Instituto da Mulher Negra segue com sua agenda nas Nações Unidas neste ano. Neste dia 8 de março, o instituto realiza na...
-+=