Argentina precisa combater discriminação estrutural contra negros, dizem especialistas

A Argentina precisa responder à invisibilidade de longa data e à persistente discriminação estrutural enfrentada por afro-argentinos, africanos e pessoas de descendência africana, afirmou um grupo de especialistas das Nações Unidas em direitos humanos, em visita ao país.

no Nações Unidas

Ponte das Mulheres, em Buenos Aires. Foto- Geoff Livingston:Wikimedia Commons (CC)
Ponte das Mulheres, em Buenos Aires. Foto- Geoff Livingston:Wikimedia Commons (CC)

“Para garantir que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável realmente não deixe ninguém para trás e a discriminação racial seja respondida, afro-argentinos e outras pessoas de descendência africana devem ser reconhecidos e programas específicos devem ser desenvolvidos para proteger seus direitos humanos”, disse Balcerzak.

A Argentina precisa responder à invisibilidade de longa data e à persistente discriminação estrutural enfrentada por afro-argentinos, africanos e pessoas de descendência africana, afirmou um grupo de especialistas das Nações Unidas em direitos humanos, em visita ao país.

“A Argentina deve perceber a realidade de que pessoas de descendência africana são um grupo vulnerável que precisa de medidas especiais”, disse o presidente-relator do Grupo de Trabalho de Especialistas sobre Pessoas de Descendência Africana, Michal Balcerzak, em comunicado no fim da visita.

O grupo, criado em 25 de abril de 2005, é composto por cinco especialistas independentes: Michal Balcerzak (Polônia); Ahmed Reid (Jamaica); Domique Day (Estados Unidos); Sabelo Gumedze (África do Sul); Ricardo A. Sunga III (Filipinas).

De acordo com o grupo de especialistas, afro-argentinos e pessoas de descendência africana têm dificuldades de usufruir de seus direitos econômicos, sociais e culturais.

“Para garantir que a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável realmente não deixe ninguém para trás e discriminação racial seja respondida, afro-argentinos e outras pessoas de descendência africana devem ser reconhecidos e programas específicos devem ser desenvolvidos para proteger seus direitos humanos”, disse Balcerzak.

A delegação elogiou iniciativas adotadas pelo governo para combater racismo, discriminação racial, xenofobia e intolerâncias relacionadas, em especial em seu trabalho para desenvolver um programa nacional de descendência africana e plano de ação para implementar a Década Internacional para Pessoas de Descendência Africana (2015-2024).

“Elogiamos o compromisso do governo de incluir uma opção de afrodescendente no questionário geral do Censo Nacional de População, Moradia e Habitação que será realizado no ano de 2020”, acrescentou o presidente-relator.

Durante visita de 11 a 18 de março, o Grupo de Trabalho viajou a Buenos Aires, Santiago del Estero e Santa Fé para investigar racismo, discriminação racial, afrofobia, xenofobia e intolerâncias religiosas que afetam pessoas de descendência africana na Argentina.

O Grupo de Trabalho irá apresentar um relatório com suas conclusões e recomendações ao Conselho de Direitos Humanos da ONU em setembro.

+ sobre o tema

Itaú Cultural Play estreia mostra dedicada ao cineasta Zózimo Bulbul

A partir de 5 de novembro (sexta-feira), a Itaú...

Cidade mais negra fora da África, Salvador completou 467 anos

A capital da Bahia já foi capital do Brasil...

Cantora americana Lena Horne morre aos 92 anos

A cantora americana Lena Horne morreu na noite deste...

para lembrar

Regé-Jean Page, de Bridgerton, elogia brasileiros: “estavam lá pra mim”

O ator Regé-Jean Page, que interpretou o duque de...

Benedicto Lopes, negro, brasileiro, piloto de carro

O Documento Especial deste mês refere-se a um fato que...

Consciência negra: herança de orgulho e dor

Artistas negros do Estado, representantes de vários segmentos, conversaram...
spot_imgspot_img

Mostra Competitiva Adélia Sampaio recebe inscrições de filmes de mulheres negras até 16 de junho

A 6ª edição da Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio está com inscrições abertas para filmes dirigidos por mulheres negras de todo o...

Dia 21, Maurício Pazz se apresenta no Instrumental Sesc Brasil

Maurício Pazz, paulistano, nos convida a mergulhar nos diferentes sotaques oriundos das diásporas africanas no Brasil. No repertório, composições musicais do próprio artista, bem...

Álbum de Lauryn Hill é considerado melhor da história em lista da Apple Music; veja ranking

Uma lista publicada pela Apple Music elegeu os 100 melhores álbuns de todos os tempos. Em primeiro lugar, a escolha foi para 'The Miseducation...
-+=