As Mulheres Negras – Eu vos agradeço

A Benção a minha ancestralidade, aos que vieram antes de mim e aos mais velhos.

Venho pensando a dias como transformar os meus pensamentos, as minhas inquietudes em palavras, sempre me pergunto o porque as pessoas taxarem as mulheres negras que tem postura, ética, senso crítico, opinião de “grosseiras”, “estressadas”, “raivosas”, “intransigentes”? Quando essas mesmas características são colocadas a uma mulher branca, elas são taxadas de “assertivas”, “pessoas com credibilidade”, “postura”, “que tem opinião” etc, quando foi/é que uma mulher negra deixa/deixou de ser assertiva na educação de seus filhos ou na maneira que atua em sua profissão? Quando é/foi que a mulher negra deixa/deixou de ter credibilidade ao trazer dados e informações dentro do expertise dela? Quando é/foi que a mulher negra não tem/teve postura ao se pronunciar? A mulher negra não tem a obrigação de continuar na subserviência, a mulher negra está na base da pirâmide, mas é ela que movimenta toda a sua estrutura, a mulher negra de personalidade herdou de seus ancestrais, herdou de suas mais velhas, a coragem para nunca desistir, tivemos que sobreviver a dores físicas e psicológicas durante o processo escravocrata, tiraram nossos filhos, como continuam a tirar até hoje, roubaram nossas famílias, como continuam a roubar até hoje, somos mulheres que fazemos milagres por onde passamos, mas a sociedade precisa entender que haverá vários tipos de mulheres negras e normalmente aquelas que saem para a luta, que se expõem, que compram como dizem “a briga”, terão posturas de ação, de assertividade, de credibilidade, de opinião, são mulheres que abdicaram muitas vezes dos seus quereres em prol do querer coletivo, são mulheres que sabem exatamente o que querem e como querem, e também sabem o que não querem, parem de nos taxar, apenas nos acompanhem, parem de nos pré julgar, apenas nos deem as mãos, parem de nos isolar, apenas nos incluam, parem de nos calar, apenas ouçam. Essas mulheres negras que sabem o que querem e também o que não querem tem muito a nos ensinar, tem muito a nos dizer, tem muito a nos oferecer.

Eu agradeço por conhecer muitas mulheres negras que sabem o que querem e onde querem chegar, pois elas me inspiram a traçar o mesmo caminho.


** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 

+ sobre o tema

Em defesa da tolerância religiosa em nossa sociedade

Em defesa da tolerância religiosa em nossa sociedade: Uma...

Encontro das águas: precisamos falar sobre afetividade

O sistema escravocrata e as divisões raciais criaram condições...

Quanto vale uma vida?

Quando perguntamos às crianças o que querem ser quando...

A manutenção de Fundeb como estratégia para reorganização das comunidades escolares pós-pandemia do covid-19

Foi reportada, pela primeira vez, pelo escritório da Organização...

para lembrar

Como as escolas de samba nos ensinam sobre ancestralidade

Desde que foram criadas, escolas de samba têm sido espaços de ensino e aprendizado. Carregam no nome a sua missão: ser escola. Ensinam sobre...

Esperança de justiça une mães de vítimas da violência policial no Rio

A longa espera por justiça é uma realidade presente entre as mães de vítimas da violência policial do Rio de Janeiro. Deise Silva de...

E assim vamos nós, lutando pela existência de nossas gerações

Vamos que vamos! Frase muito usada por quem sonha em passar o cajado para descansar. Com olhar cansado e triste, cabelos brancos, mãos trêmulas com...
-+=