“Assinava os e-mails com o nome dela e me tratavam pior”: um experimento sobre o machismo no trabalho

Martin se apresentou como Nicole aos seus clientes: “Vivi um inferno. Todas as minhas sugestões eram questionadas”

Por EMILIO SÁNCHEZ HIDALGO, do El Pais 

Martin R. Schneider é um blogueiro que vive na Filadélfia (Pensilvânia, Estados Unidos), assim como Nicole Hallberg. Há cerca de três anos, os dois trabalhavam em uma agência de empregos, que funciona como ponte entre pessoas desempregadas e empresas interessadas em contratar. Martin contou em seu Twitter um experimento que fizeram durante uma semana: ele assinava com o nome dela os e-mails e vice-versa. “Isso serviu para comprovar o machismo que as mulheres sofrem no trabalho”, diz o norte-americano ao EL PAÍS por e-mail. Esse é o seu relato publicado no Twitter (excluímos algumas das mensagens que consideramos redundantes).

Essa é uma pequena história sobre quando Nicole me ensinou como é impossível que profissionais do sexo feminino recebam o respeito que merecem

Eu e Nicole trabalhávamos em uma pequena agência de empregos. E nosso chefe sempre tinha uma queixa: ela demorava demais para lidar com os clientes.

(Esse chefe tinha um fetiche por eficiência e era um idiota apaixonado pela economia, mas isso já é outra história).

 

Continue lendo aqui 

+ sobre o tema

Como continua se sentindo uma mulher, por claudia regina

A fotógrafa claudia regina compartilha o relato de uma agressão. “recentemente...

Blogueira defende fim do “quartinho de empregada”

Para autora de artigo, esses espaços nada mais são...

Governo lança campanha contra exploração sexual no carnaval

A Bahia foi o estado escolhido pela Secretarias de...

‘Veto mostra falta de sensibilidade e reflete o misto de desumanidade, omissão e indiferença’

Veto contra a distribuição gratuita de absorventes mostra falta...

para lembrar

A #partidA: uma aventura feminista na política nada tradicional

Hoje (quinta-feira), às 19h30, tem encontro para discutir feminismo...

Onde andará a boa e velha liberdade?

Sempre, sempre, sempre que a gente falava nela, tinha...

Carla Akotirene, da revolta à ascenção negra em Mestrados e Doutorados!

Ela é assistente social, recém integrada no quadro de...

Garotos “perderam a conta” dos estupros sofridos por tropas internacionais

Relatos de crianças de nove anos revelam que as...
spot_imgspot_img

Elogio ao estupro e ódio às mulheres

Nem sempre é fácil dizer o óbvio. Mesmo porque, quando essa necessidade se impõe é fundamental entender as razões que estão por trás dela. Mas...

Angela Davis: “O desafio é manter a esperança quando não vemos sinais”

Angela Davis, filósofa professora americana, é como uma estrela de rock do ativismo pelos direitos humanos e do movimento negro. Sua popularidade atravessa gerações...

IBGE: mulheres assalariadas recebem 17% menos que os homens

Dados divulgados nesta quinta-feira (20/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a disparidade salarial entre os gêneros no Brasil se mantém em...
-+=