Astronauta da NASA conquistará recorde para mulheres negras no espaço

Jessica Watkins será primeira mulher negra a viver por tempo estendido no espaço

A astronauta Jessica Watkins, da NASA, abrirá um recorde digno de preservação, como a primeira mulher negra a viver por tempo estendido no espaço. Em abril, a especialista voará a bordo da missão Crew-4, operada pela SpaceX, em direção à Estação Espacial Internacional (ISS), onde viverá e trabalhará por cerca de seis meses.

Essa será a primeira viagem de Watkins, que também é membro do Programa Artemis – o esforço da NASA para enviar o homem de volta à Lua.

“Eu penso ser importante reconhecer essa conquista de nossa agência e de nosso país, para sabermos que estamos construindo a fundação que foi iniciada por todas as mulheres negras astronautas que vieram antes de mim”, disse Watkins à rádio americana NPR. “Eu definitivamente me sinto honrada em ser uma pequena parte deste legado, mas também por ser um membro em pé de igualdade ao restante da equipe”.

Apesar de não ser a primeira astronauta – ou mulher – negra no espaço, Watkins tem a honraria de ser a primeira em uma missão de longo prazo. Antes dela, há 30 anos (1992), Mae Jemison foi a primeira mulher negra do mundo a sair da Terra. Desde então, apenas outras três repetiram o feito: Stephanie Wilson e Joan Higginbotham, pela NASA e, mais recentemente, Sian Proctor, pela missão privada Inspiration4.

Dos 250 astronautas que já viajaram à ISS, apenas 10 eram de pele negra. Hoje, o corpo de astronautas da NASA conta com três mulheres negras, mas com exceção de Watkins, as outras ainda não voaram. São elas Yvonne Cagle e Jeanette Epps. Cagle não foi convocada para nenhuma missão até o momento, enquanto Epps tem uma cadeira assinalada na missão Starliner-1. Embora ela tenha sido selecionada em 2020, o lançamento da missão foi adiado de 2022 para 2023 devido a problemas encontrados na nave Starliner, da Boeing.

A missão Crew-4, da qual Jessica Watking será a especialista, está marcada para lançamento em 15 de abril de 2022. A missão contará com outra mulher, a italiana Samantha Cristoforetti, da ESA, foi posicionada como comandante do voo.

+ sobre o tema

Investiga Menina! incentiva atuação de estudantes negras na Ciência

Coordenadora do projeto, Anna Benite, explicou como ocorre a...

Angola: Comunidade LGBT+ em Malanje vive ameaçada

Na província angolana de Malanje, a comunidade LGBTQ+ vive...

Encontro Estadual de Mulheres Negras em Campinas

ENCONTRO ESTADUAL DE MULHERES NEGRAS TEM EXPECTATIVA DE 250...

Prêmio literário para mulheres é lançado no Planalto

O governo federal lançou nesta quarta-feira (5) o Prêmio...

para lembrar

Também de olho no Super Bowl, Serena Williams revela que gostaria de ser quarterback; veja

Buscando uma vaga nas semifinais do Australian Open, a...

Efeito Zé Mayer: O impacto da denúncia de famosas sobre assédio na capa da Veja

Nojo e medo são algumas das palavras usadas pelas...

Comissão de Feliciano barra pensão a homossexuais

Mais um capítulo da guerra dos gêneros que se...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=