Ator de 12 anos de ‘This Is Us’ relata episódios de racismo e diz que foi acusado de roubo por cor da pele

Enviado por / FonteRevista Quem

Lonnie Chavis, que vive a versão jovem de Randall na série This is Us, fez um desabafo emnocionante à revista People, relatando ocasiões em que foi vítima de racismo. O ator de 12 anos contou que já foi acusado de roubo em um restaurante por ser negro e que um policial tirou seu pai de casa, agredindo-o, por uma multa de trânsito.

“Eu fui racialmente perfilado em um restaurante em San Diego enquanto visitava um dos meus jovens colegas negros. Seus primos negros e eu fomos acusados ​​por uma jovem branca trabalhando na caixa registradora de tentar roubar as poucas gorjetas em seu copo”, disse Lonnie. ” Foi uma provação enorme que quase levou a polícia a nos chamar enquanto estávamos com nossos pais – até que algum fã maravilhoso que era branco disse a eles que eu era um ator profissional em duas séries de TV atualmente no ar e argumentou que ele duvidava que eu precisaria roubar alguns dólares dela”, desabafou.

Lonnie explicou que sua mãe nunca  diz “ele é ator”. Ela sabia e argumentou que estávamos sendo perseguidos apenas porque éramos um grupo de crianças negras jovens. Você pode imaginar alguém pensando que você é um ladrão só por causa da cor da sua pele? Eu posso”, lamentou ele.

O ator também lembrou um episódio assustador quando completou 10 anos, em 2018. “Meu aniversário caiu no Dia de Ação de Graças. Depois de chegar tarde em casa com minha família da minha festa de aniversário, um policial de Long Beach torceu o braço do meu pai pelas costas e o puxou da nossa porta com a porta aberta, alegando que estava sendo detido por uma multa de trânsito”, explicou.

“Minha mãe correu para o meu quarto e me disse com medo nos olhos para entrar no quarto do meu irmãozinho e ficar longe das janelas. Ela colocou meu irmãozinho nos meus braços e me disse que não importava o que eu ouvisse do nosso jardim da frente para não chegar à porta – ‘não importa o que aconteça’.  Eu segurei meu irmão mais novo e chorei quando pude ouvir minha mãe gritando fora de nossa casa. Eu pensei que meus pais certamente morreriam indo contra a polícia”, disse Lonnie.

“Pela graça de Deus, ambos ainda estão comigo, e esse assédio racialmente motivado contra meu pai foi descartado. Você pode se imaginar segurando seus três irmãos pequenos enquanto pensa que todos serão órfãos? Eu posso”, disparou.

Lonnie ainda contou um caso no set de This is Us, quando Randall tem uma cena com a avó racista. “O diretor e os roteiristas disseram que não precisavam que eu chorasse. No entanto, foi difícil para mim não chorar, pois testemunhei o que acabara de aprender sobre a minha realidade. Eu não estava atuando, estava chorando por mim”, confessou. “Você pode imaginar ter que explicar para uma sala cheia de brancos porque eu não consegui segurar minhas lágrimas reais enquanto experimentava a dor do racismo? Eu posso ”, escreveu Lonnie.

+ sobre o tema

Saramago: a cegueira social e o dever moral dos que enxergam

José Saramago foi um dos maiores intelectuais que nós...

Política de ações afirmativas é tema de debate na Universidade Federal de Viçosa

A Reitoria e a Pró-Reitoria de Ensino irão desenvolver...

Assembleia aprova cota de 20% para negros em concursos públicos do Ceará

Foi aprovada na última quinta-feira (04) pela Assembleia Legislativa...

para lembrar

Denúncia é peça-chave contra crimes de racismo

Até novembro de 2016, Minas Gerais anotou 301 processos...

É belo ser irmã, é belo ser negra – por Kelly Matias

Eu me lembro como se fosse ontem o dia...

“A tortura no Brasil é uma política de Estado”

Má formação policial e omissão do poder público e...

Grupos xenófobos compõem 9 governos europeus

Considerada uma ameaça à democracia por incitar ao racismo...
spot_imgspot_img

Da neutralidade à IA decolonial

A ciência nunca esteve isenta das influências e construções históricas e sociais do colonialismo. Enquanto a Revolução Industrial é frequentemente retratada como o catalisador...

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...
-+=