AYÓ Encontro Negro de Contação de Histórias 2ª Edição

Somos AYÓ Encontro Negro de Contação de Histórias! Somos uma grande família negra unida pela tradição oral herança de Mama África. Ano passado reunimos contadore(a)s de histórias afro-brasileiras de todo país e também de África. Para que AYÓ continue disseminando nossos causos ancestrais contamos com vocês! Contribua, compartilhe, divulgue! Vamos juntos nessa missão ancestral!

Do Vakinha 

O encontro

AYÓ – do Yorubá “Exaltação”, “Alegria” – é um encontro ancestral que reúne contadores e contadoras de histórias de todo o país no quintal-quilombo das Mulheres de Pedra, um reduto feminino e afro-brasileiro do Rio de Janeiro. Esta reunião se faz mais que urgente após os  muitos séculos de invisibilidade da herança africana no país. Este é um convite para uma reunião em torno da tradição oral, tesouro de Mama África, alicerce que nos manteve de pé até os dias de hoje!

Por que apoiar?

Em sua primeira edição AYÓ aconteceu de forma rica, autônoma e negra! Foram 30 contações de histórias ancestrais acalentando nossos corações. Um encontro de representatividade feito e conduzido por mãos femininas negras, realizado sem ajuda de fomentos e editais, apenas na guerrilha. E para que a nossa missão prossiga de forma humana e digna, contamos com o apoio e a colaboração de todos e todas que acreditam no poder da palavra como forma de cura e resistência. Somente através do fortalecimento de nossos irmãos e irmãs é que vamos conseguir realizar a segunda edição de AYÓ!

A tradição oral africana e o silenciamento de nossas vozes!

É através do fio da história que se tece a trama da vivência humana. É através da oralidade que nos descobrimos e desvendamos o mundo. A história é coisa que não morre nunca, é rio que atravessa gerações e nunca se perde de sua nascente. A história sou eu, você e o outro emaranhados no laço do tempo, tempo que não é linear, mas esférico, que não é abstrato, mas se transmuta em árvore de vida. Iroko!

Diante deste pensar, chegamos na seguinte indagação: qual possibilidade teríamos de nos encantar por quem somos, se ao longo dos séculos fomos roubados do direito de nos conhecermos e reconhecermos a nossa origem? Somos a herança de importantes culturas africanas, fortemente enraizadas na tradição, culturas que aqui resignificaram-se rompendo o silêncio da ignorância e do descompromisso e foram capazes de dar voz e vez ao silenciado chão das nossas origens.

E por qual razão não continuaríamos a seguir os passos ancestrais?

Assim nasce AYÓ! Uma força que vem de dentro, que vem da força matriarcal e da oralidade africanas, que surge em busca do encantamento de nós por nós. Viemos para ofertar as crianças, jovens e mais velhos com histórias nossas, histórias que tragam referências pretas e demonstrem toda a realeza que África nos coroou! Por isso se faz tão urgente e necessário este encontro, pois é através da oralidade que conseguimos transmutar pensamentos e ideais, dissipar preconceitos e unir pessoas! Chegou a hora de ouvirmos falar de nós, por nós e para nós!

Contribua, compartilhe, fortaleça, faça acontecer!

Todo o valor  arrecadado será usado para apoiar os artistas participantes durante os dois dias do encontro – alimentação, transporte e alojamento dos que vierem de fora da cidade do Rio de Janeiro – e investimento em material gráfico, taxa do espaço e outras demandas necessárias para o nascimento de AYÓ!

Idealizado e produzido por Nathalia Grilo (educadora e contadora de memórias) | Apoio: Mulheres de Pedra | AYÓ Encontro Negro de Contação de Histórias acontecerá nos dias 11 e 12 de Novembro na zona oeste carioca | Serão 30 contadores e contadoras de histórias de todo o país. – Convidadas especiais: Heloisa Pires Lima e Eliete Miranda.

 

Colabore aqui 

+ sobre o tema

Bélgica devolve máscara histórica tirada da República Democrática do Congo

O rei Philippe, da Bélgica, que iniciou nesta quarta (8)...

Segundo Nando Cunha: 99,9% dos homens traem

Fernando Cunha , 46 anos, leonino nascido em 19...

O homem que aos 6 anos era um soldado-criança e hoje é um dos australianos do ano

Uma criança australiana aos seis anos de idade está...

para lembrar

No Dia da África clamo por liberdade aos africanos

O Brasil é o país que possui o maior...

Faculdade de Direito da UFRJ aprova concessão de título de doutor honoris causa a Nei Lopes

A Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio...

Após ser Elza Soares, Naruna Costa faz novela na Globo, série e cinema

Após ganhar o grande público como Elza Soares no...

Deu zebra! Irmãs Williams perdem para tchecas e são eliminadas no torneio de duplas

Uma grande zebra acabou com o sonho do tetracampeonato...
spot_imgspot_img

NICHO 54 lança publicação inédita que investiga a história do Cinema Negro no Brasil 

Pesquisa que mapeou e consolidou dados sobre filmes produzidos por pessoas negras no Brasil de 1949 a 2022 encontrou 1.104 obras; 83% de toda...

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

Gilberto Gil é homenageado na Uerj por contribuições culturais ao país

Cantor, compositor, escritor, produtor musical, imortal da Academia Brasileira de Letras, ex-ministro da Cultura. Dono de vários talentos e posições, Gilberto Gil ganhou nesta...
-+=