BENTO GONÇALVES: Câmara celebra Dia da Consciência Negra com entrega do Troféu Zumbi dos Palmares

Fonte: Bete Gonçalves

 

A Câmara Municipal realizou, na noite desta quinta-feira (12), sessão solene em celebração ao Dia da Consciência Negra. A solenidade foi marcada pela presença de representantes de terreiros de candomblé em Vitória da Conquista e grupos de capoeira, que fizeram uma apresentação especial no hall do plenário Vereadora Carmem Lúcia.

O vereador Beto Gonçalves (PV) fez um resgate histórico do movimento negro em Vitória da Conquista, citando pessoas como Graça e Azul, coordenadores do bloco afro conquistense ogum xorokê. O parlamentar comemorou a presença de mães e filhos de santo na sessão solene e agradeceu a todos qu ajudaram a organizar a sessão que celebrou o Dia da Consciência Negra.

 

João Borges, que representou o Conselho das Associações Quilombolas de Conquista, cobrou a execução de projetos que prestem assistência às comunidades quilombolas e condenou toda e qualquer discriminação racial. Borges afirmou que o poder público não pode ser omisso diante do desrespeito aos direitos de descendentes quilombolas. “Tem gente que diz que em Vitória da Conquista não existem negros. Infelizmente isto é fruto de uma segregação racial”, disse.

 

Discriminação racial – Já o Pe. José Carlos Conceição, assessor da Pastoral Afro da diocese de Conquista, salientou que a celebração do Dia da Consciência Negra na Câmara é fruto da luta do movimento negro no município. O Pe. José Carlos lamentou episódios de discriminação na própria Câmara, em legislaturas passadas. “O negro, desde a chegada ao Brasil, enfrenta situações de discriminação”, declarou. O padre salientou a importância de Zumbi dos Palmares no processo do fim da escravidão no Brasil. “Viemos aqui celebrar a história do nosso rei Zumbi”, disse.

 

A professora doutora Graziela Novato, também lamentou episódios racistas presenciados na Câmara em legislaturas passadas. Ressaltou que a luta pela igualdade social não é recente, pois grupos negros há muito tempo discutem a importância do negro em Vitória da Conquista. “Os negros no Brasil sempre foram motivo de polêmica no Brasil”, declarou.

 

Novato lamentou o número reduzido de negros nas universidades brasileiras e a ausência de políticas públicas que recuperem aquilo que foi tirado dos negros durante séculos de escravidão. “Perdemos os nossos nomes e sobrenomes africanos, que precisam ser recuperados, como parte de nossa história”, disse.

 

A Mameto de Inkissi Val Teixeira, que veio de Salvador para participar da sessão solene, afirmou que mais importante do que celebrar o Dia da Consciência Negra, é entender que os direitos dos negros devem ser observados durante todo o ano. Teixeira cobrou uma postura coerente dos vereadores em defender os direitos dos negros no âmbito municipal.

 

“Ter consciência negra não é fazer sessões especiais, mas respeitar o negro, oferecendo emprego, saúde, educação e moradia digna”, declarou.

A Mameto de Inkissi também destacou o direito dos negros exercerem a religião candomblecista sem medo de sofrerem algum tipo de discriminação.

 

Cultura yorubá – Presença ilustre na sessão solene, o nigeriano Olúségun Akínrúlí, professor de cultura e lingua yorubá, ressaltou a necessidade de reconhecer e respeitar a cultura dos negros, expressa através da dança e religião. Akínrúlí destacou que a cultura africana faz parte da formação do povo brasileiro.

 

As influências yorubá e bantu no Brasil foram destaque no discurso do professor, que, falando especialmente aos negros, ressaltou a importância do resgate da história dos negros no Brasil. A preservação histórica do povo negro, segundo Akínrúlí, tem no candomblé sua preservação e consolidação. “As informações sobre as origens do povo negro estão no candomblé. Precisamos conhecer nossas origens”, disse.

O secretário Municipal de Governo, Edwaldo Alves, que representou o prefeito Guilherme Menezes, afirmou que o Dia da Consciência Negra é a data mais importante comemorada no Brasil, pois celebra o assassinato de Zumbi dos Palmares, mártir da libertação dos negros brasileiros.

 

Alves fez um resgate histórico do movimento negro no Brasil e defendeu a igualdade social e racial no país. “Me envergonho porque o Brasil foi o último país a se livrar da escravidão. É preciso fazer uma reforma agrária justa, que venha reparar erros históricos cometidos contra os negros”, afirmou.

 

Último a discursar na sessão, o deputado federal Luiz Alberto (PT) parabenizou a Câmara pela realização de uma sessão solene em celebração à consciência negra. O parlamentar ressaltou a importância do Estatuto da Igualdade Racial e da luta contra a discriminação racial. “O fim da escravidão no Brasil não correspondeu àquilo que Zumbi sonhou para o povo negro”, destacou.

 

“Não somos nem 5% dos universitários do Brasil”, lamentou, sugerindo que o Poder Legislativo conquistense aprove leis que assegurem direitos e conquistas dos negros no âmbito municipal. Alberto condenou a perseguição religiosa contra os adeptos ao candomblé. “Isto é um crime e precisa ser combatido”, disse.

Homenageados com Troféu Zumbi dos Palmares agradecem honraria

 

Na sessão solene desta quinta-feira (12), que celebrou o Dia da Consciência Negra, a Câmara concedeu o Troféu Zumbi dos Palmares a três personalidades que se destacaram na luta pela igualdade racial. O Troféu foi instituído pela Câmara por meio da Resolução 02/2008, de autoria do vereador Jean Fabrício (PCdoB) e entregue pela primeira vez na solenidade desta noite.

 

O primeiro homenageado foi o engenheiro agrônomo Marinaldo Carvalho dos Santos, que mora na Comunidade Quilombola do Velame. Santos milita no movimento negro desde 1999, participando ativamente da organização de Agentes de Pastoral Negros (APNs) e presta assessoria a comunidades remanescentes de quilombos. Diante da impossibilidade em comparecer na sessão, Santos foi representado por Robério Santos, que recebeu das mãos do vereador Arlindo Rebouças a homenagem.

“Este prêmio é de todas as comunidades quilombolas”, disse Robério.

 

 

A segunda homenageada da noite foi Neonília Soares Dias, mais conhecida como Dona Dezinha. Reconhecida líder espiritual no candomblé em Vitória da Conquista, a yalorixá veio para o município na década de 1970 e tem lutado contra a discriminação racial e intolerância religiosa. Dona Dezinha, que recebeu das mãos do vereador Jean Fabrício a homenagem, cantou uma música em homenagem a Ogum e agradeceu a honraria.

 

O último homenageado da noite, o deputado federal Luiz Alberto, também tem destacada luta na defesa dos direitos dos negros no Brasil. Desde 2000, é um dos representantes da Bahia na Câmara dos Deputados, onde criou o Núcleo de Parlamentares Negros do PT. O deputado recebeu a honraria das mãos do vereador Fernando Jacaré, líder do prefeito na Câmara.

 

“Agradeço à Câmara pela lembrança importante na luta pelo nosso povo”, disse Alberto.

 

Matéria Original:

+ sobre o tema

Riquelme: ‘Paulinho é um Lampard negro’

Argentino do Boca Juniors rasgou elogios ao ex-corintiano e...

Bebê a caminho! Janet Jackson é fotografada grávida pela primeira vez

A cantora Janet Jackson, de 50 anos, foi fotografada...

Bahia: Trabalho e Sociabilidade

Fonte: Raizes Africanas - Por Cecília C. Moreira Soares*...

para lembrar

Trupe Baião de 2 estreia vídeo arte “Caminho da Saracura” celebrando rios, quilombos e povos indígenas

Caminho da Saracura redescobre rios, povos indígenas e quilombos...

Negros peruanos: das cantigas escravas à Susana Baca

Um ditado popular diz que, no Peru, quem não...

Taís Araújo posa nua para revista e pede para não retocar estrias

Taís Araújo posa nua para revista e pede para...

Alicia Keys vem ao Brasil gravar clipe com Beyoncé na favela

Alicia Keys vem ao Brasil gravar com Beyoncé o...
spot_imgspot_img

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...

Nota de pesar: Flávio Jorge

Acabamos de receber a triste notícia do falecimento do nosso amigo e companheiro de militância Flávio Jorge, o Flavinho, uma das mais importantes lideranças...
-+=