Bia Ferreira é anunciada no Rototom Sunsplash, em Benicassim (Espanha), um dos mais importantes festivais de Reggae do mundo

A apresentação faz parte da World Tour da artista, que preparou um show exclusivo de reggae para o festival

A cantora, compositora e multi-instrumentista Bia Ferreira acaba de ser anunciada como uma das atrações do Rototom Sunsplash, um dos mais importantes festivais de reggae do planeta, que acontece em Benicassim (Espanha), de 16 a 21 de agosto. Ela vai dividir o palco com The Wailers, Andrew Tosh & Soul Syndicate fazendo tributo a Peter Tosh, Skip Marley, Alpha Blondy e grandes nomes do ritmo jamaicano global.

“Esse festival é a meca do reggae e dura uma semana, onde os maiores nomes do reggae music mundial vão se apresentar e eu estou bem animada. Para mim, é muito importante porque é um mercado que eu não ocupo sonoramente, mas é um lugar onde eu ocupo conceitualmente. Acho que a política que eu trago na minha música tem tudo a ver com reggae e a galera do Rototom percebeu isso e nos chamou para fazer um show exclusivo só de reggae, então eu estou bem ansiosa,  acho que vai ser lindo”, declara Bia.

Passeando por ritmos afrodiaspóricos, é reconhecida por letras contundentes, visando facilitar a compreensão de temas importantes como necropolítica, cotas raciais, antirracismo, a luta pelos direitos das mulheres, da população lgbtqiap+ e a afetividade destes corpes, a fim de pautar tecnologias de sobrevivência através da arte. 

No repertório, a artista apresenta músicas inéditas de reggae e algumas versões no ritmo jamaicano de canções de suas canções já conhecidas, mostrando a pluralidade de sua arte. Para esse espetáculo, ela leva a banda completa: piano, baixo, bateria e guitarra.

“A minha ideia é mostrar que a arte negra contemporânea brasileira tem várias caras e todas elas têm a cara da cultura negra, independente do ritmo que eu apresente. O Rototom vai ser um show exclusivo, preparado para esse festival, especialíssimo de reggae. Assim como o show do Musicbox (que aconteceu no dia 1o de abril, em Lisboa) foi especial preparado para o Musicbox e foi um show de rap muito incrível só comigo e a DJ no palco”, esclarece Bia.

Além do formato com banda completa ou com DJ, ela também tem se apresentado em voz e violão em seus shows pelo mundo.

BIA FERREIRA NO MUNDO

A presença de Bia Ferreira no cenário internacional está em expansão. Seu primeiro show de 2024 aconteceu em janeiro, em Nova York, como a única representante brasileira em um dos principais festivais de world music do mundo, o globalFEST, no Lincoln Center. Em fevereiro, embarcou para a sua primeira turnê no Canadá, fazendo parte do Black History Month. Em março, foi destaque em um dos maiores festivais de inovação e criatividade do mundo, o South by Southwest (SXSW), com três apresentações aclamadas por público e crítica que a acompanharam em Austin, no Texas (EUA). Em abril, embarcou pela primeira vez no ano para a Europa, para shows na Península Ibérica e, em maio, retornou à Europa para apresentações na Bélgica, Portugal e Alemanha. 

Mas esse sucesso internacional, que faz parte da estratégia de globalização de seu trabalho, é uma continuação de 2023. Em janeiro, foi a única representante brasileira no projeto Tiny Desk meets globalFEST. Em maio, embarcou para a Europa para iniciar uma extensa temporada de shows no Hemisfério Norte que durou até novembro. Ao todo foram 50 apresentações, em 11 países da Europa e da América do Norte. Divulgando o afeto como tecnologia de sobrevivência, foi a artista independente brasileira que mais se apresentou nos principais festivais de world music do mundo.

“A diferença da tour desse ano com a do ano passado é que eu volto mais vezes para o Brasil, mas são nove países agora no primeiro semestre e eu pude entender que a minha arte é bem recebida em qualquer lugar onde eu vou. A turnê 2024 tem sido diferente porque ela se passa também na Europa, mas não só, nós vamos fazer Estados Unidos e Canadá mais vezes do que o ano passado, então eu acho que eu tenho experimentado um outro lugar de ocupação da arte que eu produzo. Tenho podido conhecer lugares onde eu nunca fui e também alcançar públicos diferentes do que já é esperado para o meu trabalho, que é o caso do Rototom e do Cruïlla Festival (Barcelona), que ocupam um grande destaque na cena de festivais aqui da Europa e que consideram a minha arte cabível no line deles”


AGENDA BIA FERREIRA 2024

JANEIRO

14/01 – globalFEST, Lincoln Center – Nova York, Estados Unidos

19/01 – Dragão do Mar – Fortaleza, Brasil

21/01 – SESC Vila Mariana – São Paulo, Brasil

FEVEREIRO

01/01 – Festival das Oferendas – Salvador, Brasil

22/02 – Club Balattou – Montreal, Canadá

23/02 – Queen St Fare – Ottawa, Canadá

24/02 – Chaucer’s Pub – London, Canadá

25/02 – Lula Lounge – Toronto, Canadá

MARÇO

08/03 – 4a Conferência Nacional de Cultura – Brasília, Brasil

09/03 – Circuito Nacional de Cultura – São Paulo, Brasil

12/03 – TropiClub no SXSW – Austin, Estados Unidos

15/03 – Vaquero Taquero no SXSW – Austin, Estados Unidos

16/03 – Sofar Sounds no SXSW – Austin, Estados Unidos

25/03 – SESC Carmo – São Paulo, Brasil

28/03 – Centro de Artes de Águeda – Águeda, Portugal

ABRIL

01/04 – Musicbox – Lisboa, Portugal

04/04 – La Nau – Barcelona, Espanha

05/04 – Festival Impulso – Caldas da Rainha, Portugal

06/04 – Teatro Sá da Bandeira – Santarém, Portugal

13/04 – Centro Cultural Olido – São Paulo, Brasil

20/04 – Casa de Cultura do Butantã – São Paulo, Brasil

MAIO

18/05 – Jam in Jette – Bruxelas, Bélgica

25/05 – Festival Aleste – Madeira, Portugal

26/05 – Festival Passagens – Lisboa, Portugal

JUNHO

12/06 – Festival Ulmer Zelt – Ulm, Alemanha

15/06 – Festival Good Good – Gottingen, Alemanha

18/06 – Bona – São Paulo, Brasil

20/06 – Festival Brasis – Curitiba, Brasil

21/06 – SESC Presidente Prudente – Presidente Prudente, Brasil

25-30/06 – Residência Artística – Colômbia

JULHO

11/07 – Festival Cruilla – Barcelona, Espanha

13/07 – Biel, Suíça

19/07 – Berlin, Alemanha

20/07 – Koblentz, Alemanha

21/07 – Düsseldorf, Alemanha

27/07 – Festival Latinidades – Brasília, Brasil

29/07 – Montreal, Canadá

30/07 – Montreal, Canadá

31/07 – Cleveland, Estados Unidos


SOBRE BIA FERREIRA

Bia Ferreira é uma cantora, compositora, multi-instrumentista brasileira. Passeando por ritmos afrodiaspóricos como o soul, o r&b e o rap, mesclados a referências da música brasileira como o samba e o repente, faz arte para mexer com a mente e com o corpo das pessoas. Compositora reconhecida por letras contundentes, visa facilitar a compreensão de temas importantes como necropolítica, cotas raciais, antirracismo, a luta pelos direitos das mulheres, da população  lgbtqiap+ e a afetividade destes corpes, a fim de pautar tecnologias de sobrevivência através da arte. Baseada no conceito de “escrevivência”, idealizado por Conceição Evaristo, Bia prioriza discorrer sobre sua vivência, trazendo com propriedade de vida coerência para suas canções.

Em 2018, com o single “Cota Não É Esmola” lançado pelo Sofar Sounds, atingiu o grande público. De lá pra cá, é o vídeo mais assistido do Sofar Sounds na América Latina e o quarto vídeo mais assistido desse mesmo projeto no mundo, além de ser leitura obrigatória para os vestibulares da Universidade de Brasília. Em 2019, fez sua primeira turnê pela Europa e, no mesmo ano, substituiu a atriz Larissa Luz no papel de Elza Soares nas apresentações do musical Elza, em São Paulo e Rio de Janeiro, em 3 temporadas do espetáculo. E ainda lançou seu álbum de estreia, Igreja Lesbiteriana, Um Chamado. Em dezembro de 2021, em sua primeira experiência como produtora musical, co-criou a faixa “Olhares Cruzados” pela plataforma Influência Negra para uma campanha publicitária de mesmo nome da marca Dove. Produção essa que foi premiada pelo prêmio IDBr Brasil. Depois de uma tour no verão europeu de 2022, Bia Ferreira foi destaque no WOMEX 22, principal feira de negócios de música no mundo, que aconteceu em Lisboa. E no fim do mesmo ano, lançou seu segundo álbum, Faminta, dividido em dois atos: MPSFN (love songs apresentadas para o público em outubro) e Evangelho de Libertação da Igreja Lesbiteriana (músicas de protesto disponibilizadas em novembro). Em janeiro de 2023, foi a representante brasileira no projeto estadunidense Tiny Desk meets globalFEST 2023. Em abril, fez o show de lançamento de Faminta, no Sesc Pompéia, sold out. De maio a outubro, ela fez uma extensa tour internacional de 50 shows, passando por 11 países entre Europa e América do Norte, e se apresentando nos principais festivais de world music do mundo. Em janeiro de 2024, foi a única representante do Brasil no globalFEST, no Lincoln Center (Nova York), em fevereiro fez uma tour no Canadá e, em março, foi destaque no SXSW. Em abril, embarca para uma tour na Península Ibérica.

https://www.instagram.com/igrejalesbiteriana

+ sobre o tema

Sambistas reivindicam o reconhecimento do samba de São Paulo

Foram mais de 30 inscritos para falar durante...

V Congresso de Advogadas e Advogados Afro-brasileiros – 20/06

A Comissão de Igualdade Racial da OAB de São...

Carnaval afrocentrado

No dia em que entregou a chave da cidade...

para lembrar

HQs Africanas

Seja afro-descendente ou não, qualquer brasileiro que goste de...

John Boyega, o Finn Star Wars manda mensagem para fã mirim brasileiro

O ator John Boyega, o Finn do novo Star...

Mãe de duas meninas, Gloria Maria teve de adequar guarda-roupa para não ‘pagar’ calcinha

Usar roupa curta não é tarefa fácil. Celebridades e...

5ª Edição da Palavra Preta

São Paulo recebe, no feriado, a 5a. edição da...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...
-+=