Câmara decreta ponto facultativo pela ‘Consciência Branca’ em Sertãozinho

Rogério Magrini, o “Zezinho Atrapalhado”,
presidente da Câmara (Foto: Rodolfo Tiengo/G1)

Presidente diz que decreto foi criado após pressão de outros vereadores.
ONG contra discriminação considerou atitude ‘preconceituosa’ e ‘inadmissível’.

por Felipe Turioni no G1

A Câmara de Vereadores de Sertãozinho (SP) decretou ponto facultativo nesta sexta-feira (21) em homenagem à ‘Consciência Branca’. O decreto foi assinado pelo presidente Rogério Magrini dos Santos (PTB) no dia 17 de novembro ao estabelecer também ponto facultativo pelo Dia da Consciência Negra, celebrado na quinta-feira (20). Na cidade não é feriado.

Uma ONG que atua na cidade contra a discriminação racial considerou a atitude “inaceitável”.

Em decreto, Câmara de Sertãozinho (SP) estabelece ponto facultativo em homegame à consciência branca (Foto: Reprodução)
Em decreto, Câmara de Sertãozinho (SP) estabelece ponto facultativo em homegame à consciência branca (Foto: Reprodução)

Segundo o vereador e chefe do Legislativo, conhecido como Zezinho Atrapalhado, o ponto facultativo pós-feriado da Consciência Negra foi motivado por pressão dos outros vereadores. “Quando eu quis fazer o decreto pelo Dia da Consciência Negra, os vereadores foram contra e começaram a me cobrar: ‘e a Consciência Branca?’. Achei que seria uma boa ideia, fui lá e fiz”, afirma Magrini.

Além disso, o presidente da Câmara justificou a “homenagem” porque um primo se diz vítima de preconceito por ter pele de cor branca. “Tenho um primo que chamam de maisena, de tão branco que ele é, e ele mesmo me cobrou, se tem pelos negros também deveria existir dos brancos, porque existe preconceito contra branco também”, diz.

O vereador nega que a atitude de fazer a “homenagem à Consciência Branca” seja racista e diz que decretou o ponto facultativo pelo Dia da Consciência Negra a pedido de Organizações Não Governamentais (ONGs) que lutam contra a discriminação racial.

“É a primeira vez que fazemos esse ponto facultativo e fui cobrado por ONGs, como a Cabeça Di Nego, a pedir para o prefeito que crie um projeto de lei que estabeleça o feriado na cidade inteira no ano que vem, e o prefeito prometeu que fará isso”, comenta Magrini.

‘Absurdo’
Procurado pela reportagem do G1, o presidente da ONG Cabeça Di Nego, Luís Onório, confirmou o pedido pelo feriado do Dia da Consciência Negra, mas considerou “absurda” o decreto pela ‘Consciência Branca’. “É preconceituosa e inadmissível, não há porque ter, por conta do que fizeram contra os negros no Brasil, não houve nenhuma reparação ainda”, diz.

Onório afirma que vai procurar a Câmara na segunda-feira (24) para conversar com o presidente. “Ainda não sabemos de fato o que houve, mas é preconceito e os envolvidos devem ser afastados”, comenta. Ele considera entrar no Ministério Público contra o decreto.

 

Para entender esta matéria:

O racismo inverso existe e precisa ser combatido

+ sobre o tema

Justiça condena, por racismo, ex-aluno da FGV que chamou colega de ‘escravo’

A Justiça de São Paulo condenou Gustavo Metropolo, ex-aluno...

A menina dos olhos de Oyá exuzilhou o racismo religioso na avenida

A menina dos olhos de Oyá foi reverenciada na...

132 anos de abolição: A luta pela nossa liberdade continua…

13 de maio de 2020, hoje faz 132 anos...

Jundiaiense denuncia contratação da Magazine Luiza por discriminação racial

O programa de contratação trainee exclusivo para negros da...

para lembrar

Meu amigo de redes sociais, precisamos falar sobre cotas. De novo

Bem-vindos ao século 21, parças. Desigualdade racial institucional (com...

Lei proíbe nomeação de pessoas condenadas por racismo em cargos comissionados no RN

O governo do Rio Grande do Norte publicou na edição desta...

Vinte e duas associações de afro-descendentes queixam-se de Portugal à ONU

País está a ser avaliado no Comité das Nações...

Qual é o problema de um James Bond negro?

por  Bruno Carmelo no Adoro Cinema A polêmica sobre o...
spot_imgspot_img

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...
-+=