Canal Viva: Globo é obrigada pela Justiça a editar suposta cena de racismo em reality

TV Globo foi surpreendida por uma decisão da Justiça, na qual obrigou um canal pertencente ao Grupo Globo editar uma cena que seria referente a uma cena de racismo. Isso porque, Marcos Werner, ex-participante do reality “No Limite”, entrou na Justiça, exigindo que o canal Viva que está reprisando o reality exibido originalmente pela Globo, não recoloque uma cena no ar.

Nessa cena, Marcos teve uma discussão com um outro participante do programa, o Paulo César Martins, e em meio a troca de farpas, Marcos se referiu a Paulo como “Crioulo”. Tal palavra na época foi vista por muitos como racismo e gerou uma enorme polêmica com o público. Marcos conseguiu fazer o Viva editar a cena com base no ‘direito ao esquecimento’.

Marcos alega que foi bastante prejudicado naquela época por conta das suas declarações e que não queria voltar a passar pelas mesmas situações novamente. Caso a Globo não respeitasse a justiça, a emissora teria que pagar multa. A TV Globo, procurada, disse que não comenta as decisões judiciais. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

+ sobre o tema

para lembrar

Professor universitário é condenado a pagar multa por racismo

 Segundo o MPF, ele teria feito considerações preconceituosas em...

Italiano é preso suspeito de hostilizar judeu no Aeroporto do Galeão, no Rio

Este é o italiano Fabrizio Trinchero, pouco antes de...

Cachê Menor: Modelos negras fazem protesto por cotas no SP Fashion Week

Fonte: Gazeta Online - A polêmica das cotas, que...

Érika Januza revela ter sido rejeitada por família de namorado

Em entrevista, atriz global revelou ter sido rejeitada por...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=