Caneladas do Vitão: Uma vez Anielle, sempre Marielle 2

Enviado por / FontePor Vitor Guedes, do Agora

Brasil, meu nego, deixa eu te contar, a história que a história não conta, o avesso do mesmo lugar, na luta é que a gente se encontra”¦ “Cada brasileiro, vivo ou morto, já foi Flamengo por um instante, por um dia.” Antonio Francisco da Silva, Fluminense fanático como Nelson Rodrigues, só não imaginava que as filhas Marielle e Anielle Franco seriam rubro-negras todos os dias. Até a morte.

“O nosso falecido avô começou a levar a gente novinha e falava para o meu pai que íamos ao parque. Parque porcaria nenhuma! Era para ver o Flamengo. Meu pai, tricolor doente, não entendia a nossa paixão pelo Flamengo”, diverte-se Anielle, diretora do Instituto (que leva o nome da irmã, vereadora assassinada) Marielle Franco.

Nem a reprovação à aproximação do Fla com o governo que dá “e daí?” para milhares de mortos é capaz de diminuir o amor da família pelo “Mengão”.

“Jamais ele [o presidente Roldolfo Landim] vai tirar isso da gente. Eu adoro ir para o Maraca”, disse Anielle, relembrando a parceria com Marielle.

“A gente juntava dinheiro com sacrifício para o ingresso e íamos pela Urubuzada, núcleo da Maré. Depois que a Mari[elle] foi eleita, ficou um pouco mais complicado ela acompanhar.”

Mas Marielle vive. Presente nos corações vermelhos e pretos da mana Anielle, da filha, Luyara, da afilhada Mariah e, em breve, de outra sobrinha.

“A Eloah está prevista para o mesmo dia do aniversário da Marielle, 27 de julho. Mas eu acho que vai adiantar igual a minha primeira filha. Já tenho a Mariah, de 4 anos, que é afilhada da Mari, que escolheu o nome. E para obedecer minha mãe, que colocou Marielle e Anielle, eu tô botando Mariah e Eloah para dar uma rimada porque a gente é dessa”, finalizou, com o sotaque, gargalhada, simpatia e humor carioquíssimos.

“Tu fala ‘vai, Corinthians’, aqui a gente fala ‘pra cima deles, Mengão’. Prazer, Vitor, beijos.”

Dois beijos, Anielle Franco, um em cada bochecha, como “tu” e as minas cariocas gostam.

Marielle Franco: “Ser mulher negra é resistir e sobreviver o tempo todo”.

Sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

+ sobre o tema

Musas das comunidades roubam a cena, ganham visibilidade nas escolas e sonham em posto de rainha

Elas são lindas, carismáticas e, claro, arrasam quando o...

Para mulheres asiático-americanas, racismo e machismo são inseparáveis

Depois que oito pessoas, seis delas mulheres asiáticas, foram...

Passageiros se recusam de voo pilotado por mulheres

Na última semana, o voo 909 da American Airlines...

para lembrar

UBM comemora 24 anos de atividade por igualdade de gênero

A União Brasileira de Mulheres(UBM) completa 24 anos nesta...

Racismos contemporâneos

Será lançada no próximo dia 9 no Plenário da...

Tereza Ferraz: Simone de Beauvoir – Drop 3

Até os doze anos a menina é tão robusta...

Apresentadora viu preconceito racial em namoro e quer ser referência na TV

Cabelo crespo e assumindo a sua natureza. É assim...
spot_imgspot_img

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Novas pesquisas mostram que meninas nos EUA estão tendo sua primeira menstruação mais cedo. A exposição ao ar tóxico é parcialmente responsável. Há várias décadas, cientistas ao redor do...

Leci Brandão recebe justa homenagem

A deputada estadual pelo PC do B, cantora e compositora Leci Brandão recebe nesta quarta (5) o Colar de Honra ao Mérito Legislativo do...
-+=